Quarto de criança morta por incêndio em Vitória ficou bloqueado por chamas, diz Major

Bombeiros só conseguiram chegar até a vítima após a extinção do incêndio e realizar buscas dentro do apartamento

0
Estado do apartamento após o incêndio ser controlado Foto: Divulgação

Um incêndio ocasionou a morte de uma criança de quatro anos em um apartamento na Praia do Canto, em Vitória, na noite de segunda-feira (19). Ela estava em um quarto que foi bloqueado pelas chamas, conta Major Maurício, do Corpo de Bombeiros, o que dificultou a ação de resgate. O Corpo de Bombeiros recebeu a informação de que ocorria o incêndio por volta das 20h e o conteve rapidamente.

Haviam cinco pessoas dentro da casa: duas crianças, os pais e a avó. O pai conseguiu salvar uma das crianças e depois o Corpo de Bombeiros resgatou outras duas pessoas após a extinção do incêndio, a mãe e a avó. A outra criança ainda saiu com vida, mas em estado grave. Uma equipe do Samu tentou por horas reanimá-la e em um dado momento conseguiu. No entanto, minutos depois a vítima teve uma parada cardíaca e faleceu.

Uma criança havia sido retirada pelo pai e uma segunda ficou bloqueada pelo incêndio. As chamas estavam entre a saída e o acesso ao quarto dela. Ela não conseguiu deixar o cômodo por conta da fumaça, das chamas e do calor. Resgatamos duas pessoas após a extinção do incêndio, a mãe e a avó. Fizemos buscas dentro do apartamento e retiramos a criança ainda com vida. Iniciamos a massagem cardíaca já em trânsito, entre o imóvel e a ambulância. A equipe do Samu trabalhou por cerca de uma hora e vinte tentando reanimá-la“, diz o Major.

A criança inalou muita fumaça, o que causou asfixia química e térmica. Durante as tentativas de salvamento, pessoas faziam orações em local próximo à ambulância. A confirmação do óbito da criança veio às 23h10.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as outras pessoas foram atendidas pelo Samu e levadas para um hospital. Até o momento, as informações dão conta de que todas elas estão bem, não houve agravo.

Perícia e interdição

Foto: Divulgação

O Corpo de Bombeiros faz perícia na manhã desta terça-feira (20) no prédio para investigar o que ocasionou o incêndio. No local está também a Defesa Civil Municipal, que avalia a estrutura da edificação e vai definir se a mantém interditada.

Segundo Major Maurício, nenhuma hipótese sobre o que causou o incêndio foi descartada. Ele comentou que os danos maiores ocorreram no apartamento onde houve as chamas, mas que apartamentos vizinhos tiveram muita fuligem, fumaça e danos de fissuras.

A gente está com a equipe de perícia fazendo investigação de incêndio. Até o momento a gente não descartou nenhuma hipótese ainda. Simultaneamente a Defesa Civil Municipal de Vitória mandou uma equipe para fazer avaliação estrutural do prédio para verificar se será possível os moradores terem acesso ao prédio. Acredito que até o meio-dia haja alguma definição sobre a desinterdição ou não. O dano maior ficou localizado no apartamento, no terceiro andar. Os apartamentos vizinhos tiveram muita fuligem, muita fumaça e danos de fissuras“, fala o militar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui