Moradores de Vitória relatam diminuição de pó preto em residências; empresas emissoras explicam o motivo

0
Panorâmica da cidade de Vitória. Foto: divulgação/PMV

Os moradores de Vitória estão percebendo algumas mudanças durante a limpeza de suas casas. O pó de minério que aumentava os problemas respiratórios e prejudicava as faxinas diárias está diminuindo. A incidência da poluição é de longa data na cidade, os bairros Jardim da Penha, Camburi e Praia do Canto costumam ser os mais atingidos pela iminência da poeira escura nas residências. Ou costumavam.

Embora o principal alvo seja Vitória, no ano passado o município de Serra também foi atingido pela poeira preta no ar e, consequentemente, nas residências. Os moradores do bairro Carapebus relataram problemas respiratórios após chuva de pó de minério com coloração brilhante. Na ocasião, a empresa ArcelorMittal foi multada em R$ 9 milhões pela prefeitura da cidade.

A prefeitura de Vitória também decretou multas que giram em torno de R$ 100 milhões para empresas emissoras do pó de minério na cidade. Em julho, recente reunião da Comissão de Proteção ao Meio Ambiente discutiu Projeto de Lei na Assembléia Legislativa que propõe novas medidas para garantir a diminuição e controle da poluição do ar.

E agora, a batalha contra a incidência do pó de minério começa a surtir efeito. Pelo menos nos últimos dois meses, de acordo com a doméstica Arinete Tellau, de 59 anos, que trabalha há 9 anos em uma residência em Jardim da Penha. Ela relata que a diminuição, apesar de recente, é significativa.

“Nos últimos dois meses eu notei que diminuiu bastante, porque antes não podia deixar uma janela aberta que a casa ficava preta. Ainda tem [pó], mas diminuiu uns 70%. Eu trabalho em uma casa só. Todos os dias tínhamos que fazer o mesmo esforço, a varanda tinha que ser limpa três vezes ao dia, porque ventava muito e a varanda ficava preta e com quase um par de lixo cheio de pó. Agora eu limpo de manhã e só passo um paninho à tarde”, conta.

A autônoma Maria Alcione Fardim, de 58 anos, é moradora de Pontal de Camburi, e relata que também tem notado essa diminuição do pó de minério em sua residência há um ano.

“Percebi menos acúmulo dentro de casa, mesmo no tempo seco e ventania, não é como antes. Antes passava pano na casa e em menos de 1h já tinha pó acumulado. Hoje, pelo menos onde moro, está melhor. Além da sujeira dentro de casa, equipamentos tinham que ter uma limpeza constante. Até já tive eletrônicos que sofreram [danos] por conta de acúmulo do pó preto. Alergia também era constante. Tudo isso diminuiu”, explicou.

O bairro de Jardim da Penha, na capital capixaba, fica na rota do chamado “vento nordeste” o que faz com que as emissões do material sejam bastante sentidas pelos residentes da região.

Eu contato com a reportagem, um morador de Morada de Camburi divulgou a foto do lixo recolhido após faxina. De acordo com ele, a diminuição do pó preto é grande, perceptível ao comparar com o quês encontrava há alguns meses. Foto: Divulgação/Internauta

Afinal, o que causou a diminuição?

ArcelorMittal. Foto: divulgação.

Para saber se houve algum investimento com o objetivo de diminuir a incidência do pó no município de Vitória, o Movimento Online entrou em contato com a Arcelor Mittal, que, em nota respondeu sobre ações ambientais realizadas pela empresa neste sentido, e informou a possibilidade do morador verificá-las também no aplicativo Evoluir Arcelor Mittal. A ferramenta está disponível para download na loja de aplicativos Google Play e também na App Store.

Confira a nota na íntegra:

A ArcelorMittal Tubarão tem feito expressivos investimentos na área ambiental, ao longo dos anos, e vem cumprindo todas as ações acordadas junto ao Governo e aos Ministérios Públicos Estadual e Federal, quando da assinatura do Termo de Compromisso Ambiental (TCA), em 2018.

São ações já executadas – implementação de novos lava-rodas para evitar arraste e emissão de material particulado (18 estão em operação, sendo 12 novos); aplicação de polímeros nas pilhas de materiais; reforma do Sistema de Despoeiramento da planta de reciclagem de Coprodutos; enclausuramento de trechos de correias transportadoras; e maior visibilidade dos indicadores de desempenho dos equipamentos de controle ambiental – e outras em andamento – enclausuramento de Torres de Transferências e Prédios; pavimentação e drenagem de vias e pátios; avanço na instalação de equipamentos de controle nas Correias Transportadoras; otimização, visando redução dos pátios de materiais; e novo despoeiramento no Pátio de Beneficiamento de Coprodutos.

Além dessas ações previstas no TCA, a empresa tem se empenhado, continuamente, em evoluir para um novo patamar em gestão ambiental e mapeou outras iniciativas de aprimoramento que estão sendo executadas voluntariamente, dentro do seu Programa Evoluir.

O que diz a Vale

Vitória, Espírito Santo (ES), Brasil, 30/10/2014 – Porto de Tubarão – Navio atracado para carregar no Píer 2 (empregados sem identificação). Foto: Márcia Foletto/VALE divulgação.

A Vale também emitiu nota para comentar a respeito dos investimentos realizados no controle ambiental e na emissão do pó preto. A empresa ainda deu um prazo de dois anos, ou seja, 2023, para que a poeira de minério seja reduzida em até 93%.

Leia a nota na íntegra:

A Vale tem investido continuamente para aprimorar seus controles ambientais, conforme compromisso assumido com a sociedade e com os órgãos públicos. A empresa iniciou a implantação de seu Plano Diretor Ambiental, anunciado em 2018 no valor de R$ 1,27 bilhão, que conta com diversas ações para reduzir ao máximo a emissão de poeira e aprimorar a gestão hídrica na Unidade Tubarão, em Vitória. Com essas ações, até 2023 a Vale reduzirá suas emissões difusas de poeira em até 93% em relação a 2010.


Exercício é saúde! Profissional de Educação Física, Adriano Macedo detalha rotina e estratégias durante a pandemia

A pandemia causada pelo surto do novo coronavírus, como é sabido, fez a vida em 2020 ser diferente. Seja no âmbito econômico, político e social, é raro encontrar quem não teve que alterar a rotina por conta de mudanças impostas pelos órgãos de saúde nacionais e internacionais, a fim de diminuir a incidência da doença. Na área da educação física, profissionais e alunos precisaram rever conceitos e pensar em novas estratégias para manter o corpo – e mente – sãos.

No conteúdo desta semana para o quadro Movimento Saúde, o profissional da área, Adriano Macedo, concedeu uma entrevista exclusiva ao Movimento Online, em que contou quais foram as alternativas para conseguir manter os alunos e também sobre seu planejamento futuro, após os efeitos imediatos da pandemia cessarem.

Além desse questionamento, Adriano também comentou sobre a polêmica questão a respeito dos profissionais da área da educação física serem considerados como agentes de saúde. Assista, na íntegra, o bate-papo conduzido pelo repórter Erick Alencar:

Doenças psicossomáticas: Dra. Marta Cibien explica o que são e como enfrentá-las

Pouco se fala sobre as doenças psicossomáticas, no entanto, elas são mais comuns do que se imagina. Por isso, para explicar quais são os sintomas e como a doença se comporta no organismo, o Movimento Saúde convidou a psicanalista e especialista neste assunto, Marta Cibien.

Durante a entrevista, a psicanalista Marta Cibien fala sobre os fatores que influenciam a patologia psicossomática, como identificá-la, suas sequelas, dicas para o enfrentamento da doença, e, ainda, como o período de isolamento social pode desencadear o problema psicossomático e o que é preciso fazer para evita-lo neste período. Assista:


Médica infectologista fala sobre atual fase da pandemia de Covid-19 no ES

As últimas semanas no Espírito Santo foram de redução no número de casos e mortes do novo coronavírus. Há cinco meses desde o início da pandemia no estado, o número vem diminuindo mas ainda é preciso seguir as recomendações para evitar a disseminação do vírus.

A médica infectologista Dra. Rubia Miossi conversou com o Movimento Online e falou sobre como ela avalia, como especialista no assunto, a atual fase da pandemia no estado, e como está sendo a atuação dela frente a doença. Ela contou como ainda vem se adaptando ao momento, e confessou que não gosta do termo “novo normal”.

Ela ainda falou e deu sua opinião sobre como anda a evolução dos tratamentos previstos para a doença, e também sobre as inúmeras vacinas que estão sendo testadas pelo mundo todo. Assista:


“A cirurgia robótica foi a melhor notícia da medicina capixaba nos últimos 20 anos”, diz urologista

Integrante da equipe que fez a primeira a cirurgia robótica da história do Espírito Santo, o médico urologista Marcelo Lamy contabiliza, desde abril até o final de julho, 25 cirurgias com a presença do robô Da Vinci Xi.

Foram cirurgias de próstata, que surtiram ótimos resultados nos pacientes operados e muitos avanços para a medicina capixaba. O robô foi adquirido pelo Hospital Santa Rita, em Vitória, e tem sido guiado por uma equipe de médicos que se capacitaram, com cursos fora do país, para implantarem a tecnologia em terras capixabas.

Lamy, que está há 30 anos trabalhando com urologia, vê um vasto avanço na medicina do Estado com a inovação. Técnica menos invasiva, recuperação mais rápida, menos risco de contaminação são algumas das vantagens de ser operado por um robô. “A cirurgia robótica foi a melhor coisa que aconteceu na medicina capixaba nos últimos 20 anos”, disse Marcelo Lamy se referindo ao setor cirúrgico do Estado.

O urologista contou como estão sendo feitos os procedimentos, os cuidados aplicados na pandemia e quais são as melhorias que a tecnologia robótica tem trazido e vai trazer para pacientes e médicos. Confira tudo desse bate-papo clicando no vídeo.

Integrante da equipe que fez a primeira a cirurgia robótica da história do Espírito Santo, o médico urologista Marcelo Lamy contabiliza, desde abril até o final de julho, 25 cirurgias com a presença do robô Da Vinci Xi.

Foram cirurgias de próstata, que surtiram ótimos resultados nos pacientes operados e muitos avanços para a medicina capixaba. O robô foi adquirido pelo Hospital Santa Rita, em Vitória, e tem sido guiado por uma equipe de médicos que se capacitaram, com cursos fora do país, para implantarem a tecnologia em terras capixabas.

Lamy, que está há 30 anos trabalhando com urologia, vê um vasto avanço na medicina do Estado com a inovação. Técnica menos invasiva, recuperação mais rápida, menos risco de contaminação são algumas das vantagens de ser operado por um robô. “A cirurgia robótica foi a melhor coisa que aconteceu na medicina capixaba nos últimos 20 anos”, disse Marcelo Lamy se referindo ao setor cirúrgico do Estado.

O urologista contou como estão sendo feitos os procedimentos, os cuidados aplicados na pandemia e quais são as melhorias que a tecnologia robótica tem trazido e vai trazer para pacientes e médicos. Confira tudo desse bate-papo clicando no vídeo.

[Exclusivo] Clínica de Vila Velha negocia vacina contra a Covid-19 e estima preço da dose e data para distribuição

Com testes clínicos já sendo realizados no mundo e também no Brasil para a produção da vacina contra a Covid-19, a esperança de cura para o novo coronavírus, que só no País já matou mais de 75 mil pessoas2.136 no ES, tem ganhado ainda mais força nas últimas semanas.

E mesmo que o cenário das pesquisas, embora promissor, ainda seja incerto e necessitando comprovações, clínicas do Espírito Santo estão em busca de mais informações e negociações sobre a imunização. Com unidades em sete Estados brasileiros, a clínica de vacinação Prophylaxis, com sede em Vila Velha, acredita que em maio do ano que vem já tenha disponível a vacina para distribuição.

O técnico responsável pela Prophylaxis, Jair Silva Júnior, adiantou que já há uma conversa com laboratórios representantes, o britânico GSK e americano Pfizer, que estão juntos produzindo a vacina. As expectativas são positivas. O preço, no entanto, segundo Júnior, terá um valor elevado.

“A empresa já está em negociação com laboratórios que são nossos fornecedores e nos foi informado que provavelmente receberemos a vacina em maio ou junho de 2021. Talvez possa sair até mesmo antes desse prazo. A gente espera por isso. O valor deve ser um pouco elevado. Não podemos dar certeza ainda, mas a conversa até agora é que vai girar entre R$300 e R$400”, explica.

A clínica tem sede no Shopping Praia da Costa. Foto: Reprodução/Internet

Outras unidades capixabas também começam o planejamento

A Clínica NovaPrev, em Linhares, também aguarda as ações dos laboratórios GSK e Pfizer para saber quando as doses poderão ser compradas pela empresa capixaba.

“Não temos nada sólido por enquanto, o que temos é o fato dos laboratórios GSK e Pfizer, fornecedores da clínica, estarem desenvolvendo a vacina contra a Covid-19. Não conseguimos uma data certa, mas o que nos foi passado é que este ano não deve chegar nada para a rede privada. Mas estamos atentos e assim que tivemos novidades vamos divulgar nas nossas redes sociais”, disse a diretora administrativa da NovaPrev Vacinas, Karine Oliveira.

A CVP Vacinas disse que ainda está se informando sobre a vacina e não consegue dar uma previsão sobre uma possível compra de doses. A Vix Vacinas também aguarda maiores avanços em relação aos testes para poder se posicionar a respeito, mas se disse atenta as atualizações do setor.

A Immunize, de Guarapari, aguarda o andamento das pesquisas e testes para saber qual será a política da empresa.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) classificou a vacina de Oxford como a mais adiantada no mundo e, também, a mais avançada em termos de desenvolvimento.

Profissional de saúde em Vitória. Foto: André Sobral/PMV

Governo de São Paulo firma parceria

No Brasil, o Governo de São Paulo anunciou, no dia 10 de junho, parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac Biotech para produção e testes em estágio avançado de uma vacina contra o Coronavírus.

ES aguarda governo Federal

O governo do Espírito Santo, no entanto, vai aguardar os próximos passos do governo Federal e Mistério da Saúde.

“A Secretaria da Saúde informa que ainda não recebeu orientações do Ministério da Saúde sobre a oferta de vacina para imunizar a população contra a Covid-19. Esclarece, ainda, que a compra de vacina é de competência do Governo Federal.”


Fisioterapeuta neurofuncional fala sobre riscos de sequelas neurológicas em pacientes curados da Covid-19

Trabalhando há sete anos no Espírito Santo, o especialista em fisioterapia neurológica, Lucas Brino, contou como está sendo sua nova rotina de atendimento durante a pandemia do Novo Coronavírus e chamou a atenção para algumas das consequências que a doença pode trazer para quem se curou da Covid-19: as sequelas neurológicas.

O paulista, que se especializou na Unicamp-SP, se diz atento aos desdobramentos da doença. Lucas reforça que parte da população que se curou da enfermidade precisará de apoio de profissionais de saúde, especialmente os ligados a aérea neurológica, para conseguir sua reabilitação.

“A gente já começa a ver várias alterações neurológicas vinculadas à Covid-19. Já há estudo que diz que devido à Covid, 2% dos pacientes infectados sofrem um AVC. Isso aumenta um problema que já era grande. Isso vai gerar pessoas incapacitadas que vão precisar de reabilitação”, explica. Veja a entrevista completa.

Neurologista capixaba fala da rotina de atendimentos e protocolos durante a pandemia

A chegada de julho também marca o quarto mês da pandemia e de situação de quarentena no Espírito Santo, o que trouxe diversas mudanças drásticas em diversas áreas, principalmente na saúde. Novos protocolos de segurança e higiene agora devem ser tomados o tempo todo.

Conversamos com o médico neurologista Dr. José Antonio Fiorot Júnior, que além de trabalhar na área da saúde, é professor de uma faculdade particular da capital. Ele falou sobre essas mudanças nas áreas em que atua e também sobre o legado que ficará de todo esse momento em que não só o Brasil vive, mas o mundo.

Na neurologia, o Doutor explicou quais são os novos protocolos de segurança durante os procedimentos, sobre o seu trabalho no consultório e o relacionamento com seus pacientes e como o fato de ficar em casa pode se tornar um problema devido ao sedentarismo, e como isso afeta neurologicamente as pessoas.

Assista no vídeo abaixo: 

Nutricionista alerta para cuidados na alimentação e explica mudanças nas consultas durante a pandemia

Em tempos de pandemia, a alimentação pode ser uma aliada ou inimiga da saúde, tudo depende do equilíbrio na hora de se alimentar. Para alcançar uma dieta equilibrada, a ajuda de um profissional nutricionista se faz ainda mais necessária neste período de isolamento.

Para conversar sobre as mudanças nas consultas durante a quarentena e os benefícios que os cuidados com a alimentação podem trazer no combate a pandemia, a nutricionista Byanca França é a nossa convidada no Movimento Saúde. Assista:

Especialista em radiologia odontológica relata rotina na pandemia e destaca inovações tecnológicas

A pandemia do novo coronavírus fez o mundo parar. Diversas áreas da economia tiveram que literalmente limitar o funcionamento, para que medidas de contenção da doença de fato surtissem efeito. A área que, pelo contrário, precisa estar mais ativa do que nunca é, claro, a da saúde. Pensando nisso, o Movimento Online criou a série Movimento Saúde, para trazer até você, internauta, entrevistas com médicos das mais diversas especialidades para que seja feito o detalhamento das novas rotinas, procedimentos, e medidas de precaução.

O papo deste sábado (27) é com a doutora Márcia Gabriella, dentista, especialista em radiologia odontológica. Ao repórter Lucas Melo, contou a respeito das mudanças necessárias por conta da pandemia, além de explicar o uso de inovações tecnológicas na radiologia dentária. Assista a entrevista, na íntegra:



Covid-19: Deputados apresentam 2ª denúncia ao MPES e MPF-ES por irregularidades no Dório Silva

Deputados estaduais denunciaram irregularidades no atendimento de pacientes no hospital Dório Silva, na Serra, nesta semana. Com uma nova representação às procuradorias do Ministérios Público Federal (MPF-ES) e Estadual (MPES), os parlamentares destacaram, entre outros pontos, a falta de protocolo especial para separar pacientes com suspeita do novo coronavírus daqueles que já foram infectados.

A denúncia é mais um fruto da visita que fizeram à unidade (chamada de invasão pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa)), e foi realizada pelos deputados estaduais Carlos Von (Avante), Delegado Danilo Bahiense (PSL), Delegado Lorenzo Pazolini (Republicanos), Torino Marques (PSL) e Vandinho Leite (PSDB).

Na representação, os parlamentares pedem para que o Ministério da Saúde atentem à necessidade de acomodar os casos suspeitos ou confirmados pela Covid-19, preferencialmente em um quarto privativo, com porta fechada e bem ventilado (com janelas abertas). Se isso não for possível, o serviço de saúde deve, então, estabelecer a acomodação dos pacientes em coorte, ou seja, separar cada tipo de paciente (com suspeita ou confirmado) em uma determinada enfermaria ou área.

Deputados estiveram no Dório Silva, no início deste mês. Foto: Reprodução/Instagram

Contudo, segundo a denúncia dos deputados estaduais, no Hospital Dório Silva inexiste tal prática. De acordo com a representação, o pedido acontece “tendo em vista estarem na mesma acomodação, sem nenhuma divisão, pacientes suspeitos com pacientes confirmados”.

Irregularidades confirmadas por médicos do Dório Silva

Além disso, o Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM/ES) realizou reunião com os parlamentares, no dia 17 de junho, trazendo conhecimento técnico dos problemas e, ainda, confirmando essas irregularidades que foram apresentadas por médicos e por profissionais de saúde que atuam na unidade hospitalar, na Serra.

O documento dos parlamentares ressalta, ainda, que “a vida dos pacientes está sendo colocada em risco” e que “é necessário que o Estado crie condições de atendimento nas unidades de saúde”. Diante dos fatos verificados, os deputado pedem que sejam tomadas as providências civis e criminais com o objetivo de garantir a integridade de cada cidadão atendido.

Primeira representação contra o secretário de Estado da Saúde

Secretário de Saúde do Espírito Santo, Nésio Fernandes. Foto: Secom/Palmas

No último dia 17, os deputados já haviam protocolado, no Ministério Público do Trabalho, outra representação contra o secretário de Estado da Saúde. Nela, houve a denúncia de irregularidades e infrações trabalhistas. A primeira denúncia continha imagem, apresentada e denunciada pelos próprios funcionários do Dório Silva, na qual demonstrava que colegas tinham que deitar em papelões, próximos a contêineres, para o descanso ou a pausa para alimentação.

Outra providência tomada pelo grupo foi um envio de ofício, nesta segunda-feira (22), ao Corpo de Bombeiros, na figura do comandante-geral da corporação, coronel Alexandre Cerqueira, com pedido de fiscalização dos militares para verificar se as condições de segurança dos demais hospitais públicos estão em dia.

O que diz a Sesa

Questionada sobre a representação contra o secretário Nésio Fernandes e a denúncia realizada  após verificarem irregularidades no atendimento prestado aos pacientes com Covid-19 no hospital Dório Silva, na Serra, a Secretaria de Estado de Saúde respondeu apenas que ainda não foi notificada sobre o assunto.



Cirurgião plástico capixaba relata protocolos de segurança e rotina de trabalho durante a pandemia

Com o avanço mundial do novo coronavírus (Covid-19) e a pandemia oficialmente declarada, a população e os profissionais, principalmente os da área da saúde, tiveram que alterar drasticamente as suas rotinas.

Não foi diferente com as cirurgias plásticas, que foram à principio suspensas e postergadas, mas que aos poucos vem voltando o mais próximo da normalidade. Médicos e suas equipes tiveram que se adequar ao “novo normal”.

Conversamos com o Dr. Julio Riva Neto, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, sobre o seu trabalho durante a pandemia. Ele também conta o que mudou, os protocolos de segurança adotados, o legado que ficará pós-pandemia e ainda de todos as fases de um procedimento, desde a primeira consulta até a mesa de cirurgia. Assista no vídeo abaixo: 


Diretora médica do Hospital Meridional Serra explica como unidade trabalha no combate à Covid-19

A pandemia do novo coronavírus afetou a capacidade hospitalar em todo país. No Espírito Santo, as unidades hospitalares foram ampliadas com a ajuda do setor público, inclusive hospitais particulares. Mas este não é o caso do Hospital Meridional Serra (antigo Hospital Metropolitano).

Trabalhando apenas com leitos privados, o Hospital Meridional Serra adotou uma série de medidas de segurança para os pacientes e profissionais que estão da linha de frente de combate ao novo coronavírus. A diretora-médica do hospital, Drª. Lia Canedo, conversou com o Movimento Online sobre como que o Meridional Serra trabalha durante a pandemia.

Confira a entrevista completa:


[Vídeo] Enfermeira cria máscaras de proteção para recém-nascidos durante a pandemia

A pandemia do novo coronavírus promoveu uma série de mudanças nos hábitos comportamentais de todos nós. Há alguns meses, a máscara se tornou objeto fundamental para proteção contra a Covid-19, inclusive seu uso é obrigatório em todo o Espírito Santo. Porém, o uso não é recomendado para crianças menores de 2 anos de idade.

Foi justamente daí que surgiu a ideia da enfermeira Kessya Scalzer de produzir uma máscara que pudesse ser utilizada por recém-nascidos e bebês, mantendo a segurança. Após pesquisas e estudos, ela passou a produzir um face shield (máscara facial de acetato) para os bebês e vem obtendo o maior sucesso.

O Movimento Online conversou com Kessya e na entrevista ela explica como surgiu a ideia, a elaboração e o sucesso nas vendas com as máscaras.

Confira a entrevista completa:



[Vídeo] Neurocirurgião fala da rotina de atendimentos com a pandemia da Covid-19

A pandemia causada pela Covid-19 vem afetando diversas especialidades médicas. Como você já acompanhou no Movimento Saúde, diversos atendimentos e procedimentos foram adiados os cancelados devido ao novo coronavírus e não foi diferente com as atividades neurológicas nesse período.

Com a exceção de procedimentos de urgência e emergência que seguiram normais, consultas e cirurgias eletivas sofreram queda. Quem explica o cenário é o neurocirurgião Dr. Ruy Rodrigues.

Confira a entrevista completa: 



Por R$ 6,36 milhões, Governo compra álcool em gel do RJ sem justificativas de preço; valor está acima do encontrado no ES

No início de abril deste ano, a Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo (Sesa) comprou 400 mil unidades de 500 ml de álcool em gel 70° para higienização das mãos, de uma empresa do Rio de Janeiro, no valor de R$ 6,36 milhões. De acordo com o contrato, o produto, de 500 ml, foi adquirido pelo valor unitário de R$ 15,90. O custo pode ser considerado caro, caso façamos comparação com a venda em supermercados capixabas de varejo.

Em pesquisas feitas pela internet, é possível encontrar o item higienizador por preços bem abaixo do que o Governo capixaba adquiriu da empresa carioca. A Tantum Prestação de Serviços e Soluções e Empreendimentos Eireli é a responsável pela venda do álcool em gel. A sede da companhia fica no município de São Fidélis, próximo a Campos, região interiorana no Norte Fluminense.

O valor de quase R$ 16 para o Espírito Santo chama ainda mais atenção quando é encontrada evidência da proposta feita (e aprovada), para a prefeitura de São José de Ubá, município também do Norte do Rio, no dia 30 de março. Na ocasião, foi sugerido um acordo de compra de mil unidades de um litro de álcool líquido 70º, para a “desinfecção de superfícies fixas”, pelo valor unitário de R$ 8,38, quase a metade do valor pelo qual o governo capixaba adquiriu os itens de higiene.

Contrato proposto para a prefeitura de São José de Ubá, também no Norte fluminense.

A Tantum Soluções tem o serviço de comércio atacadista de produtos de higiene, limpeza e conservação domiciliar como uma atividade secundária na disposição de sua Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAEs), e presta variados serviços nesta classificação. Por exemplo: Montagem e desmontagem de andaimes, serviço de reboque de veículos, obras de alvenaria, comércio atacadista de frutas, verduras e legumes. A atividade primária da empresa é instalação de iluminação pública.

De acordo com o endereço indicado nos documentos, a reportagem pesquisou por meio do Google Maps e Google Street View a localização exata da empresa, mas não encontrou uma fachada na rua Dr. Faria Serra, no Centro. Ao pesquisar “Tantum Soluções”, não foi possível encontrar, também, uma referência física.

A reportagem entrou em contato com a empresa. O setor jurídico afirmou ter realizado entrega dos materiais para o ES dentro do prazo estipulado em contrato, entre os dias 10 e 16 de abril, em duas remessas.

Contratações sem licitação

Para a contratação de serviços, o decreto de calamidade pública, válido até o dia 31 de julho, permite que o governo não faça licitações. Isso, para que não se tenha burocracia e perda de tempo em um momento emergencial, como o enfrentado nesta pandemia de Covid-19.

No entanto, são necessárias algumas justificativas. A própria Procuradoria Geral do Estado (PGE) apresentou uma série de orientações feitas para contratações, de acordo com o texto apresentado no decreto.

Itens 3 e 4 do Fluxograma de Contratação Direta, apresentado pelo site da PGE/ES cita as prerrogativas sobre precificação dos contratos feitos sem licitação, em estado de calamidade pública (Imagem retirada do site nesta quinta-feira (12). Foto: Reprodução.

Dentre elas, o contratante (no caso, o governo capixaba) precisa ter como parâmetro na referência de preços a consulta a banco de preços, busca em sites e a cotação de fornecedores; a comparação de preços ofertados pela futura contratada em entes públicos ou privados; e a tabela de preços especialmente criadas para esta finalidade.

Caso o preço esteja acima da estimativa, a contratação não é impedida por conta de oscilações ocasionadas pela variação de preços; no entanto, é preciso também justificar a contratação.

Na última terça-feira (9), pedimos ao governo capixaba tais documentos, mas até o momento da publicação desta reportagem, nada foi enviado à reportagem.

Preços mais em conta

Até mesmo em redes do varejo capixaba, onde é possível encontrar produtos em menor quantidade, é possível encontrar preços mais baixos. Em uma rede de supermercados do Espírito Santo, o material com as mesmas características, mesmo volume, e com valor abaixo dos R$ 10.

Foto: Reprodução. Pesquisa de preço feita no

Sem respostas do governo

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) foi procurada pela reportagem, na última terça-feira (9). Foi questionado se as remessas haviam chegado de acordo com o que foi previsto no contrato, e como se deu o processo de contratação da empresa Tantum Soluções, de forma a verificar a justificativa e concorrência de preços entre propostas, mas até o momento da publicação desta matéria não houve qualquer resposta ou posicionamento.



Presidente da Associação Médica do ES rebate declaração de secretário e fala sobre possível lockdown

A pandemia do novo coronavírus, para além dos debates exclusivamente na área da saúde, também desencadeia troca de ideias no campo da política, já que decisões de governos são imprescindíveis para ações de combate à pandemia. Nesta semana, vimos um desses embates.

Após o secretário de Estado do governo do ES, Tyago Hoffmann, dizer a um portal de notícias local que chegaria o momento em que médicos decidiriam “quem vive e quem morre”, nos hospitais capixabas, a Associação Médica do ES (Ames) publicou nas redes sociais uma nota de repúdio à declaração (veja ao fim da matéria). Para falar sobre o documento emitido e também outros temas relacionados à pandemia, o presidente da Ames, Dr. Leonardo Lessa, concedeu entrevista exclusiva ao Movimento Online. Assista:


Conselho de Medicina do ES apresenta tabela de hospitais com falhas de segurança nos atendimentos

A Unidade de Pronto Atendimento (PA) e o Pronto Socorro (PS) de São Mateus apresentaram falhas na segurança para atendimento médico, de acordo com os fiscais do Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES). Desde o início da pandemia, no dia 26 de março até 22 de maio, foram visitadas 23 unidades de saúde instaladas na Grande Vitória e no interior do estado, constatando apenas duas com situações inadequadas para atendimento.

As unidades com falhas se encontram em São Mateus, uma é o Pronto-Socorro de São Mateus (US3) e a outra é o Pronto Atendimento desse mesmo município para o atendimento nesse período de pandemia por Covid-19.As falhas ou não conformidades identificadas foram constatadas no mês de maio e comprometiam a segurança da equipe médica e também dos pacientes.

As fiscalizações foram intensificadas nos hospitais e unidades da rede pública e privada de saúde para verificar a adequação às novas exigências da Anvisa, Ministério da Saúde, sociedades de especialidades e do próprio Conselho de Medicina para o correto e seguro atendimento aos casos suspeitos e confirmados de Covid-19.

Leia também no Movimento Saúde: [Vídeo] Conselheiro do CRM-ES explica ações de fiscalização da segurança de médicos durante a pandemia

No que diz respeito aos locais onde foram constatadas as falhas, a fiscalização do CRM-ES frisou a importância e necessidade dos gestores adotarem e seguirem os protocolos e orientações do Ministério da Saúde, Secretaria de Estado da Saúde e autoridades sanitárias em geral.

Confira os problemas constatados na tabela abaixo.

AS UNIDADES FISCALIZADAS
Período: 26/03 a 15/05/2020

VITÓRIA SITUAÇÃO
Hospital Estadual Dr. Benício Tavares Pereira (Hospital Central) Em conformidade
Hospital Estadual de Urgência e Emergência Em conformidade
Hospital Infantil N.Sra. da Glória Em conformidade
Pronto Atendimento de São Pedro Em conformidade
Pronto Atendimento Dra. Milena Gottardi (Oncologia Infantil – HPM) Em conformidade
Pronto Atendimento da Praia do Suá Em conformidade
Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes Em conformidade
VILA VELHA SITUAÇÃO
Pronto Atendimento de Cobilândia Em conformidade
SERRA SITUAÇÃO
Hospital Metropolitano Em conformidade
Hospital Estadual Dr. Dório Silva Em conformidade
Hospital Estadual Dr. Jayme dos Santos Neves Em conformidade
CARIACICA SITUAÇÃO
Hospital Meridional Em conformidade
Pronto Atendimento do Trevo Em conformidade
CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM SITUAÇÃO
Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim Em conformidade
Hospital Infantil Francisco de Assis Em conformidade
Santa Casa de Misericórdia Em conformidade
Hospital Unimed Centro Em conformidade
Hospital Unimed Barrio União Em conformidade
Pronto Atendimento Paulo Pereira Gomes Em conformidade
LINHARES SITUAÇÃO
Hospital Geral de Linhares Em conformidade
Hospital Unimed Norte Capixaba Em conformidade
SÃO MATEUS SITUAÇÃO
Pronto-Socorro de São Mateus (US3) NÃO conformidade – Avental de proteção disponibilizado apenas para plantonistas do turno da noite. No período da manhã, somente os médicos que atendem pacientes com sintomas gripais recebem avental.

 

Óculos ou protetores faciais são entregues somente a profissionais que atendem casos suspeitos de Covid-19 ou que realizam a coleta de SWAB.

 

Não é disponibilizado aos usuários da unidade o álcool em gel, álcool 70% ou qualquer outro meio para higienização das mãos

 

Máscaras protetoras também não são disponibilizadas aos usuários durante a triagem e espera por atendimento.

 

 

UPA de São Mateus NÃO conformidade –  O atendimento inicial é feito em uma tenda na área externa da unidade, que não possui banheiro ou pias próximas para higienização do paciente e do médico.

 

O fornecimento de máscaras N-95 é feito apenas para a realização de procedimentos em contato com paciente, sendo que o médico deve mantê-la consigo.

 

O prazo para troca das máscaras é de 15 dias.

 

Apenas profissionais que atuam no atendimento a pacientes com Covid-19 passaram por treinamento.

 

 

Nova fiscalização

Uma nova fiscalização será realizada, agora no mês de junho, para verificar se as não conformidades foram sanadas. O CRM-ES continua realizando fiscalizações com roteiros que obedecem aos critérios de unidades mais movimentadas, referenciadas para Covid-19 e solicitações de equipes médicas.

Caso o médico constate irregularidade em seu local de trabalho, deve denunciar diretamente ao Conselho por meio do site, onde consta plataforma específica e de fácil identificação na página principal. Confira no link.

As denúncias ajudarão o Setor de Fiscalização a priorizar, de forma mais assertiva, as unidades a serem vistoriadas.


O maior hospital materno infantil do Espírito Santo já tem nome oficial. Com 30% dos mais de 22 mil votos registrados, Maria da Glória Merçon Vieira Cardoso foi a escolhida para dar nome ao Hospital Materno Infantil, que está em fase final de construção, no bairro Colina de Laranjeiras.

A disputa foi acirrada. Ao todo, foram 22.486 votos registrados. Maria da Glória recebeu a maioria dos votos, seguida de Jolindo Martins (2º lugar), Arnaldo Ferreira (3º lugar) e Zilda Arns (4º lugar).

Maria da Glória marcou a história das mulheres capixabas que lutavam por espaço no mercado de trabalho. Ela se formou em 1961, na primeira turma de medicina da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), na qual havia apenas quatro mulheres, incluindo ela.

Ao se especializar em pediatria, Maria tornou-se a primeira mulher do Espírito Santo a atuar na área. Foram 40 anos como pediatra, dedicando a vida a cuidar de crianças e adolescentes do Estado.

Além de médica, também foi professora, por 30 anos, da matéria de pediatria na Ufes. Maria da Glória fez parte de um grupo pequeno que abriu as portas para as mulheres na profissão. Para o marido da médica, Reginaldo Cardoso, Maria da Glória foi pioneira na luta das mulheres para entrar no mercado de trabalho.

Maria da Glória faleceu em 27 de maio de 2007.

Perto de ser inaugurado, o Hospital Materno Infantil é uma das principais obras do Estado. “Essa obra vai beneficiar não só a Serra, mas todo o Espírito Santo. As mães e as crianças vão contar com um espaço adequado e moderno e com todos os serviços de saúde necessários para essa fase da vida”, disse o prefeito da Serra, Audifax Barcelos.

Sobre o Hospital Materno Infantil

O local tem previsão de atender 8.700 gestantes por ano e realizar 725 partos por mês. Serão 135 leitos: 60 maternos, 60 infantis e 15 semi-intensivos.

Projeto do Hospital Materno Infantil da Serra – Foto: Divulgação/PMS

Dentre os 15, serão 10 UCINCo (convencional) para atendimento a recém-nascidos considerados de médio risco e que demandam assistência contínua. E serão cinco UCINCa (canguru), modelo de assistência no qual o recém-nascido permanece o tempo todo em contato, pele a pele, com a mãe ou o pai.

A maternidade funcionará de porta aberta e receberá casos de risco habitual, ou seja, partos de baixa complexidade. As mamães serão acolhidas e classificadas, conforme suas necessidades. Já o setor infantil realizará internações e cirurgias de baixa complexidade, com vagas que serão reguladas pela Prefeitura da Serra para destinação aos moradores.

A Política do Parto Humanizado está garantida com, por exemplo, a inserção do acompanhante no processo de atendimento ao bebê e à gestante. Haverá, ainda, leitos PPP: Pré-parto, Parto e Pós-parto, ou seja, a gestante permanece no mesmo local até sua alta.

A área do Hospital Materno Infantil é equivalente ao tamanho de dois campos e meio de futebol. A estrutura é composta por três pavimentos distribuídos em assistência materno-infantil e serviços de apoio diagnóstico e terapêutico.

___________________________

Umas das principais áreas da medicina afetadas pela pandemia do novo coronavírus é a oncologia. Como já mostramos aqui no Movimento Online, pacientes com câncer são grupo de risco e precisam manter os atendimentos em meio a pandemia. E para falar sobre a rotina de atendimentos do hospital referencia no tratamento oncológico no estado, convidamos o diretor-geral do Hospital Santa Rita, Carlos Clayton Lobato.

Na entrevista, o diretor fala como está o funcionamento do hospital neste período, os principais cuidados que a direção precisa tomar para impedir a alta incidência do vírus, além de dar demais informações técnicas sobre o local. Assista a mais um episódio da série Movimento Saúde:


Covid-19: saiba como é feita a fiscalização em hospitais pelo Conselho de Enfermagem do ES

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) alterou a rotina de todos os profissionais da saúde, principalmente os que atuam na linha de frente: médicos e profissionais de enfermagem. Para explicar as ações de fiscalização das condições de trabalho e estrutura dos hospitais no estado, o Movimento Online conversou com a presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo (Coren-ES), Andressa Barcellos, e com a conselheira Paula Freitas.

Na entrevista, elas citaram a campanha de fiscalização Anna Nery, que visita os hospitais privados e públicos do estado após denúncias de irregularidades, como falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e também sobra a própria infraestrutura hospitalar.

Outra novidade dita em primeira mão é que, de acordo com a presidente Andressa, o Estado irá realizar nas próximas semanas o Inquérito Sorológico nos profissionais da saúde, com a intenção de aumentar os dados do impacto da Covid-19 nos enfermeiros, técnicos, auxiliares e médicos.

Confira a entrevista completa:

 



[Vídeo] Endocrinologista tira dúvidas sobre imunidade em tempos de pandemia

Com a presença da Covid-19 na vida das pessoas, um termo em específico passou a ser tema em conversas e debates: a imunidade. Com o vírus circulando, cada vez mais essa palavra é mencionada. Mas afinal, o que é imunidade, e como tê-la em bons níveis pode nos ajudar no combate à doença? Quem responde a essa e diversas perguntas sobre o tema é o médico endocrinologista, Dr. Thiago Bastos.

Na entrevista, o médico fala da mudança na rotina com a declaração de pandemia do novo coronavírus. Além disso, se aprofundou em relação a imunidade, métodos de alimentação para aumentá-la e reforçou o apelo para que as pessoas cuidem da saúde mental neste período de pandemia.

Confira a entrevista completa:


[Vídeo] Campanha Outubro Rosa 2020 deverá ser virtual no ES, diz gerente da Afecc

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de todos os setores e não foi diferente com a Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Afecc), que é a mantenedora do Hospital Santa Rita, referência no tratamento de câncer no Espírito Santo. Com a pandemia, uma das principais ações da Afecc, a organização do Outubro Rosa deverá ser de forma virtual.

A afirmação é da gerente-executiva da Associação, Jacqueline Ermidorf, que é a convidada do Movimento Saúde. Ela também falou sobre a nova rotina da Afecc e os cuidados que foram tomados a partir da pandemia.

Confira a entrevista completa:



[Vídeo] Covid-19: Referência no Norte do ES, Hospital Rio Doce muda a rotina para enfrentar a pandemia

A pandemia do novo Coronavírus fez a rotina de médicos e demais profissionais da saúde, além de hospitais, mudar. Entre novos horários, procedimentos e protocolos de segurança para proteger pacientes e funcionários, está o combate à pandemia. Referência no combate à Covid-19 no Norte do ES, o Hospital Rio Doce, em Linhares, é um exemplo disso.

Para saber mais a respeito dessas mudanças e aprimoramentos (com novos leitos, por exemplo), nesta quinta-feira (28) o Movimento Saúde traz uma entrevista exclusiva com a diretora administrativa da unidade, Maria de Fátima Bianchardi, e também a chefe de enfermagem do hospital, Denise Milanez. Confira:


Diretor do Hospital Evangélico de Vila Velha fala sobre carga de trabalho e ocupação de leitos durante a pandemia

A pandemia do novo coronavírus causou uma sobrecarga no sistema de saúde e no Espírito Santo não foi diferente. Informações do governo do Estado dão conta do aumento em nove vezes da capacidade de leitos da rede pública e um dos artifícios usados para a expansão de leitos foi a contratação de unidades em hospitais privados e filantrópicos.

Na entrevista do Movimento Saúde de hoje, a gente conversa com o médico cirurgião e diretor-técnico do Hospital Evangélico, Dr. Enrico Miguel, que falou sobre a rotina no hospital a partir do momento da declaração da pandemia, os cuidados e o aumento no número de leitos disponíveis.

Outro fator citado pelo Dr. Enrico foi a divisão entre leitos privados e cedidos ao Sistema Único de Saúde (SUS). O diretor garantiu que há vagas no sistema privado e no sistema público e falou sobre a possibilidade de supressão do sistema como um todo.

Confira a entrevista completa:



Capixaba e diretor do AC Camargo, referência no tratamento de câncer no Brasil, Dr. Victor Piana fala ao Movimento Online

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de várias especialidades médicas e como você vem acompanhando no Movimento Online, trazemos a palavra de vários profissionais da saúde das mais diversas áreas para falar sobre a rotina alterada com a pandemia. Uma das especialidades que não pode parar as atividades é a oncologia, como lembrou o médico Dr. Fernando Zamprogno.

Ainda sobre a área oncológica, de alto risco por conta dos pacientes em tratamento pertencerem, na maior parte das vezes, ao grupo de risco, entrevistamos o Dr. Victor Piana, diretor médico do A.C. Camargo Cancer Center – uma das referências internacionais no tratamento de câncer – localizado em São Paulo.

Na entrevista, o Dr. Victor, que é capixaba, mas está em São Paulo há mais de 10 anos, explica os protocolos médicos do AC Camargo e como que o centro médico tem lidado com a pandemia e cita a utilização da telemedicina como ferramenta importante e alternativa durante a pandemia.

Confira a entrevista completa:



[Vídeo] Dentista apresenta cuidados especiais durante pandemia e fala de atendimento por videoconferência

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de diversas especialidades médicas e serviços de saúde. Uma delas é a odontologia, que teve que suspender atividades não urgentes num primeiro momento, como explicou a Drª. Ariane Mendonça, em entrevista ao Movimento Online.

Quem conversou com a nossa reportagem no quadro Movimento Saúde dessa vez, foi a também dentista especializada em procedimentos estéticos, Drª. Ariane Mendonça, que falou sobre como a rotina dela está alterada com a pandemia e citou a telemedicina, através de atendimentos por telefone como uma tendência.

Confira a entrevista completa:



[Vídeo] Psicóloga alerta para surgimento de síndromes e importância de atendimento em tempos de pandemia

A pandemia do novo coronavírus trouxe diversas preocupações com a saúde mental das pessoas. Seja pela carga de trabalho, ou pelo isolamento social, há relatos de diversas síndromes surgindo por conta das pressões causadas pela pandemia. Para tratar, buscar o terapeuta é um dos caminhos.

O Movimento Online entrevista, em mais um bate papo do Movimento Saúde, a Drª Raquel Bastos de Siqueira. Na conversa ela cita como está o trabalho dela em tempos de isolamento social e dá dicas de quais sinais identificar para antes de procurar um profissional psicólogo durante a pandemia.

Confira a entrevista completa:


200 anos de enfermagem: professor da Ufes, Jorge Guimarães conversa com o Movimento Online

O ano de 2020 marca os 200 anos de uma das mais importantes profissões: a enfermagem. Justamente no ano que marca os duzentos anos do nascimento de Florence Nightingale, considerada a mãe da profissão, os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem enfrentam um dos principais desafios da história que é a pandemia do novo coronavírus.

Professor do departamento de enfermagem da Universidade Federal do Espírito Santo, Jorge Guimarães de Souza, explica, em entrevista ao Movimento Online, a importância dessa profissão no combate da pandemia e fala também sobre as principais demandas da categoria que está na linha de frente dos hospitais.

Confira a entrevista completa:



[Vídeo] Deputado estadual e médico anestesiologista, Hudson Leal conta como divide as funções em tempos de pandemia

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de praticamente todas as pessoas, seja em isolamento social ou seja com a carga de trabalho intensificada, como é o caso do médico anestesiologista Hudson Leal, que também é deputado estadual pelo Republicanos. Com a chegada da Covid-19, Leal voltou a atuar majoritariamente nos hospitais e centros  cirúrgicos.

Especialista em anestesiologista, Hudson conta da mudança na rotina, nos cuidados com os pacientes e a importância do profissional de anestesia para a intubação de pacientes com Covid-19. Por fim, o médico também comenta a pressão que o governo vem sofrendo para a instalação de hospitais de campanha.

Confira a entrevista completa:


 

[Vídeo] Conselheiro do CRM-ES explica ações de fiscalização da segurança de médicos durante a pandemia

Na linha de frente do combate a pandemia do novo coronavírus, os médicos são um público com risco elevado de contágio da Covid-19. Para tentar evitar a contaminação, os Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) são fundamentais. Para garantir que essas e outras demandas sejam atendidas, o Conselho Regional de Medicina do Estado (CRM-ES) criou um comitê de enfrentamento a pandemia.

Para explicar a atuação desse comitê e as principais demandas dos médicos, o Movimento Online convidou o médico ginecologista e obstetra e corregedor do CRM-ES, Dr. Aron Stephen Souza.

Confira a entrevista completa:


 

[Vídeo] Ginecologista e obstetra fala dos principais cuidados com as grávidas durante a pandemia

Uma das diversas áreas da medicina que não podem parar mesmo em tempos de pandemia do novo coronavírus é a obstetrícia. Os partos seguem acontecendo normalmente e a Dra. Chiara Musso, médica ginecologista, obstetra e professora da Universidade Federal do Espírito Santo, explicou em entrevista ao Movimento Saúde como estão sendo realizados os procedimentos.

Dra. Chiara também relatou as principais mudanças da rotina como médica ginecologista em tempos de pandemia, detalhou como tem lidado com as grávidas nas consultas de pré-natal, além de falar dos cuidados especiais na hora do parto.

Confira a entrevista completa:


[Vídeo] Fator de risco: oncologista destaca importância dos diagnósticos de câncer durante pandemia

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de realização de exames de rotina importantes, que foram deixados de lado num primeiro momento por conta da determinação de isolamento social. Apesar disso, para o médico oncologista Dr. Fernando Zamprogno, que concedeu entrevista para o Movimento Online, os exames que podem ajudar no diagnóstico de câncer são fundamentais mesmo durante a pandemia.

Zamprogno alertou para a importância desses exames, além de falar da rotina de trabalho em tempos de pandemia e os cuidados com pacientes que estão em processo de tratamento de algum câncer. De acordo com ele, houve mudança na rotina do hospital e cuidados na hora do atendimento. Assista:


[Vídeo] Saúde dos olhos durante pandemia: oftalmologista reforça necessidade de consultas presencias

A pandemia do novo coronavírus trouxe uma nova realidade na rotina nos médicos. Pensando nisso e para tirar as dúvidas da população nesse momento novo e histórico, o Movimento Online traz nas séries de entrevistas do Movimento Saúde, diversos especialistas estão utilizando a ferramenta da telemedicina para prestação de serviços. Porém algumas áreas necessitam do atendimento presencial, como a oftalmologia.

A afirmação é do Dr. Fabrício Nasr Brochado, médico oftalmologista, que também explicou como os consultórios estão se prevenindo do contágio da Covid-19. Na entrevista, o Dr. Fabrício explica que também há triagem de pacientes antes da chegada ao consultório, tudo para evitar a proliferação da Covid-19.

Confira a entrevista completa: 


 

Um dos serviços afetados pela pandemia do novo coronavírus são os cuidados com a boca, os serviços de dentista. Tratamentos eletivos como limpeza e clareamento dental estão suspensos por conta das determinações de isolamento social. Mas quando é a hora de procurar um dentista? Essa e outras perguntas foram respondidas pela Drª Paula Naim Bastos, em entrevista ao Movimento Online.

A cirurgiã dentista detalhou os atendimentos de emergência e urgência nesses tempos de pandemia e alertou para a intensificação da higiene bucal, haja visto que a boca é um dos principais pontos de transmissão de vírus e bactérias.

Confira a entrevista completa:


 

Durante o cumprimento das medidas de isolamento social, muita gente se pergunta o que fazer com as crianças dentro de casa, além de diversas outras dúvidas em relação ao perigo da Covid-19 nos pequenos. Na série de entrevistas do Movimento Online, conversamos com o médico pediatra Dr. Rodrigo Aboudib, que explicou como tratar as crianças em tempos de pandemia.

O médico alertou para a necessidade do isolamento social das crianças, que são agentes transmissores da doença, falou como está a rotina de atendimentos dele em tempos de pandemia, e também ressaltou que as crianças que estão infectadas com a doença não costumam manifestá-la com sintomas graves, mas que mesmo assim o cuidado deve ser redobrado.


A pandemia do novo coronavírus mudou a rotina de diversas especialidades médicas. Uma delas é a infectologia, área de medicina que estuda o contágio de infecções virais. Na série de entrevistas do Movimento Online, conversamos com o médico infectologista Dr. Lauro Ferreira Pinto, que fez uma análise da profissão em tempos de pandemia.

O médico explicou o que mudou na rotina dele com a chegada da pandemia, mostrou preocupação com o que ele chamou de “isolamento social meia boca” que os brasileiros estão fazendo e alertou a população dos principais cuidados a se ter com o contágio do novo coronavírus.

Confira a entrevista completa: 

Há quase dois meses o mundo convive com uma pandemia. A Covid-19, popularmente chamada de novo coronavírus, já tirou a vida de milhares de pessoas, e a cada dia que  passa a incerteza de uma cura rápida aumenta. O isolamento social tem sido uma ferramente utilizada pelos governantes para tentar frear a curva de contágio do vírus, e desde então a rotina da maioria das pessoas mudou.

Sem ter como ir trabalhar ou trabalhando de home office, com as recomendações de apenas sair na rua para fazer o essencial, as pessoas tem ficado a maior parte do tempo dentro de suas casas. E para aqueles que sofrem com qualquer distúrbio psicológico, isso pode acabar se tornando um gatilho para piorar o quadro de alguns pacientes psiquiátricos, por exemplo.

Dessa forma, com o objetivo de entender qual o papel da psicanálise nas pessoas durante esse período complicado que o mundo vive e, a equipe do Movimento Online conversou com o médico, psiquiatra, psicanalista, escritor, jornalista e professor da Universidade Federal do Espírito Santo, Paulo Bonates.

Foto: Reprodução

De acordo com ele, a única forma que a psicanalise consegue ajudar neste momento é, de fato, analisando. Paulo afirma que a questão de possíveis síndromes de pânico se devem ao fato de não existir um objetivo definido, num cenário no qual há milhões de opiniões e ninguém sabe muito bem o que realmente se passa. Além disso, que os governos, de modo geral, também não sabem governar, ainda de acordo com a análise do professor.

“O homem para sobreviver, considerando que o homem é o animal mais frágil do mundo, precisa do outro homem. Ninguém é capaz de falar uma língua que só a pessoa saiba e nem praticar uma religião que só a pessoa pratique”, disse Paulo.

Sigmund Freud. Foto: Reprodução

Citando Sigmund Freud, médico neurologista e psiquiatra, o criador da psicanálise, Paulo explicou que o ser humano tem a necessidade do inter-relacionamento, que é nada mais do que “estabelecer ou de ser alvo de uma relação recíproca entre duas ou mais coisas, pessoas”. 

Sobre a psicanalise, Paulo disse que como não tem o “outro” no isolamento, explicando que nesse caso a família não é o “outro”, e sim o mesmo grupo com que a pessoa já cresceu, e que não ter relacionamento com a alteridade¹, tal cenário é extremamente perigoso para qualquer pessoa.

“As pessoas sozinhas não fazem sentido, isoladas também não fazem sentido”, disse Paulo. E para explicar sua fala, de como as pessoas se completam, ele utilizou uma metáfora:

“suponha que você está no maracanã, ninguém sabe cantar o hino nacional. Começam a cantar, ninguém sabe cantar a segunda parte…concorda? Mas se você gravar aquela cantoria toda, todo mundo desafinado, chega na sua casa e põe a música. Não tem uma nota fora, porque automaticamente uma voz vai completando o que falta na outra”

Para suprir a necessidade de um atendimento especializado para pessoas que necessitam de tratamentos psiquiátricos, Paulo sugeriu que os governos organizem uma central de atendimento totalmente dividida, de modo que as pessoas sejam atendidas por psicanalistas ou psiquiátricas.

“Muita gente está precisando medicar, sem dormir, de trabalhar as fobias. Do ponto de vista psicanalista, está havendo uma carência, está sendo tudo na base da suposição. Vamos ficar todo mundo dentro de casa.. eu fico porque eu tenho medo, porque conseguiram botar medo em todo mundo, e nada mais”, disse.

Atendimento na pandemia

Paulo explicou que, como não pode ir ao seu consultório, que está fechado devido à pandemia, tem feito contato com seus pacientes pelo celular, e alguns até chegam a ir no prédio onde mora para uma consulta rápida. Ele conta que desce para atender a pessoa, dentro da segurança dele e do prédio.

Ele define o momento como uma situação traumática, e completa dizendo que ninguém existe sem a relação com o outro, mesmo que não vá à casa da pessoa, ao bar, é necessário que tais possibilidades existam. Ele ainda deu um exemplo de um presidiário. Nas prisões, os detentos têm que sair diariamente para dar uma volta no pátio, “se não pira”.

“Se você deprime, você fica muito mais vulnerável a outras doenças, se você não tratar a cabeça, em uma situação de horror, você vai ter muito mais possibilidade de ficar doente. A medicação do paciente psiquiátrico é contínua, não para, o paciente toma durante anos e se não fizer isso delira”, disse.

¹Alteridade: É a concepção que parte do pressuposto básico de que todo o ser humano social interage e interdepende do outro.


Médico radiologista explica importância dos exames de imagem no combate à Covid-19

(Assista ao vídeo no final da matéria) A Covid-19 tomou conta de praticamente toda a atenção dos médicos e hospitais do mundo com a pandemia causada pela infecção do novo coronavírus. No combate a doença, uma arma é fundamental: os exames de imagem, que ajudam a identificar a progressão da doença, além de criar padrões para melhorar o diagnóstico.

Na série de entrevistas do Movimento Online, o médico radiologista Dr. Fabrício Bastos, conversou com nossa equipe de reportagem e explicou como está a rotina dos exames de imagem no período da pandemia e como a tomografia, por exemplo, pode ser fundamental no diagnóstico dos pacientes.

Confira a entrevista completa:

 

 


[Vídeo] Médico urologista explica detalhes da primeira cirurgia com robôs realizada no ES

No último mês foi realizada a primeira cirurgia robótica no Estado. A operação com a inovação tecnológica conduziu a retirada de um câncer de próstata no Hospital Santa Rita, em Maruípe, Vitória. O robô Da Vinci Xi, executor do procedimento, é um sistema cirúrgico moderno e utilizado no mundo inteiro.

O integrante da equipe de médicos que realizou a primeira cirurgia robótica no Estado, doutor urologista Marcelo Lamy conta detalhes do feito inédito pela medicina capixaba.

O urologista e mais dois especialistas participaram do procedimento e em entrevista cedida ao Movimento Online, ele explicou a realização cirúrgica, suas vantagens e o avanço tecnológico no Estado. Assista:


[Vídeo] Mudanças em procedimentos e alerta para grupo de risco: cardiologista intervencionista fala ao Movimento Online

Parte integrante do grupo de risco da Covid-19, os cardíacos têm preocupado os médicos em todo mundo. No Espírito Santo, não é diferente. Dos mais de 2500 casos confirmados do novo coronavírus em solo capixaba, 400 são pacientes cardiopatas. Diante desse cenário, o Movimento Online conversou com o cardiologista intervencionista, Dr. Vinícius Fraga Mauro, que falou como está sendo o trabalho dele em tempos de pandemia.

Especialista em intervenções com cateter para tratamento cardiológico, o médico relatou a mudança no método de trabalho com os novos protocolos de segurança. Além disso, o doutor reforçou a atenção com os cardíacos nesses tempos de pandemia, além da relação da Covid-19 com complicações do coração.


[Vídeo] Durante pandemia, cardiologista alerta para que cuidados com o coração não sejam esquecidos

Com a chegada da pandemia do novo coronavírus, muito tem se falado sobre a capacidade do sistema de saúde do Brasil. Assim como no mundo todo, a maior parte dos leitos hospitalares estão sendo destinados para o combate da Covid-19. Em entrevista ao Movimento Online, o cirurgião cardiologista Dr. Melchior Luiz atenta para a necessidade, porém, de olhar também para as pessoas que possuem problemas cardíacos.

Durante a entrevista, o médico, que atua nos principais hospitais do Espírito Santo, explicou que as cirurgias eletivas foram suspensas, porém caso haja necessidade, as cirurgias cardíacas também estão sendo realizadas. Salientou, ainda, que um paciente cardíaco com necessidade cirúrgica é tão grave quanto os casos graves da Covid-19.

Ele também alertou sobre os cuidados gerais que os cardiopatas – que também compõem o grupo de risco da Covid-19 – devem tomar durante os tempos de pandemia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui