Governo volta a suspender cirurgias eletivas devido ao avanço da Covid-19 no ES

Estão suspensos os procedimentos médicos programados, ou seja, que não são considerados de urgência e emergência, e que demandem atendimento ambulatorial

0
Leito de UTI no Jayme Santos Neves - Foto: Foto: Adriano Zucolotto/Governo-ES

Estão suspensos todos os procedimentos eletivos, entre eles cirurgias, que necessitem de internação hospitalar na rede pública própria e contratadas do Estado, em decorrência do avanço da Covid-19 no Espírito Santo. A medida é da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (13).

Segundo a Portaria 013-S, assinada pelo titular da pasta, Nésio Fernandes, “a segunda expansão de casos, internações e óbitos por pacientes acometidos por SARS-CoV-2 e a obrigação da garantia do acesso ao paciente de urgência e emergência, seja atingido pela COVID-19 ou por outras condições coexistentes”, obrigou a tomada dessa decisão.

Desta forma, estão suspensos os procedimentos médicos programados, ou seja, que não são considerados de urgência e emergência, que demandem atendimento ambulatorial.

Ainda segundo a portaria, “os procedimentos eletivos suspensos poderão ser autorizados a qualquer tempo mediante ato administrativo interno da Subsecretaria de Atenção à Saúde, de acordo com o comportamento epidemiológico da pandemia no Estado do Espírito Santo”.

Ao todo, existem 1.319 leitos de UTI (662) e de enfermaria (657) exclusivos para tratamento de infectados por Covid-19. A contratação de novos equipamentos por parte do governo estadual deverá ampliar o número de leitos para 1.532 (715 de terapia intensiva e 817 de enfermaria). A taxa de ocupação atual é de 78,55% para leitos de UTI e 69,10% para leitos de enfermaria. Considerando a ampliação esperada, as taxas de ocupação caem, respectivamente, para 72,73% e 55,57% dos leitos.

Fonte: Sesa/Governo do Estado do Espírito Santo

Agendamentos de consultas, exames e cirurgias eletivas não estavam suspensos por conta do aumento das infecções e mortes por Covid-19 desde agosto do ano passado no Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui