Em junho, ES tem queda de 36,93% em pedidos de seguro-desemprego

Estado teve 13.262 requerimentos registrados em junho deste ano; número menor que o de maio, quando houve 18.160 pedidos

0
Carteira de Trabalho. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasil

De acordo com o Ministério da Economia, houve 13.262 pedidos de seguro-desemprego no Espírito Santo em junho deste ano. Comparado a junho do ano passado, representa um acréscimo de 32,83%, quando foram contabilizados 9.984 requerimentos. Quanto ao mês anterior, houve a diminuição de 36,93% de solicitações, em que se registrou 18.160 pedidos.

Ao todo, 77,4% dos pedidos no Estado foram feitos pela internet em junho. Em maio, ainda mais pessoas utilizaram o meio virtual: 86,2%. Em junho do ano passado, sem o cenário da pandemia, apenas 1,5% fez o pedido desta forma.

Brasil 

O número no país, 653.190 solicitações em junho, também representa uma queda em relação a maio, que teve 960.309 pedidos, o que significa 32% a menos. No entanto, é maior que junho de 2019, quando ocorreram 508.886 requerimentos, um aumento de 28,4%.Do total de pedidos de junho, 443.492 (67,9%) foram realizados via web.

Os três estados com maior número de requerimentos foram São Paulo, com 199.066 pedidos; Minas Gerais, com 70.333, e Rio de Janeiro com 52.163 requerimentos.

Perfil dos solicitantes

Ao todo, 39,6% são mulheres e 60,4% homens. A faixa etária que concentrava a maior proporção de requerentes é de 30 anos a 39 anos de idade, com 32,1% dos pedidos. Em termos de escolaridade, 59,9% têm ensino médio completo.

Setores econômicos

Em relação aos setores econômicos, os pedidos estiveram distribuídos entre serviços (41,7%), comércio (25,4%), indústria (18,7%), construção (10,1%) e agropecuária (4,1%).

Resultado acumulado

No acumulado de janeiro a junho, foram contabilizados 3.950.606 pedidos de seguro-desemprego. O número representa aumento de 14,8% em comparação com o acumulado no mesmo período de 2019, de 3.442.780 pedidos. Do total de requerimentos em 2020, 53,1%, o equivalente a 2.096.532, foram realizados pela internet, seja por meio do portal gov.br ou pela Carteira de Trabalho Digital.

No mesmo período de 2019, apenas 1,4% dos pedidos (49.752) foram realizados via internet.

Atendimento

Segundo o Ministério da Economia, as Superintendências Regionais do Trabalho do Governo Federal ampliaram os esforços para garantir o atendimento não presencial aos cidadãos durante o período da pandemia da Covid-19. Foram disponibilizados canais adicionais de atendimento remoto. Para dúvidas e esclarecimentos, o empregado pode acionar as superintendências por meio de formulário online.

***Com informações da Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui