Tubarões Cansados: bem-estar e saúde por meio da natação em mar aberto

0
Foto: Reprodução

Muito mais do que um bom condicionamento físico, o esporte faz você conhecer novas pessoas e muito além da saúde física, ajuda, e muito, a saúde mental daqueles que praticam alguma atividade. E foi com esse propósito que o grupo de nado “tubarões cansados” foi criado em 2016, por cinco amigos que praticavam o esporte sozinho e que passaram a se reunir para isso.

Desde a criação, o grupo se reúne toda segunda, quarta e sextas-feiras para realizar os treinos, que variam a distancia de acordo com cada nadador. Além disso, que nos finais de semana se reúnem com outros grupos de nado para realizarem travessias mais longas pelas ilhas de Vitória e Vila Velha.

De acordo com um dos criadores do grupo, o representante Comercia de 39 anos, Luis Felipe Mathias Gomes, o grupo é organizado pelo whatsap, facebook e instagram, onde a partir dessas plataformas chegam novos integrantes. As recomendações do grupo, de acordo com Luis, é nunca nadar sozinho, sempre utilizar touca e óculos específico e se possível uma bóia de segurança para ter maior visibilidade no mar.

Luis Felipe Mathias Gomes, o segundo da esquerda para direita, com os demais fundadores do grupo Foto: Reprodução

Luis explica que a questão da saúde foi um dos grandes motivos para muitos dos integrantes iniciarem no grupo, e que muitos tinham dificuldades de iniciarem uma atividade física por não terem companhia. Ele conta que, de acordo com relatos, que muitas pessoas controlaram pressão arterial, melhoraram condicionamento físico e estão menos estressadas.

“Eu iniciei no esporte na corrida mas me encontrei mesmo na natação, que eu faço há quatro anos. O convívio social e a atividade física melhora o condicionamento e o ânimo as pessoas, e isso influencia na disposição das pessoas para trabalhar e terem uma vida melhor e sem estresse”, disse.

“Os meus dias nunca mais foram os mesmos”

Assim relatou o empresário de 39 anos, Vinicius Moraes, desde que começou a fazer parte do projeto. Ele contou que se mudou do Rio de Janeiro para o Espírito Santo e procurava por novos amigos para nadar. Foi quando achou o grupo do Tubarões Cansados no nas redes sociais e se identificou. Depois disso fez contato com o grupo, que o recebeu de braços abertos.

“Depois desse dia, eu nunca mais parei de nadar. Eu tive que me disciplinar a acordar cedo e isso me ajudou muito. Fico mais disposto e a minha produtividade no trabalho melhorou. A natação é a minha seção de terapia diária. Eu saio leve e tranquilo da água. Além dos benefícios no meu corpo como flexibilidade e preparo físico e também perda de gordura e ganho de massa muscular”, ressaltou Vinicius.

Marcado na pele

Literalmente marcado na pele. O passeador de cães Alan Brasil, de 38 anos, leva tão a sério o nado que fez uma tatuagem do ícone do grupo, um mini tubarão com cara de cansado. Ele conta que já nadava antes, mas sempre quis nadar mais cedo, e por isso foi convidado pelo grupo e está até hoje, desde agosto de 2018.

“O esporte é fundamental para ajudar no meu dia a dia. Me da mais disposição para o dia.
Eu geralmente saio de casa às 4:50 de bicicleta (pedalo 10km) para nadar. E praticar qualquer esporte no nascer da manhã é inexplicável , ajudando na saúde física e principalmente mental. Por isso, o esporte é recomendado para todos, nem que seja dez minutos de caminhada, corrida, bicicleta ou natação, esporte é vida”, disse Alan.

Desenvolvimento do esporte

Marcio Junqueira, atleta de maratona aquática com uma bonita históriaa no Estado com a natação em mar aberto, completou em julho o maior desafio de sua vida, quando cruzou nadando o Canal da Mancha, um trecho de mar entre a Inglaterra e a França. Ele destacou o papel desempenhado pelo grupo Tubarões Cansados, incentivando mais pessoas a nadarem.

Para Márcio, o trabalho feito pelo grupo é de fundamental importância porque cada pessoa tem uma meta. Tem quem quer voltar a nadar, quem quer aprender a nadar, tem pessoas que se preocupam com a qualidade de vida, de manter os indicadores de saúde em dia, pessoas que se preocupam em competir e em cumprir desafios.

“A natação capixaba é unida, e tem um objetivo em comum que é justamente você ter foco, disciplina, planejamento para atingir as suas metas. Esse grupo tem esse papel importante de ajudar o esporte a crescer e ajudar no desenvolvimento dele. A natação precisa disso, ela só parece um esporte individual, mas é um esporte coletivo. Somos uma tribo em busca de um só ideal, que é ter qualidade de vida”, destacou Márcio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui