fbpx

Edilson Barboza

É músico, produtor e apresentador de programas no rádio

Sobre lobos e cordeiros

 

O mês de outubro de 2019 registrou o menor índice de incêndios na Floresta Amazônica dos últimos 21 anos. Depois da “batalha pelo fogo” verificada no início de setembro, percebe-que algo de extraordinário aconteceu no ambiente do confronto. Faz anos que ouvimos que o Brasil é um país de grandes oportunidades. O dilema é que com os empreendedores vem os oportunistas. Onde tem dinheiro envolvido, não falta gente que enxergue ganhos e poder.

Nenhum país do mundo tem tantas ONGs atuando como se vê por aqui. É algo sem parâmetros na história da civilização. Nações com situação econômica e social piores que a do Brasil passam verdadeiros perrengues pela desassistência humanitária dessas organizações. Suspeita-se que muitas constituem braços de corporações com interesse em assegurar recursos econômicos ainda não revelados ou pouco explorados.

No caso da floresta brasileira, a fórmula para apropriação do discurso e dos recursos consiste em fundar uma ONG que tenha entre seus objetivos a proteção do meio ambiente e das minorias étnicas, conseguir moradores da região com território e povo que precisa de sua proteção, entrar com o processo na Funai para reconhecê-los como de origem étnica indígena, entrar com processo de demarcação da reserva para a “tribo”, celebrar contrato da ONG com os representantes da comunidade indígena e faturar uma boa grana vendendo créditos de carbono.

Depois de vender os créditos de carbono, vem a segunda etapa do golpe, com a assinatura de um novo contrato com os agora protegidos da comunidade rural para explorar a madeira da reserva, já que, como proprietários, são os únicos que podem vender madeira sem punição. Depois de vender a madeira é só vender a terra já sem floresta para agricultores que estejam dispostos a torná-la produtiva.

O último passo é conseguir apoio da mídia como defensor da floresta, sentado na riqueza que amealhou com a expropriação rural e garantir ainda mais alguns trocados dos países que vislumbram uma imagem de defensor do meio ambiente, enquanto o exploram até o limite da exaustão. Ingleses e franceses garantem o crédito de carbono para aliviar a consciência escravagista de séculos passados. Suecos e noruegueses precisam da madeira para preservar as que ainda lhes restam em seus territórios.

Abraçar a causa da sustentabilidade é uma atividade altamente lucrativa para políticos, empresários, governos locais, fazendeiros e militantes nas últimas três décadas. Só não foi para a floresta e para os nativos que se recusaram a fazer parte do esquema milionário. A redução dos incêndios em outubro mostra que um novo enfoque foi dado à questão amazônica e que o enfrentamento incisivo começou a mostrar resultados. Lobos não triunfam sobre rebanhos protegidos!

04/11/2019

 

Ultimas Colunas

Sobre lobos e cordeiros

O mês de outubro de 2019 registrou o menor índice de incêndios na Floresta Amazônica dos últimos 21 anos. Depois da “batalha pelo fogo”...

Um país sob a espada de Dâmocles!

Marco Túlio Cícero viveu entre 106-43 a.CC. É autor da Tusculanae Disputationes, uma série de cinco livros, num dos quais registra o episódio de...

O enigma da canção I – American Pie

Quando criou sua primeira banda, John Lennon resolveu batizá-la de The Crickets (Os Grilos), o mesmo nome da banda de um dos primeiros astros...

27 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns, meu amigo!!! Consciência política e bom senso, continue segurando na mão de ambas e trazendo sua palavra inteligente pra nós!!

  2. Grande Edilson! Confesso que alguns filmes me deixaram com certo medo da Inteligência Artificial. Apesar dos benefilcios, tem algo de apocalíptico nela. Depois que conheci a “Lei de Moore”, aí fiquei assustado mesmo, rsrsrs. Grande abraço.

  3. Acho que postei errado anteriormente o comentário. Bom, aproveito para parabenizar por mais este projeto, a coluna tá excelente! Repetindo o que postei no local equivocado, esse artigo me lembrou de uma série que vi no Amazon prime vídeo, “you are wanted” é o nome; trata-se de um executivo alemão que é “hackeado” e acaba procurado como se fosse o terrorista número 1 da Alemanha. Atualmente nem precisamos digitar algo, o simples caminhar com o celular no bolso pode contar por onde estivemos!

    • Eu não sei se é impressão minha mas a cada evolução tecnológica a humanidade está cada vez mais dependente e assim correndo perigo .
      Só de ver crianças ,na hora da refeiçoes ,usando celular ou tablets me preocupa muito, até por insentivo dos próprios pais .

  4. Ótimo artigo! Realmente, nos dias de hoje não há mais limites entre o que é público e privado. Nos sentimos vigiados e expostos. Mas, muitas vezes, nós mesmos permitimos essa invasão pelas nossas redes sociais. Precisamos repensar sobre isso! Abç

  5. A vida e os meios eletrônicos estão transformando as relações de trabalho, amizade e familiar.
    A mudança foi tão rápida que temos sim de avaliar nossas atitudes diante dessa revolução tecnológica. Parabéns pelo artigo!

  6. Grande Edilson !!!. Tudo está mudando tão rápido, que muitas pessoas deixam de valorizar a essência das coisas… As músicas antigas, os arranjos musicas trabalhados, as calças jeans, os isqueiros Zippo, uma boa dose de Jack Daniels, as motos Harley Davidson e etc… O FUTURO É MUITO BEM VINDO, MAS AINDA BEM QUE EXISTEM OS “OLD SCHOLL” IGUAIS A NÓS, PARA CURTIR E DIVULGAR OQ É BOM E ATEMPORAL !!! Parabéns pela coluna, sempre abordando temas superinteressantes !!!

  7. Parabéns pelo artigo Edilson. O texto facilita aos leitores a entender o que está realmente ocorrendo!!!

    • Quando li esse artigo lembrei de uma série chamada “wanted”, no Amazon prime vídeo, trata-se de um executivo que é “hackeado” e acaba sendo procurado como o terrorista número 1 da Alemanha. Atualmente, nem precisamos digitar algo, o simples caminhar com o celular no bolso já pode contar por onde estivemos!

  8. Caro amigo Edilson Barboza,
    O assunto abordado em seu artigo abre espaço, tempo e caminho para uma reflexão extremamente salutar!
    Parabéns pelo tema e pela iniciativa!

  9. Precisamos estar atentos ao que está acontecendo com o nosso país! A sociedade de bem está apoiando o novo governo, porém a esquerda mal intencionada e sem compromisso nenhum com a pátria insistem em atrapalhar a reconstrução do país! Acredito que este momento seria melhor um regime militar pra recolocar a casa em ordem!

  10. Meu querido amigo, Edilson, só pra te informar, o meu Abbey Road está vivinho comigo desde o seu lançamento, aliás, todos os demais álbuns do grupo que sou fá que revolucionou o mundo com suas músicas encantou e encanta até hoje, mesmo os que nasceram muito tempo depois do término dos Beatles.
    Que tal fazermos um desafio musical, você com seus inúmeros LP’s e eu com alguns dos meus?

  11. Amigo Edilson, muito bom seu novo artigo. Realmente, Portugal, está mandando muito bem nos festivais. Testemunha ocular (já participei do festival de rock de Zambujeira do Mar – Odemira – Portugal). Este festival de rock acontece todos os anos, na primeira semana de agosto, verão europeu. Este ano será de 07 a 10/08. Organização é perfeita e a marca do festival é lembrada o ano todo. Todos os jovens e adultos amantes de rock e festivais prestigiam esse evento.

  12. Caro Edilson, muito bom seu artigo. A velocidade com que tudo está se mudando, e isto não é ruim. Mas, ao mesmo tempo me faz ser nostálgico. Para mim não há tecnologia que melhore o som de um vinil.
    Paulo Angelo.

    • Obrigado, amigo Paulo!
      Tenho gostado muito dos seus artigos. Afinal sou apreciador de vinho, mas com o conhecimento e dicas do amigo, está ficando mais prazeroso o meu “vício”!. Abraços!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

%d blogueiros gostam disto: