Fique ligado! Conheça 10 infrações de trânsito que você provavelmente não sabia que existem

Multas como molhar pedestres, usar fone de ouvido e buzinar sem motivo são alguma das infrações que podem acabar te causando alguns prejuízos

0
Foto: Reprodução

Algumas infrações de trânsito que afetam o bolso dos motoristas são desconhecidas por grande parte da população brasileira. Furar o sinal vermelho, falar ao telefone enquanto dirige ou ultrapassar em local proibido são algumas das violações mais comuns e que acontecem com mais frequência.

Mas você sabia que, por exemplo, molhar pedestres em dias de chuva ou quando houver poças de água na via é considerado uma infração média que gera uma multa de R$ 130,16 além de quatro pontos na carteira? Pois é, essa e outras nove infrações desconhecidas você fica sabendo nessa lista que preparamos.

Confira:

Usar fones de ouvido enquanto dirige

Dirigir com fone de ouvido é considerado infração média ao CTB. Foto: Reprodução.

Usar fones de ouvido, seja com o celular ou um aparelho de som, é proibido pelo artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). É uma infração considerada média, com multa de R$ 130,16 e quatro pontos na carteira.

Os órgãos governamentais entendem que a audição também é importante para uma direção segura e defensiva. Com os fones, o condutor estaria isolado de estímulos como buzinas de alerta, sinalização sonora de equipamentos, apitos de fiscais ou sirenes de carros de emergência.

Transitar com a marcha em “ponto morto”

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a popular “banguela” é proibida pelo artigo 231. Transitar com o veículo desligado ou desengrenado em uma descida é uma infração média que resulta em multa de R$ 130,16, e mais 4 pontos na carteira de habilitação.

Ouvir som alto

Pois é, pra quem curte ouvir uma música alta no carro, é preciso ter cuidado até com isso na hora de dirigir. O motorista que for flagrado fazendo isso pode estar cometendo uma infração grave e receber multa no valor de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira. Lembrando, como já foi dito, não adianta colocar o fone de ouvido em!

Trafegar em velocidade muito baixa

Pouca gente sabe, mas as vias também possuem um limite mínimo de velocidade. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) ele é sempre a metade da velocidade máxima permitida para a via.

Trafegar abaixo desse limite, sem estar na faixa da direita, é uma infração média, prevista no artigo 219 do Código com uma multa de R$ 85,13. Mas há exceções: se o trânsito ou as condições meteorológicas estiverem ruins, não é preciso se preocupar em andar rápido.

Buzinar sem motivo significante

Foto: Reprodução

Muito utilizada por aqueles motoristas apressados e estressados com o trânsito diário da cidade, a buzina também pode ser considerada uma infração de trânsito, mas claro, caso usada de forma errada, sem motivo e em momento inapropriado. Uma buzinada pode custar uma multa de R$ 88,38 e três pontos na carteira.

Isso porque o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) restringe o uso da buzina. Ela deve ser acionada exclusivamente, em um breve toque, para alertar outros motoristas ou pedestres. Assim, buzinar repetidas vezes ou em um toque longo, em locais proibidos (como áreas próximas a hospitais) e das 22h às 6h é infração leve, conforme o artigo 227 do Código.

Ficar sem combustível

Trafegar “no limite” do combustível disponível também rende multa. Foto: Reprodução

Esqueceu de abastecer o tanque e ficou sem gasolina? Pode ser que você volte pra casa com uma multa de R$ 130,16, quatro pontos na carteira e ainda ter o seu veículo removido, de acordo com o artigo 180 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que diz: ficar imobilizado na via por falta de combustível é infração média.

Dirigir com o braço para fora do veículo

Foto: Reprodução

Essa provavelmente a maioria dos motoristas já fizeram, principalmente aqueles que gostam de andar com os vidros do carro abertos. Se você tem o costume de dirigir com o braço para fora da janela do carro, preste atenção ao que diz a lei.

O art. 252, inciso I, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), considera essa atitude uma infração média e a penalidade aplicada é uma multa de R$ 130,16 e quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Transitar em marcha à ré

Foto: Reprodução

Transitar em marcha à ré, que deve ser usada exclusivamente para pequenas manobras, como se fosse algo normal ou sem necessidade, pode ser configurado uma infração grave e com uma multa no valor de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira.

Jogar objetos na via

Foto: Divulgação Detran PR

Além de não ser uma atitude apropriada para o meio ambiente, jogar objetos nas vias também pode ser considerado uma infração de trânsito média e quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A multa caso o motorista seja flagrado realizando a ação é de R$ 130,16.


PM realiza palestra sobre direção segura em hospital de Itapemirim

Palestra sobre direção segura no Hospital Evangélico de Itapemirim. Foto: Reprodução | Polícia Militar

A Polícia Militar realizou na tarde desta quinta-feira (21) uma palestra no Hospital Evangélico Litoral Sul, em Itapemirim, para orientar os colaboradores sobre a importância da direção segura e o respeito às normas do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

O evento teve ainda como foco chamar atenção para o alto índice de acidentes e mortes das estradas federais e capixabas.



[Vídeo] Bate papo com André Cerqueira e Rodrigo Lacerda, especialista da ANTT, sobre segurança nas rodovias

Recentemente, o consultor da Fetransportes, André Cerqueira e o especialista em regulamentação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Rodrigo Lacerda participaram de uma live sobre segurança nas rodovias brasileiras.

Para prolongar esse debate tão importante, o Movimento Online convidou André Cerqueira e Rodrigo Lacerda para um bate papo no quadro Movimento Trânsito para tratar de alguns assuntos, como, os esforços atuais da ANTT para a segurança, responsabilidade das concessionárias, a estrutura das rodovias, entre outros, assista:


[Vídeo] Mortes no trânsito: motociclistas são quase metade das vítimas no ES

Quase 50% das mortes no trânsito do Espírito Santo envolveram motociclistas neste ano. Este é um tema delicado. Especialista em trânsito e representante do Movimento Capixaba para Salvar Vidas no Trânsito (Movitran), André Cerqueira explica que a cada ano aumenta a venda de motos e que o contexto da pandemia ocasionou sobrecarga de trabalhadores que utilizam o veículo.

Outros pontos que ele aborda são a educação e a formação de condutores, que não estaria de acordo com as demandas do trânsito, além da conservação do próprio veículo e os equipamentos de proteção individual, necessários para os motociclistas.

Uma alternativa para que o motociclista possa ter orientações para uma direção mais segura e conviver em harmonia no trânsito é o curso oferecido pela Moto Vena.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui