Pioneiro na exportação do café, empresário Jônice Tristão morre aos 90 anos

Governadores do Espírito Santo, Renato Casagrande e Paulo Hartung lamentaram a morte do empresário, que era considerado um visionário que revolucionou a economia capixaba

0
Jônice Tristão ao lado do pai José Ribeiro Tristão - Foto: Reprodução

Faleceu na manhã deste sábado (9) o empresário Jônice Tristão, aos 90 anos. Fundador do Grupo Tristão, um dos grupos empresariais mais tradicionais do Espírito Santo, foi responsável pelo início da exportação do café capixaba para o exterior, em 1960. A morte foi por causas naturais. Informações sobre enterro e velório não foram repassadas pela família para evitar aglomerações.

Além de ter sido fundador, Tristão foi presidente da empresa que é um conglomerado que atua na comercialização, armazenagem, industrialização e exportação de café, principalmente. Foi responsável pela criação das empresas Real Café e Café Cafuso.

 

O empresário também foi atuante no turismo. Em 1985, inaugurou a pousada Pedra Azul. Tristão foi político, representou o Espírito Santo como senador entre 1991 e 1999.

Recebeu premiações e condecorações importante em vida: em 1979, a Ordem Jerônimo Monteiro, maior honraria do Espírito Santo. Em 1982, a Ordem Rio Branco do Governo Brasileiro pela atuação como exportador de café. Em 2005, Personalidade do Ano, em Londres, uma homenagem da Câmara de Comércio Brasil/Inglaterra. Em 2010, Personalidade do Mercado Exportador Internacional, homenagem da National Coffee Association (NCA), dos Estados Unidos.

Governadores do Espírito Santo homenagearam o empresário. Renato Casagrande disse que Jônice Tristão foi um visionário, inspirou gerações de empresários capixabas.

O ex-governador Paulo Hartung afirmou que Tristão revolucionou a economia e o modo de investir no Espírito Santo e que o estado perde uma liderança importante.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui