Comércio terá horário especial de funcionamento para Dia das Mães

0
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Durante pronunciamento nesta sexta-feira (30), o governador Renato Casagrande anunciou o funcionamento do comércio em horário extraordinário a partir de segunda-feira (3) em função do dia das mães no domingo (9).

De segunda a sexta-feira lojas de rua e shoppping estarão liberados para abrirem a partir das 10h até as 20h. Além disso, aos sábados, poderão abrir as portas de 8h às 18. Normalmente os horários para comércio de rua são de 10h às 18 e para shopping de 12h às 20h.

“Dia das mães é importante para todos nós, pela questão sentimental e cultura que se estabeleceu das famílias se encontrarem para comemorar. Também temos atividade de comércio muito intendo na semana que antecede”, explicou Casagrande.


Grande Vitória sai do risco extremo para a Covid-19; confira o novo Mapa de Risco

O governador Renato Casagrande (PSB), anunciou o 52º Mapa de Risco da Covid-19 no Espírito Santo. A Grande Vitória, antes toda em risco extremo para a doença, passou para o risco alto nesta nova atualização. Apenas cinco municípios estão na classificação de maior urgência: Ecoporanga, Pedro Canário, Santa Teresa, Domingos Martins e Mimoso do Sul.

O Mapa, anunciado durante pronunciamento nesta sexta-feira (23), entra em a partir da próxima segunda-feira (26), e traz ainda que 50 municípios se encontram no risco alto para a doença e 23 em risco moderado. Nenhum município capixaba está no risco baixo para a Covid-19.

Mudanças

Casagrande ainda anunciou mudanças nas medidas qualificadas para municípios em risco alto para a Covid-19. As atividades comerciais poderão funcionar de segunda-feira até sábado, sendo em dias úteis de 10h às 18h e nos sábados de 10h às 16h. Shoppings poderão funcionar 12h às 20h em dias úteis e no sábado de 12h às 16h.

Além disso, em relação a restaurantes, está autorizado o funcionamento das 10h às 20h, de segunda a sexta-feira e no sábado das 10h às 16h.


Novo Mapa de Risco começa a valer nesta segunda (19): faixa extrema tem mudanças no comércio e transporte

Crédito: Divulgação/Governo do Estado

O Espírito Santo terá um novo Mapa de Risco da Covid-19 e novas regras de funcionamento para comércio e transporte público a partir da próxima segunda-feira (19). Nos 30 municípios em risco extremo, atividades não essenciais poderão funcionar, excepcionalmente, na terça (20), em decorrência do feriado nacional de Tiradentes, celebrado na quarta (21), e na quinta e sexta-feira (22 e 23).

As informações são do governador Renato Casagrande, que fez um pronunciamento na noite desta sexta-feira (16). “[Municípios em] Risco extremo funciona o comércio três dias por semana, risco alto o comércio funciona seis dias na semana, de segunda a sábado, com limitações de horário também: dias de semana até 18h, final de semana até 16h. E risco moderado, comércio funciona normal: bares e restaurantes até 22h da noite”, lembrou.

Casagrande explicou que as mudanças visam amenizar as perdas econômicas provocadas pelas restrições. “Vamos autorizar o funcionamento na terça para manter o oxigênio das atividades econômicas no Estado”, destacou.

Em relação ao transporte público, o governador anunciou que ônibus atendem ao público em geral na segunda, terça, quinta e sexta, ainda das 5h às 22h. Permanecendo a determinação para transportar exclusivamente trabalhadores da saúde no sábado, domingo e também no feriado  de Tiradentes. “Quarta-feira, feriado nacional, dia 21 de abril, não temos atividades econômicas e sociais e não temos ônibus”.

Na ocasião, anunciou que postos de combustíveis, que já eram considerados atividades essenciais, poderão agora todos os dias e sem restrições de horários. Além disso, escolas localizadas nos municípios classificados em Risco Alto poderão realizar atendimentos presenciais de forma individual, conforme os critérios a serem estabelecidos pela Secretaria da Educação (Sedu). No risco moderado, as aulas presenciais seguem liberadas, enquanto no risco extremo continua permitido somente o ensino remoto.

Mapa de Risco

Válido a partir de segunda-feira (19), até o domingo seguinte (25), o 51° Mapa de Risco traz 30 cidades em risco extremo, 39 cidades em risco alto e nove em risco moderado – não há nenhum município em risco baixo.

No comparativo com o mapa anterior, houve melhora no enfrentamento ao coronavírus no Espírito Santo. São 12 municípios a menos na faixa roxa e sete a mais na amarela. Renato Casagrande celebrou o fato.

“É um sinal de que estamos avançando positivamente. Só avançaremos se tivermos disciplina”, disse Casagrande, que lembrou que neste sábado (17) o primeiro mapa de risco divulgado pelo governo estadual completa um ano. Desde então, frisou, só não houve um novo “mapa durante os 18 dias de quarentena”.

O governador apresentou gráficos para ilustrar os efeitos positivos das restrições mais rígidas, adotadas a partir da segunda quinzena de março, sobre a taxa de óbitos e casos registrados no estado.

“Nas duas últimas semanas, o índice de transmissão está em um ponto de estabilidade. Essas duas semanas de estabilidade no Espírito Santo estava alto, de 1,55. Ainda é muito alto, mas já mostrou estabilidade”, afirmou, mas lamentando ainda a quantidade de mortes. Mas hoje perdemos 82 pessoas [foram 80 óbitos, segundo Painel Covid-19]. Estamos tendo redução da pressão na entrada, mas vivemos situação de gravidade ainda”.

Crédito: Divulgação/Governo do Estado

RISCO EXTREMO: Águia Branca, Anchieta, Barra de São Francisco, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Castelo, Colatina, Domingos Martins, Ecoporanga, Guarapari, João Neiva, Linhares, Marataízes, Marechal Floriano, Mimoso do Sul, Montanha, Muniz Freire, Muqui, Pancas, Pedro Canário, Pinheiros, Presidente Kennedy, Rio Bananal, Novo do Sul, Santa Teresa, São José do Calçado, Serra, Vargem Alta, Viana, Vila Velha e Vitória.

RISCO ALTO: Afonso Cláudio, Água Doce do Norte, Alegre, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Apiacá, Aracruz, Atílio Vivácqua, Baixo Guandu, Boa Esperança, Bom Jesus do Norte, Conceição do Castelo, Fundão, Governador Lindenberg, Guaçuí, Ibatiba, Ibiraçu, Irupi, Itaguaçu, Itapemirim, Iúna, Jaguaré, Jerônimo Monteiro, Mantenópolis, Marilândia, Mucurici, Nova Venécia, Piúma, Ponto Belo, Rio Bananal, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, São Domingos do Norte, São Gabriel da Palha, São Mateus, São Roque do Canaã, Sooretama, Venda Nova do Imigrante e Vila Valério.

RISCO MODERADO: Brejetuba, Conceição da Barra, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Ibitirama, Iconha, Itarana, Laranja da Terra e Vila Pavão.


Casagrande anuncia Mapa com 42 cidades em risco extremo e alerta: ‘situação ainda é muito grave’

O Espírito Santo tem 42 cidades em risco extremo para a Covid-19, segundo o 50° Mapa de Risco, divulgado na noite desta sexta-feira (9), pelo governador Renato Casagrande. Outros 34 municípios estão em risco alto, enquanto apenas dois aparecem em risco moderado: Conceição da Barra, no Norte capixaba, e Ibitirama, na região Sul. A vigência do documento vai da próxima segunda (12) até sexta-feira (18).

A Grande Vitória, composta por Cariacica, Serra, Viana, Vila Velha e a Capital, permanece na faixa roxa (risco extremo). Municípios nessa situação terão retomadas as operações dos serviços de transporte público a partir de terça-feira (13), de 5h às 22h, mas apenas nos dias úteis. Em feriados, sábados e domingo, os coletivos não saem das garagens.

Também foi anunciada a flexibilização do comércio de rua e shopping centers, que poderão operar em mais um dia da semana, de terça à sexta, das 10h às 18h, e de meio-dia às 20h, respectivamente. Setor de serviços vão poder começar suas atividades entre 8h e 9h, enquanto a indústria entre 5h e 7h.

Crédito: Divulgação/Governo do Estado do Espírito Santo

RISCO EXTREMO: Água Doce do Norte, Águia Branca, Anchieta, Apiacá, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Brejetuba, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Castelo, Colatina, Domingos Martins, Ecoporanga, Guarapari, Ibatiba, Iconha, Itarana, Jerônimo Monteiro, João Neiva, Linhares, Mantenópolis, Marataízes, Mimoso do Sul, Muniz Freire, Muqui, Nova Venécia, Pancas, Pedro Canário, Pinheiros, Piúma, Rio Bananal, Santa Teresa, São Gabriel da Palha, São José do Calçado, Serra, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila Pavão, Vila Velha e Vitória.

RISCO ALTO: Afonso Cláudio, Alegre, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Aracruz, Atílio Vivácqua, Bom Jesus do Norte, Conceição do Castelo, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Fundão, Governador Lindenberg, Guaçuí, Ibiraçu, Irupi, Itaguaçu, Itapemirim, Iúna, Jaguaré, Laranja da Terra, Marechal Floriano, Marilândia, Montanha, Mucurici, Ponto Belo, Presidente Kennedy, Rio Novo do Sul, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, São Domingos do Norte, São Mateus, São Roque do Canaã, Sooretama e Vila Valério.

RISCO MODERADO: Conceição da Barra e Ibitirama.

Pronunciamento

Durante o pronunciamento, Casagrande apresentou dois gráficos que mostram os resultados da quarentena imposta desde o dia 18 de março, posteriormente estendida e com mais restrições. Os dados de notificações de supostos casos de Covid-19 e também dos confirmados são comparados com os registros de períodos anteriores às medidas restritivas mais duras.

Em ambos é possível observar clara redução de notificações e casos confirmados acumulados por semana desde a adoção das restrições mais severas.

 

Renato Casagrande festejou as reduções, evidenciando que os resultados foram obtidos graças às medidas adotadas. “Nos dias 15 a 20 de março, tivemos notificação de cerca de 40 mil. Depois, de 21 a 27 de março, 46 mil. Depois, de 28 de março a 3 de abril, 34 mil. E depois, de 4 a 9 de abril, 30 mil. Tivemos duas semanas de queda nas notificações. Estão reduzindo nessas duas últimas semanas. Isso é um bom sinal”, celebrou.

Mesmo contente com os números apresentados, Casagrande reforçou a importância das restrições, ainda que sejam duramente criticadas por quem se contrapõe às medidas, e pediu compreensão. “O que nós precisamos de continuar fazendo é o apelo. O pedido, a compreensão que esse é um trabalho que temos que desenvolver em conjunto”.

Na oportunidade, o governador também destacou que a situação continua preocupante, com a taxa de transmissão do coronavírus ainda muito alta, mantendo a pandemia em ascensão em todo o estado.

“O vírus está com nível de atividade muito intenso tanto no interior quanto na Região Metropolitana. A taxa de transmissão está acima de um. A pandemia está crescente no Estado. A quarenta dá sinais de redução da transmissão, mas precisamos de mais uma semana pra de fato saber se houve redução. O risco continua”, alertou.

Com o ritmo de transmissão descontrolado, a taxa de ocupação de leitos de unidade de terapia intensava (UTI) e de enfermaria nos hospitais públicos e privados do Espírito Santo permanece alta.

Segundo o Painel Coronavírus, alimentado diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), 93,94% dos 1.006 leitos de UTI e 79,46% dos 930 leitos de enfermaria estão ocupados. Mesmo com seguidas aberturas de novas unidades, o índice de ocupação permanece nessa faixa há mais de 20 dias, como lembrou Casagrande.

“Para vocês terem uma ideia, já passamos de 1000 leitos de UTI abertos exclusivos para Covid-19. Tínhamos uma meta de até o final de abril de chegarmos a 900 leitos de UTI, e já no início de abril passamos de 1000 leito de UTI e quase 1000 de enfermaria. Já dissemos que neste mês vamos abrir mais leitos de UTI e de enfermaria. Abrimos leitos quase todos os dias e a ocupação dos leitos está em mais de 90% há mais de 20 dias. A gente abre leitos mas o numero de pacientes vai crescendo. Mostra como a situação ainda é muito grave pra nós aqui”, salientou.

A Covid-19 matou mais de 8 mil pessoas no Espírito Santo. Nesta sexta, foram registradas mais 68 mortes em apenas 24 horas. O estado atravessa a semana mais letal desde o início da pandemia. Foram batidos dois recordes de registros óbitos seguidos: 95 na última segunda (5) e 110 na terça (6) – o pior dia –, 70 na quarta (7) e, nesta quinta-feira (8), mais 69, segundo os dados do Painel Covid-19 da Sesa. Ao todo, em apenas cinco dias, 412 vidas foram ceifadas pelo coronavírus no estado.

Restou ao governador lamentar a tragédia e pedir a colaboração dos capixabas, recorrendo à média móvel de óbitos – que elimina distorções causadas por subnotificações nos finais de semana – em escalada.

“Nos chegamos hoje a maior média móvel de óbitos de 14 dias. Chegamos hoje a 56,29 pessoas que perdem a vida todos os dias, na média de 14 dias. A taxa de ocupação de leitos de UTI e o número de pessoas que estamos perdendo todos os dias exigem de nós um compromisso pra podermos reduzir a transmissão do vírus. As restrições econômicas e sociais não são suficientes. O que é suficiente é o seu compromisso. Estamos numa fase muito dura da doença. Perdendo muita gente. E é por isso que temos que estar juntos nesse trabalho”, apelou.

Novos leitos na Santa Casa, em Vitória – Foto: Hélio Filho/Secom

O apelo também se dirigiu aos prefeitos e demais agentes públicos municipais, a quem pediu para que intensifiquem a fiscalização do uso de máscaras de proteção por parte dos munícipes. Casagrande recorreu a exemplos de algumas cidades que adotaram medidas para multar o cidadão que não usar o equipamento facial em público.

“Também pedimos aos municípios que tomem decisões para fiscalizar o uso de máscara. Diversos já fizeram isso, é o exemplo de Anchieta, Jerônimo Monteiro, Vila Velha e Barra de São Francisco. Pedimos aos prefeitos estabeleçam por decreto ou por lei aprovada na Câmara a obrigatoriedade. Já é obrigatório em locais públicos, mas é bom que o município fiscalize”, pediu.

E sobre fiscalização, o governador afirmou que os agentes públicos de segurança, como bombeiros, policiais civis e militares, guardas municipais e servidores de vigilância sanitária continuarão a monitorar as praias. A intenção é evitar aglomerações de banhistas. Antes, porém, fez novo pedido para que as pessoas não frequentem as praias, reduzindo riscos.

“Neste final de semana, que é prolongado [em virtude do feriado estadual de Nossa Senhra da Penha, na segunda], nossa equipe de bombeiros policiais militares, civis, guardas e todas as instituições, como vigilância sanitária, estarão trabalhando, especialmente fiscalizando as praias para que não haja aglomeração. Primeiro, pedir que as pessoas não frequentem as praias. Segundo, se por alguma razão tiver que fazer alguma atividade, é isolado, sem aglomeração e o mais rápido que puder retornar pra sua residência”.

Próximo ao final do pronunciamento, Renato Casagrande aproveitou para falar sobre as vacinas. Reconheceu que a o envio por parte do Ministério da Saúde é lento, mas preferiu elogiar o processo de imunização promovido nos municípios capixabas e foi taxativo: “a solução é a vacina, enquanto não chega, a solução é o distanciamento e uso de máscara”.

“A solução definitiva é a vacina, que tem chegado numa velocidade pequena. Mas em relação ao que está chegando os municípios estão atuando e fazendo trabalho intenso. Fizemos reunião com municípios e pedimos que possam agilizar aplicação. Diversas cidades começaram a vacinar na faixa dos 60 anos. A solução é a vacina, enquanto não chega, a solução é o distanciamento e uso de máscara”, concluiu.

Crédito: Divulgação/PMVV

Momento de fé: grupo toca músicas para pacientes internados em hospital de Vitória

O momento delicado da pandemia, em que o Espírito Santo tem alta ocupação de leitos de UTI, é quando também algumas pessoas reservam na fé uma forma de acreditar na recuperação da vida. Pacientes internados do Hospital da Unimed, em Vitória, puderam ouvir na noite de quinta (8) músicas para tentar transmitir boas sensações. A iniciativa é de um grupo religioso, com violão e cantoria.

O perfil Capixaba da Gema publicou um vídeo. Confira!


Taxa de isolamento social no domingo é a menor das últimas duas semanas no ES

A taxa de isolamento social adotado no Espírito Santo no último domingo (4) foi de 52,4%. O número é inferior ao dos últimos dois domingos, em que o Estado permaneceu sobre o decreto de quarentena, quando foram registrados 54,1% e 52,9%, respectivamente.

O Estado está ainda distante dos 70% recomendados desde o início da pandemia. A média atual é de 45,78% de isolamento.

Os dados passaram a ser atualizados diariamente pelo Painel de Isolamento Social durante o período em que o governo do Estado adotou medidas mais restritivas para diminuir o impacto da pandemia da Covid-19.

Dos 78 municípios, apenas 12 possuem esta informação: Vitória, Vila Velha, Serra, Cariacica, Viana, Colatina, Linhares, Nova Venécia, São Mateus, Aracruz, Guarapari, Cachoeiro de Itapemirim.

Deles, Viana é o que registrou maior isolamento no domingo, de 54,96%. É também o município com a maior média nos últimos 30 dias, com 46,73%.


Mapa de Risco: saiba o que muda em cada critério de classificação no ES

Em pronunciamento na noite desta sexta-feira (2), o governador Renato Casagrande (PSB) anunciou novas medidas para a reduzir o impacto da pandemia de Covid-19. O transporte público continua suspenso na próxima semana em todo o Espírito Santo e deve voltar a funcionar a partir do dia 12 de abril. O comércio poderá novamente abrir, mas com horários pré-definidos. Nos municípios em risco extremo, durante três dias da semana.

O Governo do Estado vai voltar a seguir a matriz de risco para a análise do controle da pandemia em municípios e classificá-los, de acordo com o avanço da doença. Em todo o Espírito Santo, 37 municípios estão avaliados como em risco extremo.

É o caso das cidades da Grande Vitória. Casagrande explica que se duas delas estiverem em “risco maior”, os demais vão acompanhá-los.

Vamos continuar com restrições importantes. A partir de segunda, começaremos de novo a seguir a matriz de risco. Na Grande Vitória, quando dois estiverem em risco maior, os demais acompanham. Vamos fazer uma avaliação toda semana, mas o município mantém a posição de classificação por duas semanas“, fala o governador.

Outros 39 estão em risco alto, dois em moderado (Conceição da Barra e Ibitirama) e nenhum em risco baixo.

Mapa de Risco estabelecido a partir de segunda-feira (5) – Foto: Reprodução

Municípios em risco extremo: Apiacá, São José do Calçado, Muqui, Jerônimo Monteiro, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Vargem Alta, Muniz Freire, Ibatiba, Brejetuba, Venda Nova do Imigrante, Iconha, Piúma, Anchieta, Guarapari, Viana, Cariacica, Serra, Vitória, Vila Velha, Itarana, Baixo Guandu, João Neiva, Colatina, Linhares, Rio Bananal, Pancas, São Gabriel da Palha, Águia Branca, Mantenópolis, Barra de São Francisco, Água Doce do Norte, Nova Venécia, Vila Pavão, Boa Esperança e Pinheiros.

Risco alto: Bom Jesus do Norte, Mimoso do Sul, Presidente Kennedy, Atílio Vivácqua, Itapemirim, Rio Novo do Sul, Alegre, Guaçuí, Dores do Rio Preto, Divino São Lourenço, Irupi, Iúna, Conceição do Castelo, Alfredo Chaves, Marechal Floriano, Domingos Martins, Afonso Cláudio, Laranja da Terra, Santa Maria de Jetibá, Santa Leopoldina, Santa Teresa, Itaguaçu, Fundão, Ibiraçu, São Roque do Canaã, Aracruz, Marilândia, Governador Lindemberg, São Domingos do Norte, Alto Rio Novo, Vila Valério, Sooretama, Jaguaré, São Mateus, Pedro Canário, Montanha, Mucurici, Ponto Belo e Ecoporanga.

Risco moderado: Ibitirama e Conceição da Barra.

Ônibus

Apenas ônibus intermunicipais vão poder funcionar, porém com 50% da capacidade. Transcol, municipais e interestaduais permanecem parados. O retorno deve acontecer a partir do dia 12. No entanto, em risco extremo, circulará até às 22h. Para esta classificação, não haverá transporte coletivo aos fins de semana e feriados.

Para risco alto, acontecerá um escalonamento. Trabalhadores da indústria utilizam os coletivos até às 7h. Os de serviços, de 7h às 9h; e de comércio, de 9h às 11h.

Comércio

As medidas para risco moderado continuam as mesmas previstas em mapas anteriores.

Para risco alto, porém, ocorreram alterações. Uma portaria será publicada em uma publicação extra do Diário Oficial, no sábado (3), com todos os detalhes. Casagrande comentou sobre algumas medidas, que valem de segunda à sábado: bares, por exemplo, ficam fechados.

Restaurantes podem funcionar até às 16h. Comércio de rua abertos de 10h a 18h. Shoppings de 12h a 20h. Serviços a partir das 9h. Supermercados abertos até às 20h, exceto em fins de semanas e feriados.

Em risco extremo, o comércio poderá abrir apenas em três dias da semana. Quarta, quinta e sexta-feira. Nos mesmos horários do risco alto. Supermercados abertos até às 20h, exceto em fins de semanas e feriados.

Efeito da quarentena

Após 18 dias de quarentena, Casagrande afirma que houve redução no média de procedimentos de atendimento em hospitais em decorrência de outras doenças, o que alivia a pressão assistencial e possibilita que mais leitos sejam revertidos para pacientes que necessitem tratamento contra a Covid-19.

“Estamos concluindo um período de quarentena, que foi definido por nós como uma forma de reduzir a transmissão do vírus. Isso vai ser notado daqui a pouco porque o efeito demora um pouco mais de tempo. As pessoas que não foram contagiadas não vão exercer pressão. Outro motivo é a redução de casos de traumas e outras doenças que precisem de internação. Em clínicas médicas, tínhamos regulado 21,5 procedimentos. No período da quarentena, 14,5. Isso conseguiu aliviar e reverter leitos para Covid-19“, comenta Casagrande.

No entanto, o índice de isolamento social continuou abaixo de 50% nos últimos dias. O governador ressalta que a fiscalização e orientação a pessoas que estão em praias foi reforçada.

Mais leitos e testes

Novos leitos no Hospital Santa Casa, em Vitória – Foto: Hélio Filho/Secom

A expectativa anterior era que fossem abertos até 900 leitos de UTI no final de abril. A meta agora é atingir mais de 1.100, conforme se agrava os efeitos da pandemia na sociedade capixaba.

Para enfermaria, mais 300 leitos devem ser disponibilizados. Com isso, o Espírito Santo teria mais de 2,1 mil leitos para pacientes.

Temos estrutura de abrir, mas podemos ter risco de não ter medicamentos, kit intubação, de ter trabalhadores suficientes“, relata o governador.

Casagrande informou que o Estado distribuiu 120 mil testes rápidos, chamado RT-PCR. De outros 250 mil, 60 mil também foram destinados a municípios.

Apelo

O Índice de Transmissão da doença em todo o Estado está acima de 1, o que é considerado alto. No interior, o índice é superior ao da Grande Vitória. Casagrande diz que abril será um mês ainda de muitas mortes.

O mês de abril vai ser pesado, com muitas mortes. O momento exige cada vez mais de nós. Sei que tem gente que acha que o vírus é uma invenção. Se você crê no que acontece, saiba que nós nunca imaginamos viver o que estamos vivendo. Eu digo que é uma Terceira Guerra Mundial, o inimigo é o vírus. O mundo todo combate. Na França, foram tomadas medidas de restrição. Não é um problema capixaba. Mesmo que você que não concorda, não aprova o meu governo, é fundamental que considere o seu compromisso para ajudar a reduzir a transmissão do vírus“, diz o governador.


Covid-19: ES disponibiliza mais 126 leitos de UTI e enfermaria durante a semana

O Espírito Santo terá mais 126 leitos de UTI e enfermaria para tratamento de pacientes com Covid-19 a partir desta terça-feira (30). O anúncio foi feito pelo governador Renato Casagrande (PSB) nesta manhã. Deste total, 69 serão destinados para UTI e 57 para enfermaria.

O governador, no entanto, ressaltou que mesmo com a ampliação de leitos, é uma possibilidade real que os hospitais não consigam atender toda a população que precisar, devido o grave momento da pandemia no Estado.

Nós vínhamos falando que até o final de abril chegaríamos a 900 leitos de UTI, mas nós antecipamos isso ainda para o fim de março. Vocês estão vendo o nosso esforço. Amanhã teremos 905 leitos. Abrimos 211 do início de março até agora, só que nesse tempo, até a segunda (29), temos internados 292 pacientes a mais, um número mais veloz. […] Nós não podemos garantir que terá leito para todo mundo a todo momento“, fala Casagrande.

No início de março, o Estado tinha 694 leitos de UTI e, ao fim do mês, terá 905. Ou seja, 211 leitos a mais nesse período. Houve ampliação também em enfermaria. De 436 para 703 leitos disponíveis, mais 267 abertos em um mês.

Durante o anúncio, Casagrande comparou o número de leitos abertos durante março, ao todo, 439, com a capacidade de hospitais de campanha. Segundo o secretário de Saúde, Nésio Fernandes, com a quantidade seria possível abrir cerca de quatro desses locais de atendimentos à pacientes.

Nestes hospitais, contudo, não haveria a mesma estrutura para atender quadros mais graves da doença, explica.

Os leitos são abertos em estruturas permanentes, maduras, em hospitais que já possuem indicadores assistenciais no cuidado dos pacientes, possuem capacidade de logística, de suprimento de medicamentos. Trabalhamos com planejamento estratégico. Em dezembro, previmos o que poderia acontecer e estabelecemos uma agenda robusta de ampliação para que o Sistema Único de Saúde fosse fortalecido“, diz o secretário.

Casagrande ao lado de Nésio Fernandes e o subsecretário de Estado de Regulação, Controle e Avaliação em Saúde, Gleikson Barbosa – Foto: Hélio Filho/Secom

Casagrande e Nésio reforçaram a necessidade de usar máscaras e respeitar os protocolos estabelecidos para que o impacto da pandemia na demanda por assistência hospitalar e o número de óbitos sejam reduzidos.

A média móvel de mortes aponta que o Espírito Santo teve o maior aumento de pacientes que vêm a óbito em todo o país. Na segunda-feira (29), ocorreu o recorde negativo de 89 mortes registradas.

Onde estarão os novos leitos:

Hospital Evangélico Vila Velha – 10 leitos de UTI – nesta terça

Hospital São Lucas – 10 leitos de UTI – nesta terça

Santa Casa de Misericórdia de Vitória – 7 leitos de UTI – nesta terça

Santa Casa de Misericórdia de Castelo – 10 leitos de UTI e 10 de enfermaria – nesta terça

Hospital Roberto Silvares, em São Mateus – 15 leitos de enfermaria – nesta terça

Hospital São Camilo, em Aracruz – 8 leitos de enfermaria – na quarta

Hospital Madre Regina Protmann, Santa Teresa – 6 leitos de enfermaria – na quarta

Hospital Estadual João Santos Neves, em Baixo Guandu – 12 leitos de enfermaria – na quarta

Hospital Rio Doce, em Linhares – 2 leitos de UTI – na quarta

Hospital Evangélico, em Cachoeiro de Itapemirim – 10 leitos de UTI – na quinta

Santa Casa de Misericórdia de Vitoria – 10 leitos de UTI – na sexta

Hospital Menino Jesus, em Itapemirim – 10 leitos de UTI e 6 de enfermaria – no domingo


Samu fez 160 remoções de pacientes graves da Covid-19 apenas neste domingo (28)

O agravamento da pandemia de Covid-19 traz números expressivos que apontam o tamanho da tragédia. No dia em que o Espírito Santo registrou 89 mortes em 24 horas, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) desta segunda-feira (29), o titular da pasta, Nésio Fernandes, revela que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) realizou 160 remoções de pacientes graves da doença apenas neste domingo (28).

“Ontem [domingo], foi o terceiro dia do ano que o SAMU mais realizou remoções de pacientes graves. Foram 160 remoções do SAMU no Estado do Espírito Santo que resultaram em internações hospitalares. Até às 14h [desta segunda] já haviam ocorrido 54 remoções do SAMU com internações hospitalares”, disse.

O secretário ressaltou o tamanho da pressão sobre o sistema de saúde estadual, classificando como “uma capacidade crítica”. A fala foi concedida durante entrevista coletiva realizada nesta segunda.

“Nós temos, neste momento, a rede pré-hospitalar, a rede hospitalar com tempo de resposta entre a solicitação do recurso e internação do paciente já sendo comprometido com o desempenho muito inferior àquele que a gente conseguia estabelecer em outros momentos da pandemia. Já passamos a operar a rede assistencial do Estado com uma capacidade crítica”, destacou.

Após divulgar os números e fazer um balanço da situação em que se encontra o sistema de saúde no Espírito Santo, Nésio Fernandes fez novo apelo à população para que fique em casa e que avalie a intensidade do sintomas da Covid-19, procurando o atendimento adequado a cada condição apresentada.

“É isso que precisa ficar claro para toda a população. Não saia de casa, somente se for para uma atividade essencial, somente se for para ser avaliado em um serviço de saúde na atenção básica, caso vocês tenham sintomas leves. Se tenham sintomas um pouco mais preocupantes ou sintomas leves e em período fora do horário comercial, procurem uma UPA ou um pronto-socorro, procurem um pronto-atendimento. E se estiver muito grave, ligue para o 192, para o Samu, para que ele possa fazer o atendimento e realizar a devida orientação”, concluiu.


Paralisados desde 2020, dados do isolamento social no ES voltarão a ser divulgados

0
Foto: Reprodução

Paralisados desde o dia 29 de agosto do ano passado, os dados do isolamento social em todas as cidades do Espírito Santo devem voltar a ser divulgados em breve. A informação foi confirmada pelo governador Renato Casagrande (PSB), durante coletiva de imprensa nesta sexta-feira (26).

De acordo com o Painel Covid-19 do Governo do Estado, responsável por divulgar as informações sobre a pandemia para a população, o serviço foi descontinuado pelas operadoras de telefonia, que eram responsáveis por medir o índice de isolamento entre as pessoas.

Confira os dados do isolamento social no Painel Covid-19 do Governo do Estado

O governador explicou que o Governo assinou novamente um contrato com as operadores para a retomada do serviço, e que recebeu a confirmação do cadastro do Espírito Santo na plataforma de análise de dados de isolamento social que solicitada esta semana. Além disso, que o Instituo Jones está coordenando a volta desse serviço.

“A gente reativou o contrato que permite que a gente tenha acesso a esse serviço”, disse Casagrande.

A assessoria de comunicação do governador informou também que não existe data certa para a retomada da divulgação dos dados, e que “o Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo (Prodest) está correndo para por no ar o mais rápido possível e que a assinatura com as operadoras foi renovada há poucos dias”.


Prefeitura de Vila Velha abre mais 400 vagas de vacinação contra Covid-19

A Prefeitura de Vila Velha anunciou que abre, às 20h desta quarta-feira (24), mais 400 vagas para agendamento de vacinação contra a Covid-19, destinada a idosos de 70 a 74 anos. Serão 200 vagas para esta quinta-feira (25) e outras 200 para a próxima sexta-feira (26), no sistema drive-thru do shopping Vila Velha, no bairro Boa Vista, a partir das 9h.

Esse agendamento é para aplicação da primeira dose e pode ser feito no site oficial da prefeitura.  Até o momento, 51.208 pessoas foram vacinadas no município, das quais 48.039 com a primeira dose e 15.334 com a segunda, de acordo com o Painel de Vacinação da Secretaria de Estado da Saúde.

 


Governo anuncia mais 20 leitos de UTI Covid-19 no São Lucas, em Vitória

Crédito: Reprodução/Facebook

O Hospital São Lucas, em Vitória, vai ganhar 20 novos leitos de UTI para Covid-19, nesta terça-feira (23). A entrega será às 7h e foi anunciada pelo governador Renato Casagrande, durante live transmitida em suas redes sociais, que prevê ainda a abertura de outras 10 unidades nos próximos dias.

Hoje, o renomeado Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE) tem apenas seis leitos totais exclusivos para tratamento de pacientes da Covid-19, dos quais três de enfermaria e três de UTI; todos ocupados. Com a entrega das 20 unidades desta terça e as 10 previstas para o decorrer semana, o número de leitos salta para 36.

O HEUE possui 161, entre enfermaria (121) e UTI (40), para tratamento de outra doenças, e também estão com 100% de ocupação. Os dados são da última atualização do Painel de Ocupação de Leitos, divulgado diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Durante o anúncio, Casagrande lembrou que a no dia 1° de março havia 525 pacientes em leitos de UTI, número este que saltou para 744 enfermos da Covid-19 em leitos de UTI.

“Mais de 200 pacientes a mais em 22 dias dias em leitos de UTI. Nós estamos vendo o crescimento da doença e a demanda por leitos. Os hospitais estão sobrecarregados. Os profissionais saúde estão exaustos, literalmente”, disse.

Crédito: Reprodução

O aumento ininterrupto da ocupação de leitos é uma das principais preocupações. O governador lamentou a velocidade com que a demanda por leitos cresce em comparação com a oferta de unidades, especialmente no que chamou de pior momento da pandemia no Brasil e no Espírito Santo.

“O sistema público esta pressionado, o sistema particular também está pressionado. Nós estamos abrindo leitos de UTI, estamos atendendo todos que precisam de um leito de UTI e de enfermaria, mas é o pior momento da pandemia no Brasil. É o pior momento da pandemia no Estado do no Espírito Santo. A gente abre os leitos, mas a gente não pode garantir que nesta velocidade nós vamos ter leitos para todo mundo, sempre”, afirmou.

Em meio às críticas de parte da população, principalmente de comerciantes, às restrições impostas pela quarentena iniciada na última quinta-feira (18), Renato Casagrande fez novamente a defesa das medidas decretadas.

“Nós decretamos uma quarentena que não é brincadeira, não é polemica. Nós precisamos tentar reduzir a transmissão do vírus. Vocês estão vendo os depoimentos de profissionais de saúde, o cansaço deles, o esgotamento. Então é preciso que a gente compreenda o momento que a gente tá vivendo. É por isso que a gente está abrindo leitos, mas abrir leitos só não resolve o problema. Chega uma hora que não tem mais profissionais de saúde, medicamentos, equipamentos, insumos. Chega uma hora que tem um limite”, alertou o governador, ressaltando a agressividade de transmissão da doença, que hoje tem novas variantes circulando, e que nem leitos disponíveis garantem a sobrevivência de todos os doentes.

A fala de Casagrande foi endossada pelo secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, presente na ocasião. Ele também fez a defesa da quarentena e pediu compreensão da população.

“Já é mais de um ano enfrentando a pandemia, resistindo, insistindo todos os dias no diálogo com a população, mobilizando trabalhadores do SUS, da saúde privada. Todo mundo está se dedicando para poder salvar vidas. Precisamos que a população entenda que essa quarentena é para interromper essa transmissão de maneira radical. [Com] Ela funcionando nós podemos interromper a aceleração da curva de casos e permitir que o sistema de saúde consiga comportar essa pressão, e a gente consiga garantir leito para todos. No entanto, se não houver uma adesão plena, se a quarentena for frustrada, nós podemos chegar num momento em que não tenha leito para todos. Nós não queremos que isso aconteça. Estamos lutando orientados pelas melhores opções, pelas evidências científicas, pelas estratégias que deram certo no mundo. Para isso a gente faz um apelo: que as pessoas se isolem em casa, e esse isolamento não é só para quem pegou a doença, é para todo mundo” reforçou Nésio.


48º Mapa de Risco: ES tem 17 municípios em risco alto para a Covid-19

Foto: Divulgação Governo do ES

Durante pronunciamento nesta sexta-feira (12), o governador Renato Casagrande (PSB) anunciou que Espírito Santo voltou a ter municípios em risco alto para a Covid-19, de acordo com o 48º Mapa de Risco para a doença no estado. Ao todo, são 17 cidades em alerta máximo, 61 em risco moderado e nenhum município em risco baixo.

Os municípios em risco alto para o novo coronavírus são: Pedro Canário, Boa Esperança. Vila Pavão, Barra de São Francisco, Águia Branca, Aracruz, João Neiva, Santa Teresa, Serra, Vila Velha, Afonso Cláudio, Brejetuba, Ibatiba, Cachoeiro de Itapemirim, Muqui, Píuma e Presidente Kenedy.

Foto: Divulgação Governo do ES

A Matriz de Risco de Convivência considera no eixo de ameaça: o coeficiente de casos ativos por município dos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias. Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19, isto é, a disponibilidade máxima de leitos para tratamento da doença. A estratégia de mapeamento de risco teve início no dia 20 de abril.

O Mapa de Risco segue as orientações dos boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde e recomendações da equipe de especialistas do Centro de Comando e Controle (CCC) Covid-19 no Espírito Santo, que é composto pelo Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Secretaria da Saúde (Sesa), Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). As decisões adotadas pelo Governo do Estado seguem parâmetros técnicos.


Piúma continua como único município em risco alto para Covid-19 no ES

Assim como na semana passada, Piúma é o único município do Espírito Santo na faixa vermelha, ou seja, em risco alto, no 46° Mapa de Risco para a Covid-19. Elaborado pelo governo do Estado e divulgado nesta sexta-feira (26), o mapa aponta outros 36 em risco moderado e 41 em risco baixo e estará em vigor de segunda-feira (1º) a domingo (07).

O mapa foi divulgado durante pronunciamento do governador Renato Casagrande (PSB) nesta sexta-feira (26). De acordo com o chefe do executivo, o Espírito Santo apresenta uma estabilidade em relação a pandemia da Covid-19, e explicou que o maior crescimento dos números nessa segunda fase da doença aconteceu em dezembro e janeiro.

“Temos um controle do numero de leitos ocupados, mas  não é uma situação que exige que a gente permita ser muito flexível, que a gente não tenha os cuidados necessários”, disse o governador.

Foto: Divulgação/Governo do Espírito Santo

Vacina, testes e oxímetros

Casagrande também explicou que o Espírito Santo está recebendo vacinas em números pequenos, mas que todas que chegam o estado já começa o processo de vacinação e distribuição para os municípios. Além disso, que a prioridade agora é proteger as pessoas mais vulneráveis.

“Espero que a partir de março a gente normalize o recebimento de vacinas, que a gente comece a receber as vacinas em maior quantidade, para a gente atingir rapidamente essas pessoas”, disse.

Casagrande ainda anunciou que o Espírito Santo recebeu 62 mil testes antígenos da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), que são testes rápidos feitos a partir da secreção no nariz, que mostra a presença do vírus em poucos minutos. Além disso, que o Estado irá comprar mais 250 mil testes como esse.

Também anunciou que a partir da próxima segunda-feira (26), quatro mil oxímetros serão distribuídos para fazer a medição da oxigenação do sangue, com o objetivo de acompanhar a gravidade da doença nos pacientes.



Apenas Piúma em risco alto para Covid-19 no 45° Mapa de Risco no ES

45° Mapa de Risco desta semana tem vigência até 28 de fevereiro –
Foto: Divulgação/Governo do Espírito Santo

Piúma é o único município do Espírito Santo na faixa vermelha, ou seja, em risco alto, no 45° Mapa de Risco para a Covid-19. Elaborado pelo governo do Estado e divulgado nesta sexta-feira (19), o mapa aponta outros 36 em risco moderado e 41 em risco baixo e estará em vigor de segunda-feira (22) a domingo (28).

Águia Branca, Montanha e Venda Nova, em risco alto no último mapa, voltaram para o risco moderado. Confira a classificação de todos os municípios capixabas:

RISCO ALTO: Piúma

RISCO MODERADO: Afonso Cláudio, Águia Branca, Alto Rio Novo , Anchieta, Aracruz, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Divino de São Lourenço, Ecoporanga, Governador Lindenberg, Guarapari, Ibatiba, Ibiraçu, Irupi, Iúna, Jerônimo Monteiro, João Neiva, Linhares, Mantenópolis, Marechal Floriano, Mimoso do Sul, Montanha, Presidente Kennedy, Rio Bananal, Santa Teresa, São Mateus, Sooretama, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila Valério, Vila Velha e Vitória.

RISCO BAIXO: Água Doce do Norte, Alegre, Alfredo Chaves, Apiacá, Atílio Vivácqua, Baixo Guandu, Bom Jesus do Norte, Brejetuba, Castelo, Conceição da Barra, Conceição do Castelo, Domingos Martins, Dores do Rio Preto, Fundão, Guaçuí, Ibitirama, Iconha, Itaguaçu, Itapemirim, Itarana, Jaguaré, Laranja da Terra, Marataízes, Marilândia, Mucurici, Muniz Freire, Muqui, Nova Venécia, Pancas, Pedro Canário, Pinheiros, Ponto Belo, Rio Novo do Sul, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, São Domingos do Norte, São Gabriel da Palha, São José do Calçado, São Roque do Canaã, Serra e Vila Pavão.

A Matriz de Risco de Convivência considera no eixo de ameaça: o coeficiente de casos ativos por município dos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias. Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19, isto é, a disponibilidade máxima de leitos para tratamento da doença. A estratégia de mapeamento de risco teve início no dia 20 de abril.

O Mapa de Risco segue as orientações dos boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde e recomendações da equipe de especialistas do Centro de Comando e Controle (CCC) Covid-19 no Espírito Santo, que é composto pelo Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Secretaria da Saúde (Sesa), Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). As decisões adotadas pelo Governo do Estado seguem parâmetros técnicos.


Covid-19: Fiocruz recebe mais 2 milhões de doses na próxima semana

Foto: Itamar Crispim/Fiocruz

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) deve receber até o fim da próxima semana mais 2 milhões de doses da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19. O material, que já vem pronto para ser aplicado, foi produzido pelo Instituto Serum, da Índia. A Fiocruz fará apenas a rotulagem para distribuição pelo Programa Nacional de Imunizações.

Outros 8 milhões de doses estão previstos pelo acordo com os parceiros AstraZeneca e Instituto Serum, mas ainda não há data prevista para o recebimento. Em janeiro deste ano, a Fiocruz já havia recebido 2 milhões de doses da vacina.

A estratégia de receber doses prontas é uma iniciativa paralela à produção própria feita pela Fiocruz, a partir da importação do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA).

*Por Agência Brasil


Mapa da Covid-19: Guarapari e Anchieta fora do risco alto para a doença no ES; veja os dados completos

O Espírito Santo tem três municípios na faixa vermelha, ou seja, em risco alto, no 43° Mapa de Risco para a Covid-19. Elaborado pelo governo do Estado e divulgado nesta sexta-feira (22), o mapa aponta ainda outros 37 em risco moderado e 38 em risco baixo. Guarapari e Anchieta, que estavam em risco alto no último mapa, voltaram para o risco moderado.

Os municípios na faixa vermelha são: Águia Branca, Montanha e Venda Nova. Em função do carnaval, extraordinariamente o mapa entra em vigor neste sábado (13).

O Mapa

A Matriz de Risco de Convivência considera no eixo de ameaça: o coeficiente de casos ativos por município dos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias. Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19, isto é, a disponibilidade máxima de leitos para tratamento da doença. A estratégia de mapeamento de risco teve início no dia 20 de abril.

O Mapa de Risco segue as orientações dos boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde e recomendações da equipe de especialistas do Centro de Comando e Controle (CCC) Covid-19 no Espírito Santo, que é composto pelo Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Secretaria da Saúde (Sesa), Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). As decisões adotadas pelo Governo do Estado seguem parâmetros técnicos.

Confira a classificação de todos os municípios capixabas:

RISCO ALTO: Águia Branca, Montanha e Venda Nova do Imigrante.

RISCO MODERADO: Afonso Cláudio, Anchieta, Aracruz, Barra de São Francisco, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Divino de São Lourenço, Ecoporanga, Fundão, Governador Lindenberg, Guaçuí, Guarapari, Ibatiba, Ibiraçu, Iconha, Irupi, Iúna, Jerônimo Monteiro, João Neiva, Linhares, Marataízes, Marechal Floriano, Marilândia, Mimoso do Sul, Mucurici, Nova Venécia, Piúma, Ponto Belo, Presidente Kennedy, Rio Bananal, São Mateus, Serra, Sooretama, Vargem Alta, Vila Valério, Vila Velha e Vitória.

RISCO BAIXO: Água Doce do Norte, Alegre, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Apiacá, Atílio Vivácqua, Baixo Guandu, Boa Esperança, Bom Jesus do Norte, Brejetuba, Castelo, Colatina, Conceição da Barra, Conceição do Castelo, Domingos Martins, Dores do Rio Preto, Ibitirama, Itaguaçu, Itapemirim, Itarana, Jaguaré, Laranja da Terra, Mantenópolis, Muniz Freire, Muqui, Pancas, Pedro Canário, Pinheiros, Rio Novo do Sul, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, São Domingos do Norte, São Gabriel da Palha, São José do Calçado, São Roque do Canaã, Viana e Vila Pavão.


[Vídeo] Pediatra discute retorno das aulas em formato híbrido nas escolas estaduais do ES

Foto: Reprodução

As escolas estaduais do Espírito Santo, que estão localizadas nas regiões com risco baixo ou moderado de contaminação pelo novo coronavírus, retomaram o período letivo nesta quinta-feira (04). As aulas do semestre funcionarão em regime híbrido, ou seja, com atividades presenciais e online.

O quadro Movimento Saúde entrevistou o médico pediatra e ex-presidente da Sociedade Espírito Santense de Pediatria (Soespe), Rodrigo Aboudib, que discutiu sobre a segurança do atual modelo de ensino e a necessidade da retomada do estudo presencial no Brasil e em terras capixabas.

Segundo o especialista, é preciso reforçar as medidas sanitárias nas escolas. As instituições, os professores e os alunos precisam respeitar o distanciamento social, higienizar frequentemente as mãos, manter os ambientes ventilados e fazer a troca da máscara de duas em duas horas.

Já os pais devem se ater aos cuidados dos filhos, observando se algum deles apresenta sintomas da doença e evitar que sejam mandados para o colégio. Veja a entrevista completa:


Primeiro lote de IFA para vacina Oxford/AstraZeneca deve chegar no sábado (06)

O primeiro lote de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) para a produção da vacina Oxford/AstraZeneca no Brasil foi liberado por autoridades chinesas e deve chegar ao Rio de Janeiro no próximo sábado (6). A informação é da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que fará a formulação e o envase das doses.

O voo com o IFA está previsto para decolar de Xangai às 7h35 de amanhã (5) no horário local, o que equivale às 20h35 de hoje (4) no horário de Brasília. O avião deve pousar no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro às 17h50 de sábado.

O ingrediente farmacêutico ativo foi produzido na China pelo laboratório Wuxi Biologics, contratado pela farmacêutica AstraZeneca, que desenvolveu a vacina em parceria com a Universidade de Oxford.

O primeiro lote do IFA já estava pronto desde o mês passado e aguardava licença de exportação e a conclusão de procedimentos alfandegários para que o envio pudesse ocorrer.

O governo brasileiro assinou um acordo com a farmacêutica europeia e a universidade britânica para que a vacina pudesse ser produzida no Brasil, no Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz).

Inicialmente, o Brasil vai produzir a vacina com IFA importado da China, porém, o acordo também prevê transferência de tecnologia para nacionalizar a produção do insumo, o que deve ocorrer no segundo semestre.

A Fiocruz espera o envio de 14 remessas de IFA ao longo do primeiro semestre, cada uma delas com insumo suficiente para produzir 7,5 milhões de doses. As primeiras duas remessas deveriam ter chegado em janeiro, e o contrato prevê que a fundação receba o suficiente para produzir 100,4 milhões de doses até julho.

Após a nacionalização do IFA, a Fiocruz poderá produzir mais 110 milhões de doses, chegando a 210,4 milhões de doses até o fim de 2021.

A vacina Oxford/AstraZeneca já está sendo aplicada no Brasil devido à importação de 2 milhões de doses prontas, que foram produzidas pelo Instituto Serum, parceiro dos desenvolvedores do imunizante na Índia.

*Por Agência Brasil


“Vacinômetro”: governo lança ferramenta para monitorar vacinação no ES

Nesta terça-feira (26), o Painel Covid-19 do governo do Estado passou a contar com uma nova ferramenta de atualização do processo de imunização da população contra a doença. Batizado “Vacinômetro”, o mecanismo – já em funcionamento – apresenta a quantidade de vacinas disponíveis, já aplicadas e o número de pessoas imunizadas.

O anúncio foi feito no final da tarde desta terça pelo governador Renato Casagrande, durante pronunciamento transmitido via YouTube e Facebook.

“Essas informações estarão no Painel Covid-19. Hoje é uma fonte para muitas pessoas, pesquisa, meios de comunicação, tem detalhes de toda a história da Covid-19. Entrando no Painel, haverá o ícone de Trabalha, Vacina e Confia [slogan da campanha de imunização no Espírito Santo], disse Casagrande, que também divulgou o novo painel nas redes sociais.

 

O “Vacinômetro” traz os números gerais e também os divide por municípios e grupo prioritário (que neste momento são englobados na primeira fase de vacinação do plano estadual), apresentando a quantidade de doses disponíveis e aplicadas, bem como o percentual das populações imunizadas.

Pertencem ao grupo prioritário: profissionais de saúde que atuam diretamente no combate à Covid-19, idosos em instituições de longa permanência, profissionais de saúde, indígenas e deficientes internados na rede hospitalar.

Vacinação no ES e municípios

De acordo com o Painel de Vacinação, cujos primeiros dados já foram inseridos nesta terça, o Espírito Santo possui 153.020 para atender 129.374 pessoas pertencentes ao grupo prioritário. Nesta primeira fase, foram distribuídas entre os municípios 82.862 doses. Há 64% de cobertura do grupo prioritário da fase atual.

A ferramenta aponta que há doses suficientes para 100% de cobertura de indígenas (2.793), idosos em instituições de longa permanência (2.077) e deficientes institucionalizados (88). No caso dos profissionais da saúde, que são 124.416 trabalhadores, há 63% de cobertura, o que representa 77.904 doses.

Segundo os dados inseridos já nesta terça, Vitória é a cidade com maior número de pessoas vacinadas, são 14.815, o que representa 69% dos 21.369 indivíduos inseridos no grupo prioritário. Em seguida aparecem, respectivamente: Vila Velha, com 12.635 de 18.116 pessoas vacinadas (70%), Serra, que já imunizou 10.922 de 15.723 (69%), e Cariacica, com 6.677 vacinados de 9.637 (69%).

O município com maior taxa de vacinação do grupo prioritário é Aracruz, no Norte do Estado, que atingiu 85% do público-alvo da primeira fase de grupo prioritário, o que significa 4.675 pessoas vacinadas de um total de 5.495.


Quatro municípios em risco alto no 41° Mapa de Risco da Covid-19 no ES

Fonte: Governo do Estado do Espírito Santo

O Espírito Santo tem quatro municípios na faixa vermelha, ou seja, em risco alto, no 41° Mapa de Risco para a Covid-19. Elaborado pelo governo do Estado e divulgado no final da tarde desta sexta-feira (22), o mapa aponta ainda outros 53 em risco moderado e 21 em risco baixo.

Os municípios na faixa vermelha são: Bom Jesus do norte, Guaçuí, Montanha e Muniz Freire. O mapa entra em vigor na próxima segunda-feira (25) e segue até domingo (30).

O cenário geral do Espírito Santo teve uma leve melhora em relação ao mapa anterior, quando eram oito cidades em risco alto para a Covid-19.

Fonte: Governo do Estado do Espírito Santo

Mais de 5,6 mil óbitos no ES

Nesta sexta, o Espírito Santo registrou mais 19 mortes pelo novo coronavírus, e total de óbitos até o momento é de 5.634. Com a atualização do Painel da Covid-19 foram contabilizados nas últimas 24 horas mais 1.952 novos casos da doença no Estado, e o total de infectados desde o início da pandemia é 283.996.

As informações constam no Painel Covid-19, plataforma online do governo do Estado que contém os dados da doença. Até o momento, 858.854 testes do novo coronavírus foram realizados em todo o Espírito Santo. A letalidade da doença no Estado continua em 2,0%.

O Mapa

A Matriz de Risco de Convivência considera no eixo de ameaça: o coeficiente de casos ativos por município dos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias. Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19, isto é, a disponibilidade máxima de leitos para tratamento da doença. A estratégia de mapeamento de risco teve início no dia 20 de abril.

O Mapa de Risco segue as orientações dos boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde e recomendações da equipe de especialistas do Centro de Comando e Controle (CCC) Covid-19 no Espírito Santo, que é composto pelo Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Secretaria da Saúde (Sesa), Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). As decisões adotadas pelo Governo do Estado seguem parâmetros técnicos.

Ministério da Saúde não informou ao ES sobre distribuição de doses vindas da Índia

As duas milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford devem chegar ao Brasil nesta sexta-feira (22). A expectativa do Ministério da Saúde é distribuí-las a partir de sábado. Ainda não há detalhamento sobre a quantidade de imunizantes que vão ser destinados aos estados.

No Espírito Santo, a Secretaria da Saúde (Sesa) informou em nota que ainda não teve informações oficiais do Ministério da Saúde sobre o acesso que terá às novas doses.

Até o momento, o Estado recebeu 101.320 doses da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan e o laboratório Sinovac. Até quinta-feira (21), mais de cinco mil pessoas foram vacinadas.

AstraZeneca

As vacinas devem chegar ao Brasil nesta sexta-feira, no fim da tarde. A carga vinda da Índia será transportada em voo comercial da companhia Emirates ao aeroporto de Guarulhos e, após os trâmites alfandegários, seguirá em aeronave da Azul para o Aeroporto internacional Tom Jobim, no Rio de janeiro.

De acordo com a Fiocruz, assim que chegarem à instituição, as vacinas passarão por checagem de qualidade e segurança, além de rotulagem, com etiquetagem das caixas com informações em português. A previsão é que esse processo seja realizado até manhã de sábado (23) por equipes treinadas em boas práticas de produção. As vacinas devem ser liberadas para distribuição no período da tarde.

Ao longo de todo o trajeto até Bio-Manguinhos/Fiocruz, as vacinas estarão armazenadas em seis caixas do tipo pallets, que serão acondicionadas em envirotainers, pequenos containers utilizados para transportes de carga que necessita de controle de temperatura. Nesses envirotainers, as vacinas serão mantidas na temperatura entre 2 a 8ºC”, informou a Fiocruz.

*Matéria feita com apuração do Movimento Online e também com informações da Agência Brasil


São Mateus, Anchieta e mais seis cidades em risco alto para a Covid-19 no ES

O Espírito Santo segue com oito municípios na faixa vermelha, ou seja, em risco alto, do 4° Mapa de Risco para a Covid-19, elaborado pelo governo do Estado, que aponta ainda outros 52 em risco moderado e 18 em risco baixo. O anúncio foi feito pelo governador Renato Casagrande em sua conta oficial no Twitter, no início da noite da última sexta-feira (15).

Os municípios na faixa vermelha são: Guaçuí, Mimoso do Sul, São Mateus, Anchieta, Iúna, Conceição de Castelo, Apiacá e Bom Jesus do Norte.

Foto: Divulgação Secom

O mapa entra em vigor na próxima segunda-feira (11) e segue até domingo (17). Mesmo sem aumento no número de cidades em risco alto, Casagrande reforçou pedidos de respeito às restrições sanitárias, especialmente em relação às aglomerações, que devem ser evitadas.

 

Quase 5.500 mortes no ES

Nesta sexta-feira (15), o Espírito Santo registrou mais 24 mortes pelo novo coronavírus, e total de óbitos até o momento é de 5.474. Com a atualização do Painel da Covid-19 foram contabilizados nas últimas 24 horas mais 1.990 novos casos da doença no Estado, e o total de infectados desde o início da pandemia é 273.031.

As informações constam no Painel Covid-19, plataforma online do governo do Estado que contém os dados da doença. Até o momento, 831.663 testes do novo coronavírus foram realizados em todo o Espírito Santo. A letalidade da doença no Estado continua em 2,0%.

A ocupação de leitos para a Covid-19 no Espírito Santo atualmente está em 76,65%, sendo que 77,04% dos leitos ocupados são de UTI Covid e 70,23 são de enfermaria Covid.

Confira a classificação de todos os municípios capixabas:

RISCO ALTO: Anchieta, Apiacá, Bom Jesus do Norte, Conceição do Castelo, Guaçuí, Iúna, Mimoso do Sul e São Mateus.

RISCO MODERADO: Afonso Cláudio, Águia Branca, Alegre, Alfredo Chaves, Aracruz, Atílio Vivácqua, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Brejetuba, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Conceição da Barra, Divino de São Lourenço, Domingos Martins, Fundão, Governador Lindenberg, Guarapari, Ibatiba, Ibiraçu, Ibitirama, Iconha, Jaguaré, Jerônimo Monteiro, João Neiva, Linhares, Mantenópolis, Marataízes, Marilândia, Montanha, Mucurici, Muniz Freire, Pancas, Pinheiros, Piúma, Ponto Belo, Presidente Kennedy, Rio Bananal, Santa Leopoldina, Santa Teresa, São Domingos do Norte, São José do Calçado, São Roque do Canaã, Serra, Sooretama, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila Valério, Vila Velha e Vitória.

RISCO BAIXO: Água Doce do Norte, Alto Rio Novo, Castelo, Dores do Rio Preto, Ecoporanga, Irupi, Itaguaçu, Itapemirim, Itarana, Laranja da Terra, Marechal Floriano, Muqui, Nova Venécia, Pedro Canário, Rio Novo do Sul, Santa Maria de Jetibá, São Gabriel da Palha e Vila Pavão.


[Vídeo] Você conhece a reflexologia clínica? Técnica trata doenças crônicas por meio dos pés

Os pés podem dizer mais do que se imagina, prova disso, é que vários tipos de patologia são tratados através deles e a técnica responsável por esse tratamento é a reflexologia que de forma fisiológica mostra como essa parte do corpo consegue espelhar todas as outras. Além de revelar e investigar aspectos emocionais do paciente.

Neste episódio do Movimento Saúde conversamos mais sobre essa medicina alternativa com o reflexologista Silvano Soares, que também é CEO do Centro Brasileiro de Reflexologia, e conhecemos a história de Fernando Purificati, de 62 anos, que recebeu um prognóstico de tumor cerebral e precisou fazer 42 sessões de quimioterapia. Fernando afirma que as sessões de reflexologia impediram que os efeitos colaterais do tratamento viessem à tona. Assista na íntegra:


ES segue com oito municípios em risco alto no 39° Mapa de Risco da Covid-19

O Espírito Santo segue com oito municípios na faixa vermelha, ou seja, em risco alto, do 39° Mapa de Risco para a Covid-19, elaborado pelo governo do Estado, que aponta ainda outros 59 em risco moderado e 11 em risco baixo. O anúncio foi feito pelo governador Renato Casagrande em sua conta oficial no Twitter, no início da noite desta sexta-feira (8).

Os municípios na faixa vermelha são: Colatina, Governador Lindenberg, Guaçuí, Marilândia, Mimoso do Sul, Muniz Freire, São Mateus e Venda Nova do Imigrante.

O mapa entra em vigor na próxima segunda-feira (11) e segue até domingo (17). Mesmo sem aumento no número de cidades em risco alto, Casagrande reforçou pedidos de respeito às restrições sanitárias, especialmente em relação às aglomerações, que devem ser evitadas.

“Seguimos com atenção redobrada, respeitando os protocolos de saúde e evitando aglomerações. Cada um precisa fazer sua parte“, escreveu o governador na publicação.

 

Mais de 5 mil mortos no ES

Nesta sexta-feira (8), o Espírito Santo registrou mais 22 mortes pelo novo coronavírus, e total de óbitos até o momento é de 5.265. Com a atualização do Painel da Covid-19 foram contabilizados nas últimas 24 horas mais 2.029 novos casos da doença no Estado, e o total de infectados desde o início da pandemia é 260.970.

As informações constam no Painel Covid-19, plataforma online do governo do Estado que contém os dados da doença. Até o momento, 801.094 testes do novo coronavírus foram realizados em todo o Espírito Santo. A letalidade da doença no Estado continua em 2,0%.

O Mapa

A Matriz de Risco de Convivência considera no eixo de ameaça: o coeficiente de casos ativos por município dos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias. Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19, isto é, a disponibilidade máxima de leitos para tratamento da doença. A estratégia de mapeamento de risco teve início no dia 20 de abril.

O Mapa de Risco segue as orientações dos boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde e recomendações da equipe de especialistas do Centro de Comando e Controle (CCC) Covid-19 no Espírito Santo, que é composto pelo Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Secretaria da Saúde (Sesa), Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). As decisões adotadas pelo Governo do Estado seguem parâmetros técnicos.

Fonte: Governo do Estado do Espírito Santo

Confira a classificação de todos os municípios capixabas:

RISCO ALTO: Colatina, Governador Lindenberg, Guaçuí, Marilândia, Mimoso do Sul, Muniz Freire, São Mateus e Venda Nova do Imigrante.

RISCO MODERADO: Afonso Cláudio, Água Doce do Norte, Águia Branca, Alegre, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Anchieta, Apiacá, Aracruz, Atílio Vivácqua, Baixo Guandu, Boa Esperança, Bom Jesus do Norte, Brejetuba, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Castelo, Conceição da Barra, Conceição do Castelo, Divino de São Lourenço, Domingos Martins, Dores do Rio Preto, Ecoporanga, Fundão, Guarapari, Ibatiba, Ibiraçu, Ibitirama, Itaguaçu, Iúna, Jaguaré, Jerônimo Monteiro, João Neiva, Laranja da Terra, Linhares, Marataízes, Marechal Floriano, Montanha, Mucurici, Nova Venécia, Pancas, Pinheiros, Piúma, Ponto Belo, Presidente Kennedy, Rio Bananal, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, São Domingos do Norte, São Gabriel da Palha, São Roque do Canaã, Serra, Sooretama, Vargem Alta, Viana, Vila Valério, Vila Velha e Vitória.

RISCO BAIXO: Barra de São Francisco, Iconha, Irupi, Itapemirim, Itarana, Mantenópolis, Muqui, Pedro Canário, Rio Novo do Sul, São José do Calçado e Vila Pavão.

 


Oito municípios do ES estão em risco alto, de acordo com nova atualização do Mapa

Oito municípios estão em risco alto, segundo a última atualização do Mapa de Risco divulgada pelo Governo do Espírito Santo nesta sexta-feira (1º). A classificação de risco considera a ameaça de contágio e morte pela Covid-19 nos municípios capixabas. Estão em risco alto: Alfredo Chaves, Colatina, Governador Lindemberg, Guarapari, Linhares, Marilândia, São Mateus e Venda Nova do Imigrante.

Os municípios que não estão mais nesta condição são Água Doce do Norte, Irupi e Mantenópolis. Entraram no lugar Colatina, Marilândia e Venda Nova do Imigrante.

Há ainda 54 municípios em risco moderado e outros 16 em risco baixo.

Na análise para a definição de cada município, há o eixo de ameaça: que é o coeficiente calculado a partir dos casos ativos da doença nos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias.

Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19, isto é, a disponibilidade máxima de leitos para tratamento da doença.


Covid-19: Guarapari, Linhares e São Mateus entram em risco alto em novo Mapa de Risco do ES; veja detalhes

foto: Divulgação

Os municípios de Guarapari, Linhares e São Mateus entraram em condição de alto risco para Covid-19 no 37º novo Mapa de Risco que terá vigência entre a próxima segunda-feira (28) e o domingo (3). Dos 78 municípios capixabas, 19 estão classificados em Risco Baixo e 51 em Risco Moderado e oito em alto. Água Doce do Norte, Alfredo Chaves, Governador Lindenberg, Irupi e Mantenópolis continuam classificados como Risco Alto.

Nesta semana, o município de Guarapari publicou novo decreto com medidas restritivas para evitar a transmissão da Covid-19 neste verão. Antes da publicação oficial do município já se falava sobre a limitação do número de pessoas em casas ou apartamentos de aluguel devido o estado de calamidade por contaminação da Covid-19 na cidade.

A Matriz de Risco de Convivência considera no eixo de ameaça: o coeficiente de casos ativos por município dos últimos 28 dias, além da quantidade de testes realizados por grupo de mil habitantes e a média móvel de óbitos dos últimos 14 dias. Já o eixo de vulnerabilidade considera a taxa de ocupação de leitos potenciais de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19, isto é, a disponibilidade máxima de leitos para tratamento da doença.

Confira a classificação de todos os municípios capixabas:

RISCO ALTO: Água Doce do Norte, Alfredo Chaves, Governador Lindenberg, Guarapari, Irupi, Linhares, Mantenópolis e São Mateus.

RISCO MODERADO: Afonso Cláudio, Águia Branca, Alto Rio Novo, Anchieta, Aracruz, Atílio Vivácqua, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Bom Jesus do Norte, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Conceição da Barra, Divino de São Lourenço, Domingos Martins, Dores do Rio Preto, Ecoporanga, Fundão, Guaçuí, Ibatiba, Ibiraçu, Ibitirama, Iconha, Itapemirim, Itarana, Jerônimo Monteiro, João Neiva, Marataízes, Marechal Floriano, Marilândia, Mimoso do Sul, Montanha, Mucurici, Muniz Freire, Nova Venécia, Pancas, Piúma, Ponto Belo, Rio Bananal, Rio Novo do Sul, Santa Teresa, São Domingos do Norte, São Roque do Canaã, Serra, Sooretama, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila Valério, Vila Velha e Vitória.

RISCO BAIXO: Alegre, Apiacá, Boa Esperança, Brejetuba, Castelo, Conceição do Castelo, Itaguaçu, Iúna, Jaguaré, Laranja da Terra, Muqui, Pedro Canário, Pinheiros, Presidente Kennedy, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, São Gabriel da Palha, São José do Calçado e Vila Pavão.

Ocupação de leitos de UTI chega a 72,8%

O Novo Mapa de Risco da Covid-19 mostrou que os leitos potenciais de UTI chegaram a um percentual de taxa de ocupação de 72,8%. Na 36ª edição, publicada na última semana pelo Governo do Estado, a porcentagem de alas gerais ocupadas em hospitais do Estado era de 72,3%.

O painel Covid-19 publicado diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde apresentou um balanço atual dos leitos destinados a UTI Covid-19, de acordo com as informações a taxa de ocupação de leitos é de 81,28%.

——————-

 

Em nota enviada para a imprensa capixaba nesta quinta-feira (10), o Governo do Estado informou que o Espírito Santo participa da mobilização nacional pela garantia de vacina contra a Covid-19 suficiente para imunizar a população brasileira até 2021.

De acordo com a nota, no processo de mobilização, foi apresentado pelo Governo do Estado de São Paulo a possibilidade de disponibilizar vacinas suficientes para que os trabalhadores da saúde e da segurança pública do Espírito Santo fossem imunizados pela vacina produzida pelo Instituto Butantã.

“Nesta quinta-feira (10), foi formalizada uma consulta ao Instituto Butantan sobre a disponibilidade de 440 mil doses de vacinas necessárias para vacinar todos os trabalhadores da saúde e da segurança pública no estado do Espírito Santo. O Governo do Espírito Santo tomará todas as medidas possíveis para viabilizar vacinas para todos os capixabas”, diz a nota.


[Vídeo] Especialista capixaba explica sobre técnica holística de reflexologia podal

A técnica holística pouco conhecida no Brasil, reflexologia podal, traz inúmeros benefícios para a saúde e pode, inclusive, prevenir e tratar em suas sessões, doenças respiratórias, problemas na coluna e até mesmo o câncer. A terapia é realizada através de pontos reflexos que mapeiam os órgãos através dos pés.

Para conversar sobre os benefícios e a importância da técnica para prevenir doenças, o Movimento Online convidou o reflexoterapeuta Rodrigo Sibien, assista:


Alerta ligado: Sesa anuncia a contratação de novos leitos de Covid-19, após aumento de casos

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) contratou novos leitos em hospitais particulares para o tratamento de pacientes que foram infectados pelo coronavírus. Nas últimas semanas, houve um aumento de casos confirmados e da ocupação de leitos de UTI, o que motivou a compra dos equipamentos. Mais de 300, entre UTI e enfermaria, devem ser adquiridos a partir da próxima semana. As informações foram anunciadas pelo secretário da Saúde em exercício Luiz Carlos Reblin.

Com a redução de casos e mortes registrada nos últimos meses, mais de 300 leitos de UTI e quase 400 de enfermaria foram desativados para atender pessoas com Covid-19. Atualmente, com 412 leitos de UTI disponíveis, em todo o Estado, a taxa de ocupação chegou a 79,85% nesta sexta-feira (13).

Desde o início do mês de novembro, segundo Reblin, a Sesa abriu mais 43 leitos de UTI. Dez deles no Hospital São Camilo, em Aracruz, mais dez no Hospital Santa Mônica, em Vila Velha. Além deles, quatro no Hospital Santa Maria, em Colatina, e cinco leitos no Hospital Evangélico, em Vila Velha.

Reblin explicou que há agora mais outros 14 leitos de UTI para o Hospital Dório Silva, na Serra, para que seja utilizado no manejo de pacientes que precisam de novos leitos dentro do hospital.

A partir de segunda-feira (16), a Sesa vai assinar a contratação de mais 130 leitos de UTI e 187 de enfermaria, ao longo dos próximos 90 dias.

Nós podemos chegar a ter 715 leitos de UTI, como no início, e essa é a métrica que utilizamos para fazer a avaliação. A gente tem a expectativa de que essa quantidade traz segurança para o sistema. O investimento é estimado em R$ 29 milhões“, fala o secretário em exercício, durante entrevista coletiva.

Pacientes com doenças respiratórias, antes de terem o diagnóstico que confirma ou descarta a doença, também utilizam leitos e Reblin aponta este como um dos motivos para que a ocupação esteja com quase 80%.

Atualmente, o Espírito Santo tem 166.999 casos confirmados da doença desde o começo da pandemia. Deles, 3.982 evoluíram para óbito.

Covid-19: número de cidades capixabas em risco moderado deve aumentar, afirma secretário de Saúde

Durante coletiva de imprensa realizada nesta semana, para atualizações sobre as informações da Covid-19 no Espírito Santo, o secretário de Saúde Nésio Fernandes anunciou que na atualização do próximo mapa de risco da doença, é possível que muitos municípios capixabas voltem a migrar para o risco moderado. Ecoporanga é a única cidade no Estado em risco moderado no momento.

Ele explicou que esses municípios entrando no risco moderado, voltarão a ter estrições de algumas atividades sociais e econômicas, em especial nos períodos noturnos e nos finais de semana. De acordo com o secretário, apesar do aumento no número de casos, o Estado ainda vive um momento de estabilidade da doença.

Último mapa de risco divulgado pela Secretaria de Saúde (Sesa) Foto: Secom

“Essas medias nos temos a convicção de que reduzem a interação social, e elas diminuem também a pressão sobre a rede de serviços de saúde que permitem que, preservando as suas funcionalidades, tanto as atividades econômicas e sociais possam coexistir com a atual fase de evolução da pandemia no Espírito Santo”, disse Nésio.

Três cenários

O secretário explicou que o Estado trabalha atualmente com três cenários para a pandemia do novo coronavírus. O cenário A, de continuidade da queda do numero de óbitos e internações de pacientes graves de forma lenta. No entanto,  uma tendência de queda sustentada nos próximos 60 dias, dando continuidade a reversão de leitos que são dedicados para a Covid-19 para outras doenças até o final do ano.

O cenário B, de estabilidade de em torno 300 pacientes em UTI’S sustentada ao longo desse mesmo período (60 dias), de maneira que a avaliação não passe de 10%. E o cenário C, de aumento da pressão assistencial para pacientes com Covid-19 e outras doenças respiratórias.

“Nos tivemos uma curva de aprendizagem e não pretendemos voltar a suspender consultas medicas na atenção básica, não suspender atenção as consultas especializadas e seguir caminhando na reversão de leitos na rede própria para atender outras condições. Entendemos que não há condições epidemiológicas e sociais para poder a voltar a ter um grau de desmobilização da rede como foi organizado na primeira onda da doença”, frisou Nésio.

Hemoes registra baixa no estoque de sangue e precisa de doações; saiba onde doar

Doação de sangue no Hemoes – Foto: Divulgação/Sesa

Nesta semana, o Centro de Hemoterapia e Hematologia do Espírito Santo (Hemoes) registrou baixo estoque dos tipos sanguíneos A+, A-, AB- e O-. Esse cenário é consequência das baixas doações que têm acontecido nos últimos dias.

Atualmente, a unidade tem disponível quatro bolsas de A-, 22 de A+, uma de AB- e cinco de O-. Para manter o atendimento regular no Estado no período de 11 dias, é necessário que haja, no mínimo, cinco bolsas de sangue A negativo, 30 de A positivo, duas de AB negativo e nove de O negativo.

A diretora do Hemoes, Marcela Gonçalves Murad, ressalta que para manter um estoque ideal é importante que a sociedade abrace a campanha de doação de sangue e seja doador regular.

“É de extrema importância ter doadores regulares, pois eles ajudam a manter os estoques estáveis e fazem com que pessoas que necessitam de transfusão regulares ou aqueles que passam por enfermidades transitórias sejam salvas”, disse Marcela Murad.

Campanha “Doe sangue e compartilhe”

Como estratégia para estimular a doação de sangue, a Secretaria da Saúde (Sesa) está lançando a campanha “Doe sangue e compartilhe”. A campanha oferece informações sobre locais de doação, quem pode doar e os cuidados após a doação de sangue. Acesse aqui .

Doações de sangue na pandemia

Durante o período de enfrentamento ao novo Coronavírus (Covid-19), os atendimentos em todas as unidades estão acontecendo, preferencialmente, por meio de agendamento. A medida visa a reduzir a circulação de pessoas nos locais para evitar aglomerações e reduzir a possibilidade de transmissão do vírus.

“Limitamos o número de pessoas dentro das unidades e vale reforçar que as pessoas que tiveram diagnóstico positivo para o novo Coronavírus só podem realizar a doação após 30 dias sem apresentar sintomas”, explicou a diretora do Hemoes.

Onde doar

– Hemocentro de Vitória

Endereço: Avenida Marechal Campos, 1.468, Maruípe | Telefone: (27) 3636-7920

– Unidade de Coleta de Sangue da Serra

Endereço: Avenida Eudes Scherrer Souza, s/nº (anexo ao Hospital Estadual Dório Silva) | Telefone: (27) 3218-9429

– Hemocentro de Linhares

Endereço: Avenida João Felipe Calmom, 174-298 – Centro | Telefone: (27) 3264-6000

 – Hemocentro de Colatina

Endereço: Rua Cassiano Castelo, 276 – Centro | Telefone: (27) 3717-2800

– Hemocentro de São Mateus

Endereço: Rodovia Otovarino Duarte Santos, Km 02, Parque Washington | Telefone: (27) 3767-7954

Dia do Médico: Obrigado, profissionais da Saúde! Reveja entrevistas do Movimento Online com médicos capixabas durante a pandemia

O médico por si só representa um importante personagem na história da humanidade, e em períodos como este, pandêmicos, a importância desses profissionais se torna ainda mais evidente. Neste domingo, 18 de outubro, é comemorado o Dia do Médico, e, em homenagem a data e a todos os que se dedicam ao cuidado à saúde do outro, vamos deixar aqui nesta matéria todas as entrevistas que realizamos com médicos capixabas durante os últimos meses.

Desde o começo da pandemia e os protocolos de segurança para evitar a disseminação da Covid-19 no Espírito Santo, o Movimento Online conversou com inúmeros profissionais, de diversas especialidades, para levar ao capixaba a informação necessária acerca dos procedimentos durante este período conturbado e de isolamento social. Confira:

____

Exercício é saúde! Profissional de Educação Física, Adriano Macedo detalha rotina e estratégias durante a pandemia

A pandemia causada pelo surto do novo coronavírus, como é sabido, fez a vida em 2020 ser diferente. Seja no âmbito econômico, político e social, é raro encontrar quem não teve que alterar a rotina por conta de mudanças impostas pelos órgãos de saúde nacionais e internacionais, a fim de diminuir a incidência da doença. Na área da educação física, profissionais e alunos precisaram rever conceitos e pensar em novas estratégias para manter o corpo – e mente – sãos.

No conteúdo desta semana para o quadro Movimento Saúde, o profissional da área, Adriano Macedo, concedeu uma entrevista exclusiva ao Movimento Online, em que contou quais foram as alternativas para conseguir manter os alunos e também sobre seu planejamento futuro, após os efeitos imediatos da pandemia cessarem.

Além desse questionamento, Adriano também comentou sobre a polêmica questão a respeito dos profissionais da área da educação física serem considerados como agentes de saúde. Assista, na íntegra, o bate-papo conduzido pelo repórter Erick Alencar:

Doenças psicossomáticas: Dra. Marta Cibien explica o que são e como enfrentá-las

Pouco se fala sobre as doenças psicossomáticas, no entanto, elas são mais comuns do que se imagina. Por isso, para explicar quais são os sintomas e como a doença se comporta no organismo, o Movimento Saúde convidou a psicanalista e especialista neste assunto, Marta Cibien.

Durante a entrevista, a psicanalista Marta Cibien fala sobre os fatores que influenciam a patologia psicossomática, como identificá-la, suas sequelas, dicas para o enfrentamento da doença, e, ainda, como o período de isolamento social pode desencadear o problema psicossomático e o que é preciso fazer para evita-lo neste período. Assista:


Médica infectologista fala sobre atual fase da pandemia de Covid-19 no ES

As últimas semanas no Espírito Santo foram de redução no número de casos e mortes do novo coronavírus. Há cinco meses desde o início da pandemia no estado, o número vem diminuindo mas ainda é preciso seguir as recomendações para evitar a disseminação do vírus.

A médica infectologista Dra. Rubia Miossi conversou com o Movimento Online e falou sobre como ela avalia, como especialista no assunto, a atual fase da pandemia no estado, e como está sendo a atuação dela frente a doença. Ela contou como ainda vem se adaptando ao momento, e confessou que não gosta do termo “novo normal”.

Ela ainda falou e deu sua opinião sobre como anda a evolução dos tratamentos previstos para a doença, e também sobre as inúmeras vacinas que estão sendo testadas pelo mundo todo. Assista:


“A cirurgia robótica foi a melhor notícia da medicina capixaba nos últimos 20 anos”, diz urologista

Integrante da equipe que fez a primeira a cirurgia robótica da história do Espírito Santo, o médico urologista Marcelo Lamy contabiliza, desde abril até o final de julho, 25 cirurgias com a presença do robô Da Vinci Xi.

Foram cirurgias de próstata, que surtiram ótimos resultados nos pacientes operados e muitos avanços para a medicina capixaba. O robô foi adquirido pelo Hospital Santa Rita, em Vitória, e tem sido guiado por uma equipe de médicos que se capacitaram, com cursos fora do país, para implantarem a tecnologia em terras capixabas.

Lamy, que está há 30 anos trabalhando com urologia, vê um vasto avanço na medicina do Estado com a inovação. Técnica menos invasiva, recuperação mais rápida, menos risco de contaminação são algumas das vantagens de ser operado por um robô. “A cirurgia robótica foi a melhor coisa que aconteceu na medicina capixaba nos últimos 20 anos”, disse Marcelo Lamy se referindo ao setor cirúrgico do Estado.

O urologista contou como estão sendo feitos os procedimentos, os cuidados aplicados na pandemia e quais são as melhorias que a tecnologia robótica tem trazido e vai trazer para pacientes e médicos. Confira tudo desse bate-papo clicando no vídeo.

Integrante da equipe que fez a primeira a cirurgia robótica da história do Espírito Santo, o médico urologista Marcelo Lamy contabiliza, desde abril até o final de julho, 25 cirurgias com a presença do robô Da Vinci Xi.

Foram cirurgias de próstata, que surtiram ótimos resultados nos pacientes operados e muitos avanços para a medicina capixaba. O robô foi adquirido pelo Hospital Santa Rita, em Vitória, e tem sido guiado por uma equipe de médicos que se capacitaram, com cursos fora do país, para implantarem a tecnologia em terras capixabas.

Lamy, que está há 30 anos trabalhando com urologia, vê um vasto avanço na medicina do Estado com a inovação. Técnica menos invasiva, recuperação mais rápida, menos risco de contaminação são algumas das vantagens de ser operado por um robô. “A cirurgia robótica foi a melhor coisa que aconteceu na medicina capixaba nos últimos 20 anos”, disse Marcelo Lamy se referindo ao setor cirúrgico do Estado.

O urologista contou como estão sendo feitos os procedimentos, os cuidados aplicados na pandemia e quais são as melhorias que a tecnologia robótica tem trazido e vai trazer para pacientes e médicos. Confira tudo desse bate-papo clicando no vídeo.

 

Fisioterapeuta neurofuncional fala sobre riscos de sequelas neurológicas em pacientes curados da Covid-19

Trabalhando há sete anos no Espírito Santo, o especialista em fisioterapia neurológica, Lucas Brino, contou como está sendo sua nova rotina de atendimento durante a pandemia do Novo Coronavírus e chamou a atenção para algumas das consequências que a doença pode trazer para quem se curou da Covid-19: as sequelas neurológicas.

O paulista, que se especializou na Unicamp-SP, se diz atento aos desdobramentos da doença. Lucas reforça que parte da população que se curou da enfermidade precisará de apoio de profissionais de saúde, especialmente os ligados a aérea neurológica, para conseguir sua reabilitação.

“A gente já começa a ver várias alterações neurológicas vinculadas à Covid-19. Já há estudo que diz que devido à Covid, 2% dos pacientes infectados sofrem um AVC. Isso aumenta um problema que já era grande. Isso vai gerar pessoas incapacitadas que vão precisar de reabilitação”, explica. Veja a entrevista completa.

Neurologista capixaba fala da rotina de atendimentos e protocolos durante a pandemia

A chegada de julho também marca o quarto mês da pandemia e de situação de quarentena no Espírito Santo, o que trouxe diversas mudanças drásticas em diversas áreas, principalmente na saúde. Novos protocolos de segurança e higiene agora devem ser tomados o tempo todo.

Conversamos com o médico neurologista Dr. José Antonio Fiorot Júnior, que além de trabalhar na área da saúde, é professor de uma faculdade particular da capital. Ele falou sobre essas mudanças nas áreas em que atua e também sobre o legado que ficará de todo esse momento em que não só o Brasil vive, mas o mundo.

Na neurologia, o Doutor explicou quais são os novos protocolos de segurança durante os procedimentos, sobre o seu trabalho no consultório e o relacionamento com seus pacientes e como o fato de ficar em casa pode se tornar um problema devido ao sedentarismo, e como isso afeta neurologicamente as pessoas.

Assista no vídeo abaixo: 

Nutricionista alerta para cuidados na alimentação e explica mudanças nas consultas durante a pandemia

Em tempos de pandemia, a alimentação pode ser uma aliada ou inimiga da saúde, tudo depende do equilíbrio na hora de se alimentar. Para alcançar uma dieta equilibrada, a ajuda de um profissional nutricionista se faz ainda mais necessária neste período de isolamento.

Para conversar sobre as mudanças nas consultas durante a quarentena e os benefícios que os cuidados com a alimentação podem trazer no combate a pandemia, a nutricionista Byanca França é a nossa convidada no Movimento Saúde. Assista:

Especialista em radiologia odontológica relata rotina na pandemia e destaca inovações tecnológicas

A pandemia do novo coronavírus fez o mundo parar. Diversas áreas da economia tiveram que literalmente limitar o funcionamento, para que medidas de contenção da doença de fato surtissem efeito. A área que, pelo contrário, precisa estar mais ativa do que nunca é, claro, a da saúde. Pensando nisso, o Movimento Online criou a série Movimento Saúde, para trazer até você, internauta, entrevistas com médicos das mais diversas especialidades para que seja feito o detalhamento das novas rotinas, procedimentos, e medidas de precaução.

O papo deste sábado (27) é com a doutora Márcia Gabriella, dentista, especialista em radiologia odontológica. Ao repórter Lucas Melo, contou a respeito das mudanças necessárias por conta da pandemia, além de explicar o uso de inovações tecnológicas na radiologia dentária. Assista a entrevista, na íntegra:


 

Cirurgião plástico capixaba relata protocolos de segurança e rotina de trabalho durante a pandemia

Com o avanço mundial do novo coronavírus (Covid-19) e a pandemia oficialmente declarada, a população e os profissionais, principalmente os da área da saúde, tiveram que alterar drasticamente as suas rotinas.

Não foi diferente com as cirurgias plásticas, que foram à principio suspensas e postergadas, mas que aos poucos vem voltando o mais próximo da normalidade. Médicos e suas equipes tiveram que se adequar ao “novo normal”.

Conversamos com o Dr. Julio Riva Neto, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, sobre o seu trabalho durante a pandemia. Ele também conta o que mudou, os protocolos de segurança adotados, o legado que ficará pós-pandemia e ainda de todos as fases de um procedimento, desde a primeira consulta até a mesa de cirurgia. Assista no vídeo abaixo: 


Diretora médica do Hospital Meridional Serra explica como unidade trabalha no combate à Covid-19

A pandemia do novo coronavírus afetou a capacidade hospitalar em todo país. No Espírito Santo, as unidades hospitalares foram ampliadas com a ajuda do setor público, inclusive hospitais particulares. Mas este não é o caso do Hospital Meridional Serra (antigo Hospital Metropolitano).

Trabalhando apenas com leitos privados, o Hospital Meridional Serra adotou uma série de medidas de segurança para os pacientes e profissionais que estão da linha de frente de combate ao novo coronavírus. A diretora-médica do hospital, Drª. Lia Canedo, conversou com o Movimento Online sobre como que o Meridional Serra trabalha durante a pandemia.

Confira a entrevista completa:


[Vídeo] Enfermeira cria máscaras de proteção para recém-nascidos durante a pandemia

A pandemia do novo coronavírus promoveu uma série de mudanças nos hábitos comportamentais de todos nós. Há alguns meses, a máscara se tornou objeto fundamental para proteção contra a Covid-19, inclusive seu uso é obrigatório em todo o Espírito Santo. Porém, o uso não é recomendado para crianças menores de 2 anos de idade.

Foi justamente daí que surgiu a ideia da enfermeira Kessya Scalzer de produzir uma máscara que pudesse ser utilizada por recém-nascidos e bebês, mantendo a segurança. Após pesquisas e estudos, ela passou a produzir um face shield (máscara facial de acetato) para os bebês e vem obtendo o maior sucesso.

O Movimento Online conversou com Kessya e na entrevista ela explica como surgiu a ideia, a elaboração e o sucesso nas vendas com as máscaras.

Confira a entrevista completa:



[Vídeo] Neurocirurgião fala da rotina de atendimentos com a pandemia da Covid-19

A pandemia causada pela Covid-19 vem afetando diversas especialidades médicas. Como você já acompanhou no Movimento Saúde, diversos atendimentos e procedimentos foram adiados os cancelados devido ao novo coronavírus e não foi diferente com as atividades neurológicas nesse período.

Com a exceção de procedimentos de urgência e emergência que seguiram normais, consultas e cirurgias eletivas sofreram queda. Quem explica o cenário é o neurocirurgião Dr. Ruy Rodrigues.

Confira a entrevista completa: 

 



Presidente da Associação Médica do ES rebate declaração de secretário e fala sobre possível lockdown

A pandemia do novo coronavírus, para além dos debates exclusivamente na área da saúde, também desencadeia troca de ideias no campo da política, já que decisões de governos são imprescindíveis para ações de combate à pandemia. Nesta semana, vimos um desses embates.

Após o secretário de Estado do governo do ES, Tyago Hoffmann, dizer a um portal de notícias local que chegaria o momento em que médicos decidiriam “quem vive e quem morre”, nos hospitais capixabas, a Associação Médica do ES (Ames) publicou nas redes sociais uma nota de repúdio à declaração (veja ao fim da matéria). Para falar sobre o documento emitido e também outros temas relacionados à pandemia, o presidente da Ames, Dr. Leonardo Lessa, concedeu entrevista exclusiva ao Movimento Online. Assista:


 

Diretor-geral do Hospital Santa Rita, referência em oncologia no ES, Carlos Clayton Lobato fala ao Movimento Online sobre os procedimentos durante a pandemia

Umas das principais áreas da medicina afetadas pela pandemia do novo coronavírus é a oncologia. Como já mostramos aqui no Movimento Online, pacientes com câncer são grupo de risco e precisam manter os atendimentos em meio a pandemia. E para falar sobre a rotina de atendimentos do hospital referencia no tratamento oncológico no estado, convidamos o diretor-geral do Hospital Santa Rita, Carlos Clayton Lobato.

Na entrevista, o diretor fala como está o funcionamento do hospital neste período, os principais cuidados que a direção precisa tomar para impedir a alta incidência do vírus, além de dar demais informações técnicas sobre o local. Assista a mais um episódio da série Movimento Saúde:


Covid-19: saiba como é feita a fiscalização em hospitais pelo Conselho de Enfermagem do ES

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) alterou a rotina de todos os profissionais da saúde, principalmente os que atuam na linha de frente: médicos e profissionais de enfermagem. Para explicar as ações de fiscalização das condições de trabalho e estrutura dos hospitais no estado, o Movimento Online conversou com a presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo (Coren-ES), Andressa Barcellos, e com a conselheira Paula Freitas.

Na entrevista, elas citaram a campanha de fiscalização Anna Nery, que visita os hospitais privados e públicos do estado após denúncias de irregularidades, como falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e também sobra a própria infraestrutura hospitalar.

Outra novidade dita em primeira mão é que, de acordo com a presidente Andressa, o Estado irá realizar nas próximas semanas o Inquérito Sorológico nos profissionais da saúde, com a intenção de aumentar os dados do impacto da Covid-19 nos enfermeiros, técnicos, auxiliares e médicos.

Confira a entrevista completa:

 



[Vídeo] Endocrinologista tira dúvidas sobre imunidade em tempos de pandemia

Com a presença da Covid-19 na vida das pessoas, um termo em específico passou a ser tema em conversas e debates: a imunidade. Com o vírus circulando, cada vez mais essa palavra é mencionada. Mas afinal, o que é imunidade, e como tê-la em bons níveis pode nos ajudar no combate à doença? Quem responde a essa e diversas perguntas sobre o tema é o médico endocrinologista, Dr. Thiago Bastos.

Na entrevista, o médico fala da mudança na rotina com a declaração de pandemia do novo coronavírus. Além disso, se aprofundou em relação a imunidade, métodos de alimentação para aumentá-la e reforçou o apelo para que as pessoas cuidem da saúde mental neste período de pandemia.

Confira a entrevista completa:


[Vídeo] Campanha Outubro Rosa 2020 deverá ser virtual no ES, diz gerente da Afecc

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de todos os setores e não foi diferente com a Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Afecc), que é a mantenedora do Hospital Santa Rita, referência no tratamento de câncer no Espírito Santo. Com a pandemia, uma das principais ações da Afecc, a organização do Outubro Rosa deverá ser de forma virtual.

A afirmação é da gerente-executiva da Associação, Jacqueline Ermidorf, que é a convidada do Movimento Saúde. Ela também falou sobre a nova rotina da Afecc e os cuidados que foram tomados a partir da pandemia.

Confira a entrevista completa:



[Vídeo] Covid-19: Referência no Norte do ES, Hospital Rio Doce muda a rotina para enfrentar a pandemia

A pandemia do novo Coronavírus fez a rotina de médicos e demais profissionais da saúde, além de hospitais, mudar. Entre novos horários, procedimentos e protocolos de segurança para proteger pacientes e funcionários, está o combate à pandemia. Referência no combate à Covid-19 no Norte do ES, o Hospital Rio Doce, em Linhares, é um exemplo disso.

Para saber mais a respeito dessas mudanças e aprimoramentos (com novos leitos, por exemplo), nesta quinta-feira (28) o Movimento Saúde traz uma entrevista exclusiva com a diretora administrativa da unidade, Maria de Fátima Bianchardi, e também a chefe de enfermagem do hospital, Denise Milanez. Confira:


Diretor do Hospital Evangélico de Vila Velha fala sobre carga de trabalho e ocupação de leitos durante a pandemia

A pandemia do novo coronavírus causou uma sobrecarga no sistema de saúde e no Espírito Santo não foi diferente. Informações do governo do Estado dão conta do aumento em nove vezes da capacidade de leitos da rede pública e um dos artifícios usados para a expansão de leitos foi a contratação de unidades em hospitais privados e filantrópicos.

Na entrevista do Movimento Saúde de hoje, a gente conversa com o médico cirurgião e diretor-técnico do Hospital Evangélico, Dr. Enrico Miguel, que falou sobre a rotina no hospital a partir do momento da declaração da pandemia, os cuidados e o aumento no número de leitos disponíveis.

Outro fator citado pelo Dr. Enrico foi a divisão entre leitos privados e cedidos ao Sistema Único de Saúde (SUS). O diretor garantiu que há vagas no sistema privado e no sistema público e falou sobre a possibilidade de supressão do sistema como um todo.

Confira a entrevista completa:



Capixaba e diretor do AC Camargo, referência no tratamento de câncer no Brasil, Dr. Victor Piana fala ao Movimento Online

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de várias especialidades médicas e como você vem acompanhando no Movimento Online, trazemos a palavra de vários profissionais da saúde das mais diversas áreas para falar sobre a rotina alterada com a pandemia. Uma das especialidades que não pode parar as atividades é a oncologia, como lembrou o médico Dr. Fernando Zamprogno.

Ainda sobre a área oncológica, de alto risco por conta dos pacientes em tratamento pertencerem, na maior parte das vezes, ao grupo de risco, entrevistamos o Dr. Victor Piana, diretor médico do A.C. Camargo Cancer Center – uma das referências internacionais no tratamento de câncer – localizado em São Paulo.

Na entrevista, o Dr. Victor, que é capixaba, mas está em São Paulo há mais de 10 anos, explica os protocolos médicos do AC Camargo e como que o centro médico tem lidado com a pandemia e cita a utilização da telemedicina como ferramenta importante e alternativa durante a pandemia.

Confira a entrevista completa:



[Vídeo] Dentista apresenta cuidados especiais durante pandemia e fala de atendimento por videoconferência

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de diversas especialidades médicas e serviços de saúde. Uma delas é a odontologia, que teve que suspender atividades não urgentes num primeiro momento, como explicou a Drª. Ariane Mendonça, em entrevista ao Movimento Online.

Quem conversou com a nossa reportagem no quadro Movimento Saúde dessa vez, foi a também dentista especializada em procedimentos estéticos, Drª. Ariane Mendonça, que falou sobre como a rotina dela está alterada com a pandemia e citou a telemedicina, através de atendimentos por telefone como uma tendência.

Confira a entrevista completa:



[Vídeo] Psicóloga alerta para surgimento de síndromes e importância de atendimento em tempos de pandemia

A pandemia do novo coronavírus trouxe diversas preocupações com a saúde mental das pessoas. Seja pela carga de trabalho, ou pelo isolamento social, há relatos de diversas síndromes surgindo por conta das pressões causadas pela pandemia. Para tratar, buscar o terapeuta é um dos caminhos.

O Movimento Online entrevista, em mais um bate papo do Movimento Saúde, a Drª Raquel Bastos de Siqueira. Na conversa ela cita como está o trabalho dela em tempos de isolamento social e dá dicas de quais sinais identificar para antes de procurar um profissional psicólogo durante a pandemia.

Confira a entrevista completa:


200 anos de enfermagem: professor da Ufes, Jorge Guimarães conversa com o Movimento Online

O ano de 2020 marca os 200 anos de uma das mais importantes profissões: a enfermagem. Justamente no ano que marca os duzentos anos do nascimento de Florence Nightingale, considerada a mãe da profissão, os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem enfrentam um dos principais desafios da história que é a pandemia do novo coronavírus.

Professor do departamento de enfermagem da Universidade Federal do Espírito Santo, Jorge Guimarães de Souza, explica, em entrevista ao Movimento Online, a importância dessa profissão no combate da pandemia e fala também sobre as principais demandas da categoria que está na linha de frente dos hospitais.

Confira a entrevista completa:



[Vídeo] Deputado estadual e médico anestesiologista, Hudson Leal conta como divide as funções em tempos de pandemia

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de praticamente todas as pessoas, seja em isolamento social ou seja com a carga de trabalho intensificada, como é o caso do médico anestesiologista Hudson Leal, que também é deputado estadual pelo Republicanos. Com a chegada da Covid-19, Leal voltou a atuar majoritariamente nos hospitais e centros  cirúrgicos.

Especialista em anestesiologista, Hudson conta da mudança na rotina, nos cuidados com os pacientes e a importância do profissional de anestesia para a intubação de pacientes com Covid-19. Por fim, o médico também comenta a pressão que o governo vem sofrendo para a instalação de hospitais de campanha.

Confira a entrevista completa:


 

[Vídeo] Conselheiro do CRM-ES explica ações de fiscalização da segurança de médicos durante a pandemia

Na linha de frente do combate a pandemia do novo coronavírus, os médicos são um público com risco elevado de contágio da Covid-19. Para tentar evitar a contaminação, os Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) são fundamentais. Para garantir que essas e outras demandas sejam atendidas, o Conselho Regional de Medicina do Estado (CRM-ES) criou um comitê de enfrentamento a pandemia.

Para explicar a atuação desse comitê e as principais demandas dos médicos, o Movimento Online convidou o médico ginecologista e obstetra e corregedor do CRM-ES, Dr. Aron Stephen Souza.

Confira a entrevista completa:


 

[Vídeo] Ginecologista e obstetra fala dos principais cuidados com as grávidas durante a pandemia

Uma das diversas áreas da medicina que não podem parar mesmo em tempos de pandemia do novo coronavírus é a obstetrícia. Os partos seguem acontecendo normalmente e a Dra. Chiara Musso, médica ginecologista, obstetra e professora da Universidade Federal do Espírito Santo, explicou em entrevista ao Movimento Saúde como estão sendo realizados os procedimentos.

Dra. Chiara também relatou as principais mudanças da rotina como médica ginecologista em tempos de pandemia, detalhou como tem lidado com as grávidas nas consultas de pré-natal, além de falar dos cuidados especiais na hora do parto.

Confira a entrevista completa:


[Vídeo] Fator de risco: oncologista destaca importância dos diagnósticos de câncer durante pandemia

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de realização de exames de rotina importantes, que foram deixados de lado num primeiro momento por conta da determinação de isolamento social. Apesar disso, para o médico oncologista Dr. Fernando Zamprogno, que concedeu entrevista para o Movimento Online, os exames que podem ajudar no diagnóstico de câncer são fundamentais mesmo durante a pandemia.

Zamprogno alertou para a importância desses exames, além de falar da rotina de trabalho em tempos de pandemia e os cuidados com pacientes que estão em processo de tratamento de algum câncer. De acordo com ele, houve mudança na rotina do hospital e cuidados na hora do atendimento. Assista:


[Vídeo] Saúde dos olhos durante pandemia: oftalmologista reforça necessidade de consultas presencias

A pandemia do novo coronavírus trouxe uma nova realidade na rotina nos médicos. Pensando nisso e para tirar as dúvidas da população nesse momento novo e histórico, o Movimento Online traz nas séries de entrevistas do Movimento Saúde, diversos especialistas estão utilizando a ferramenta da telemedicina para prestação de serviços. Porém algumas áreas necessitam do atendimento presencial, como a oftalmologia.

A afirmação é do Dr. Fabrício Nasr Brochado, médico oftalmologista, que também explicou como os consultórios estão se prevenindo do contágio da Covid-19. Na entrevista, o Dr. Fabrício explica que também há triagem de pacientes antes da chegada ao consultório, tudo para evitar a proliferação da Covid-19.

Confira a entrevista completa: 


 

Um dos serviços afetados pela pandemia do novo coronavírus são os cuidados com a boca, os serviços de dentista. Tratamentos eletivos como limpeza e clareamento dental estão suspensos por conta das determinações de isolamento social. Mas quando é a hora de procurar um dentista? Essa e outras perguntas foram respondidas pela Drª Paula Naim Bastos, em entrevista ao Movimento Online.

A cirurgiã dentista detalhou os atendimentos de emergência e urgência nesses tempos de pandemia e alertou para a intensificação da higiene bucal, haja visto que a boca é um dos principais pontos de transmissão de vírus e bactérias.

Confira a entrevista completa:


 

Durante o cumprimento das medidas de isolamento social, muita gente se pergunta o que fazer com as crianças dentro de casa, além de diversas outras dúvidas em relação ao perigo da Covid-19 nos pequenos. Na série de entrevistas do Movimento Online, conversamos com o médico pediatra Dr. Rodrigo Aboudib, que explicou como tratar as crianças em tempos de pandemia.

O médico alertou para a necessidade do isolamento social das crianças, que são agentes transmissores da doença, falou como está a rotina de atendimentos dele em tempos de pandemia, e também ressaltou que as crianças que estão infectadas com a doença não costumam manifestá-la com sintomas graves, mas que mesmo assim o cuidado deve ser redobrado.


A pandemia do novo coronavírus mudou a rotina de diversas especialidades médicas. Uma delas é a infectologia, área de medicina que estuda o contágio de infecções virais. Na série de entrevistas do Movimento Online, conversamos com o médico infectologista Dr. Lauro Ferreira Pinto, que fez uma análise da profissão em tempos de pandemia.

O médico explicou o que mudou na rotina dele com a chegada da pandemia, mostrou preocupação com o que ele chamou de “isolamento social meia boca” que os brasileiros estão fazendo e alertou a população dos principais cuidados a se ter com o contágio do novo coronavírus.

Confira a entrevista completa: 

Há quase dois meses o mundo convive com uma pandemia. A Covid-19, popularmente chamada de novo coronavírus, já tirou a vida de milhares de pessoas, e a cada dia que  passa a incerteza de uma cura rápida aumenta. O isolamento social tem sido uma ferramenta utilizada pelos governantes para tentar frear a curva de contágio do vírus, e desde então a rotina da maioria das pessoas mudou.

Sem ter como ir trabalhar ou trabalhando de home office, com as recomendações de apenas sair na rua para fazer o essencial, as pessoas tem ficado a maior parte do tempo dentro de suas casas. E para aqueles que sofrem com qualquer distúrbio psicológico, isso pode acabar se tornando um gatilho para piorar o quadro de alguns pacientes psiquiátricos, por exemplo.

Dessa forma, com o objetivo de entender qual o papel da psicanálise nas pessoas durante esse período complicado que o mundo vive e, a equipe do Movimento Online conversou com o médico, psiquiatra, psicanalista, escritor, jornalista e professor da Universidade Federal do Espírito Santo, Paulo Bonates.

Foto: Reprodução

De acordo com ele, a única forma que a psicanalise consegue ajudar neste momento é, de fato, analisando. Paulo afirma que a questão de possíveis síndromes de pânico se devem ao fato de não existir um objetivo definido, num cenário no qual há milhões de opiniões e ninguém sabe muito bem o que realmente se passa. Além disso, que os governos, de modo geral, também não sabem governar, ainda de acordo com a análise do professor.

“O homem para sobreviver, considerando que o homem é o animal mais frágil do mundo, precisa do outro homem. Ninguém é capaz de falar uma língua que só a pessoa saiba e nem praticar uma religião que só a pessoa pratique”, disse Paulo.

Sigmund Freud. Foto: Reprodução

Citando Sigmund Freud, médico neurologista e psiquiatra, o criador da psicanálise, Paulo explicou que o ser humano tem a necessidade do inter-relacionamento, que é nada mais do que “estabelecer ou de ser alvo de uma relação recíproca entre duas ou mais coisas, pessoas”. 

Sobre a psicanalise, Paulo disse que como não tem o “outro” no isolamento, explicando que nesse caso a família não é o “outro”, e sim o mesmo grupo com que a pessoa já cresceu, e que não ter relacionamento com a alteridade¹, tal cenário é extremamente perigoso para qualquer pessoa.

“As pessoas sozinhas não fazem sentido, isoladas também não fazem sentido”, disse Paulo. E para explicar sua fala, de como as pessoas se completam, ele utilizou uma metáfora:

“SUPONHA QUE VOCÊ ESTÁ NO MARACANÃ, NINGUÉM SABE CANTAR O HINO NACIONAL. COMEÇAM A CANTAR, NINGUÉM SABE CANTAR A SEGUNDA PARTE…CONCORDA? MAS SE VOCÊ GRAVAR AQUELA CANTORIA TODA, TODO MUNDO DESAFINADO, CHEGA NA SUA CASA E PÕE A MÚSICA. NÃO TEM UMA NOTA FORA, PORQUE AUTOMATICAMENTE UMA VOZ VAI COMPLETANDO O QUE FALTA NA OUTRA”

Para suprir a necessidade de um atendimento especializado para pessoas que necessitam de tratamentos psiquiátricos, Paulo sugeriu que os governos organizem uma central de atendimento totalmente dividida, de modo que as pessoas sejam atendidas por psicanalistas ou psiquiátricas.

“Muita gente está precisando medicar, sem dormir, de trabalhar as fobias. Do ponto de vista psicanalista, está havendo uma carência, está sendo tudo na base da suposição. Vamos ficar todo mundo dentro de casa.. eu fico porque eu tenho medo, porque conseguiram botar medo em todo mundo, e nada mais”, disse.

Atendimento na pandemia

Paulo explicou que, como não pode ir ao seu consultório, que está fechado devido à pandemia, tem feito contato com seus pacientes pelo celular, e alguns até chegam a ir no prédio onde mora para uma consulta rápida. Ele conta que desce para atender a pessoa, dentro da segurança dele e do prédio.

Ele define o momento como uma situação traumática, e completa dizendo que ninguém existe sem a relação com o outro, mesmo que não vá à casa da pessoa, ao bar, é necessário que tais possibilidades existam. Ele ainda deu um exemplo de um presidiário. Nas prisões, os detentos têm que sair diariamente para dar uma volta no pátio, “se não pira”.

“Se você deprime, você fica muito mais vulnerável a outras doenças, se você não tratar a cabeça, em uma situação de horror, você vai ter muito mais possibilidade de ficar doente. A medicação do paciente psiquiátrico é contínua, não para, o paciente toma durante anos e se não fizer isso delira”, disse.

¹Alteridade: É a concepção que parte do pressuposto básico de que todo o ser humano social interage e interdepende do outro.


Médico radiologista explica importância dos exames de imagem no combate à Covid-19

(Assista ao vídeo no final da matéria) A Covid-19 tomou conta de praticamente toda a atenção dos médicos e hospitais do mundo com a pandemia causada pela infecção do novo coronavírus. No combate a doença, uma arma é fundamental: os exames de imagem, que ajudam a identificar a progressão da doença, além de criar padrões para melhorar o diagnóstico.

Na série de entrevistas do Movimento Online, o médico radiologista Dr. Fabrício Bastos, conversou com nossa equipe de reportagem e explicou como está a rotina dos exames de imagem no período da pandemia e como a tomografia, por exemplo, pode ser fundamental no diagnóstico dos pacientes.

Confira a entrevista completa:

 


[Vídeo] Médico urologista explica detalhes da primeira cirurgia com robôs realizada no ES

No último mês foi realizada a primeira cirurgia robótica no Estado. A operação com a inovação tecnológica conduziu a retirada de um câncer de próstata no Hospital Santa Rita, em Maruípe, Vitória. O robô Da Vinci Xi, executor do procedimento, é um sistema cirúrgico moderno e utilizado no mundo inteiro.

O integrante da equipe de médicos que realizou a primeira cirurgia robótica no Estado, doutor urologista Marcelo Lamy conta detalhes do feito inédito pela medicina capixaba.

O urologista e mais dois especialistas participaram do procedimento e em entrevista cedida ao Movimento Online, ele explicou a realização cirúrgica, suas vantagens e o avanço tecnológico no Estado. Assista:


[Vídeo] Mudanças em procedimentos e alerta para grupo de risco: cardiologista intervencionista fala ao Movimento Online

Parte integrante do grupo de risco da Covid-19, os cardíacos têm preocupado os médicos em todo mundo. No Espírito Santo, não é diferente. Dos mais de 2500 casos confirmados do novo coronavírus em solo capixaba, 400 são pacientes cardiopatas. Diante desse cenário, o Movimento Online conversou com o cardiologista intervencionista, Dr. Vinícius Fraga Mauro, que falou como está sendo o trabalho dele em tempos de pandemia.

Especialista em intervenções com cateter para tratamento cardiológico, o médico relatou a mudança no método de trabalho com os novos protocolos de segurança. Além disso, o doutor reforçou a atenção com os cardíacos nesses tempos de pandemia, além da relação da Covid-19 com complicações do coração.


[Vídeo] Durante pandemia, cardiologista alerta para que cuidados com o coração não sejam esquecidos

Com a chegada da pandemia do novo coronavírus, muito tem se falado sobre a capacidade do sistema de saúde do Brasil. Assim como no mundo todo, a maior parte dos leitos hospitalares estão sendo destinados para o combate da Covid-19. Em entrevista ao Movimento Online, o cirurgião cardiologista Dr. Melchior Luiz atenta para a necessidade, porém, de olhar também para as pessoas que possuem problemas cardíacos.

Durante a entrevista, o médico, que atua nos principais hospitais do Espírito Santo, explicou que as cirurgias eletivas foram suspensas, porém caso haja necessidade, as cirurgias cardíacas também estão sendo realizadas. Salientou, ainda, que um paciente cardíaco com necessidade cirúrgica é tão grave quanto os casos graves da Covid-19.

Ele também alertou sobre os cuidados gerais que os cardiopatas – que também compõem o grupo de risco da Covid-19 – devem tomar durante os tempos de pandemia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui