De Baixo Guandu, goleira capixaba conquista título no futebol croata e vaga na “Champions” feminina

A atleta começou sua carreira no Vila Nova-ES e foi tricampeã pelo clube nos anos de 2015, 2016 e 2017. Sua boa atuação lhe rendeu passagens pelo América-MG, Ipatinga-MG, e Audax-SP

0
Karol Alves com a taça do campeonato croata de futebol. Foto: Arquivo Pessoal

Karol Alves só tem 23 anos, mas já é motivo de orgulho para os habitantes de Baixo Guandu, cidade do noroeste do Espírito Santo que faz divisa com Minas Gerais. A capixaba conquistou no último domingo (9) o título do campeonato croata de futebol feminino pelo ŽNK Split, feito que credenciou sua equipe a disputar a Liga dos Campeões da Europa, a “Champions League” feminina.

A atleta começou sua carreira no Vila Nova-ES e foi tricampeã pelo clube nos anos de 2015, 2016 e 2017. Sua boa atuação lhe rendeu passagens pelo América-MG, Ipatinga-MG, e Audax-SP.

No ano passado, Carol foi contratada pelo ŽNK Split para ser a dona da camisa 1 do time croata. E de lá pra cá não largou o posto mais.

“Os agentes croatas me viram jogar no Audax. Eles precisavam de uma goleira para assumir a titularidade e eu fui escolhida. No início foi um pouco difícil por conta da língua. Eu não falava inglês e o croata é extremamente complicado de entender. Mas hoje eu já me viro bem melhor. Estudo inglês e aprendi umas palavras básicas em croata para falar com as jogadoras dentro de campo. Estou muito feliz com esse título. Minha família está em festa”, conta a goleira.

Capixaba de Baixo Guandu levanta taça do campeonato croata de futebol. Foto: Arquivo pessoal

Karol disse que quando é possível, família e amigos acompanham os jogos pela internet. Mas nessa final não teve transmissão. Então, assim que a partida acabou ela deu um jeito de atualizar toda sua torcida.

“Estava todo mundo na expectativa de saber o resultado e assim que vencemos comecei uma live no Instagram para família toda saber. Foi uma alegria enorme. Agora é aguardar o calendário da Champions que ainda não foi divulgado, mas vai acontecer em outubro”, explica.

O título conquistado  veio de uma derrota por 4 a 1. No entanto, a equipe de karol havia vencido em casa o primeiro jogo contra o ŽNK Osijek por 7 a 1.

“Não foi uma vitória, mas nós tínhamos feito o dever de casa e vencido muito bem. Então pudemos até perder na casa delas que levantamos a taça. Tínhamos feito a nossa parte”, acrescenta.

Karol Alves, goleira do ŽNK Split, da Croácia. Foto: Arquivo Pessoal

O treinador de Karol durante sua passagem no Vila Nova, Luciano Tadino, conta que desde quando se juntou à equipe canela-verde a goleira mostrava que tinha grande potencial e apreço pelo futebol.

“Conheci a Karol durante um amistoso que o Vila Nova fez com um time amador da cidade dela, Baixo Guandu. Por conta da boa atuação dela a convidei para se integrar ao nosso time e ela prontamente aceitou. Fomos tricampeões capixabas. Ela também atuou no Futebol 7 do Vila, foi campeã da Copa do Brasil de 2017, eleita a melhor goleira da competição e também foi convocada para a Seleção Brasileira naquele mesmo ano. Ela sempre foi muito dedicada, Karol treinava como se estivesse jogando. Ela é merecedora desse sucesso”, comenta Tadino.

O Vila Nova, que é comandado por Luciano, está disputando o Campeonato Brasileiro Série A2. A competição foi interrompida em março após a primeira rodada, por conta do novo coronavírus e retorna às atividades em outubro. O Vila empatou com o Atlético-MG, em 0 a 0, na estreia, e pega o Real Brasília-DF, no dia 25/10.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui