Em protesto, portuários pedem prioridade na vacinação contra a Covid-19 nesta sexta-feira (7)

Os trabalhadores também pedem melhorias nos protocolos de segurança dos trabalhadores neste momento de pandemia

0
Foto: Reprodução

Fazendo parte de uma mobilização nacional, o Intersindical da Orla Portuária do Espírito Santo, um movimento unificado de organizações sindicais de diversas categorias, convocaram os trabalhadores para um ato nesta sexta-feira (7) pedindo a inclusão nos grupos prioritários da vacinação contra a Covid-19.

O ato é um luto por todas as pessoas que morreram da doença no Brasil e no Espírito
Santo e por todos os trabalhadores portuários, estivadores, conferentes, vigias,
arrumadores, capatazia e das administrações portuárias que também não resistiram ao vírus.

O ato tem o objetivo de pedir ações para que os portuários possam ser vacinados diante do esforço que todos os trabalhadores estão fazendo para manter os portos funcionando, sendo considerados pelo Governo Federal uma atividade essencial. Além disso, discutir sobre desestatização dos portos e mudança da legislação portuária e a proteção e protocolos de segurança dos trabalhadores neste momento de pandemia.

“No dia sete de maio em cada porto do Complexo Portuario do Espirito Santo no
inicio de seu turno de trabalho, convocamos o Trabalhador a procurar no porto o local
para realizarmos o Diálogo com os Dirigentes Sindicais e representantes dos portos”, disse o Intersindical em um documento enviado aos trabalhadores.

Saiba mais

Covid-19: deputada quer priorizar vacinação de portuários no ES


Integração de comarcas: Musso pede reavaliação sobre decisão

A decisão pela integração de comarcas na Justiça do Espírito Santo tem dividido opiniões no meio político. A Procuradoria Geral do Estado (PGE) defende a medida, enquanto que deputados estaduais e prefeitos vão para o outro lado. Um parlamentar sugeriu a retomada da tramitação do Projeto de Decreto Legislativo que suspende a desativação de serventias extrajudiciais.

A medida foi tomada, em decisão unânime, pelos desembargadores do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) a partir da recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em maio do ano passado. Um dia depois, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-ES) entrou com um pedido na CNJ para a suspensão da medida.

Relatora do caso na CNJ, a conselheira Ivana Farina votou pela manutenção da medida. Os demais conselheiros pediram vista do processo para uma nova análise.

Segundo o presidente da Assembleia Legislativa (Ales), o deputado estadual Erick Musso (Republicanos), a Procuradoria da Casa está analisando se há necessidade para que tal decisão tomada pelo TJES em 2020 seja chancelada por meio de projeto de lei.

O presidente falou que irá ao Tribunal de Justiça para pedir uma reavaliação. “Entendemos e respeitamos o Poder Judiciário, mas a cobrança dos municípios nesse momento nos traz a uma reflexão”, disse.

O deputado Theodorico Ferraço (DEM) sugeriu a retomada da tramitação do Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 87/2019, de autoria do ex-deputado Enivaldo dos Anjos (PSD).

A proposta suspende a desativação de serventias extrajudiciais. “Com esse projeto voltando para a pauta dá oportunidade para maior diálogo”, considerou o demista. Freitas (PSB), um governista, endossou a proposta.

Em entrevista à A Gazeta, o procurador-geral do Estado, Jasson Amaral, afirmou que a integração é imperativa e deve trazer racionalização de recursos do Judiciário.

Políticos lamentam morte de ator Paulo Gustavo; confira reações

Foto: Reprodução/Instagram

A morte do ator e diretor Paulo Gustavo, um dos grandes comediantes do país, líder disparado de bilheteria no cinema nacional, vítima de complicações da Covid-19, aos 42 anos, foi lamentada também no meio político. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou “que Deus o receba com alegria” em publicação nas redes sociais.

O comentário gerou manifestações de internautas, que relembraram ocasiões em que Bolsonaro atuou de maneira negligente durante a pandemia, que são investigadas na CPI da Pandemia, instalada no Senado.

Por exemplo, citaram o que o presidente disse sobre o vírus causar apenas uma “gripezinha”, também a resposta a um seguidor, em que escreveu que nunca iria comprar a “vacina chinesa”, a CoronaVac.

Na defesa de Bolsonaro, uma internauta compartilhou uma imagem em que afirma que o governo federal foi o primeiro a reconhecer o vírus e combater, quando publicado estado de emergência para conter o coronavírus.

O ex-presidente Lula (PT) relatou no Twitter: “Um grande brasileiro, que brindou nosso país com tanta alegria”. A publicação teve o triplo de curtidas da de Bolsonaro e comentários que pedem para que o petista ganhe a eleição de 2022.

Ciro Gomes (PDT) mencionou que Paulo Gustavo “será sempre lembrado por sua alegria e arte”.

Enquanto que João Dória (PSDB) escreveu: “Paulo Gustavo deixa enorme legado ao teatro, TV e cinema do País”. A reação ao post foi de pedido para que a campanha de vacinação seja acelerada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui