O que se sabe até agora sobre o assassinato do PM da reserva, ex-assessor do Capitão Assumção

Mário André do Carmo Moranti ocupava o cargo de Técnico Júnior de Gabinete, e foi admitido em 2019, segundo informações do site da Ales

0
Mário André do Carmo Morandi, policial da reserva assassinado a tiros em Vila Velha. Foto: Reprodução/ Facebook

O policial militar da reserva, Mário André do Carmo Morandi, que foi morto a tiros nesta terça-feira (7), no bairro Itapoã, em Vila Velha, trabalhava desde fevereiro de 2019 no gabinete do Capitão Assumção (Patriota). O crime aconteceu em uma padaria.

Mário André do Carmo Moranti ocupava o cargo de Técnico Júnior de Gabinete, e foi admitido em 12/02/2019, segundo informações do site da Transparência da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales).

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa de Assumção confirmou a informação de que o policial assassinado tinha um cargo comissionado no gabinete do deputado e disse que o parlamentar não iria se pronunciar sobre o falecimento do funcionário naquele momento porque era um momento de tristeza.

 

Mário foi morto em padaria de Vila Velha, na noite desta terça-feira (7). Foto: Divulgação.

Veículo foi encontrado carbonizado

O carro utilizado no crime, um Toyota Corolla, foi incendiado e deixado na Rodovia Leste Oeste, na noite desta terça. Ele está sendo relacionado ao crime. Em nota, a polícia civil disse ter periciado o carro.

“Um veículo, que pode estar relacionado ao crime, foi encontrado incendiado na Rodovia Leste Oeste horas depois do fato, e já foi periciado. Até o momento nenhum suspeito foi detido e outros detalhes não serão repassados para que a apuração dos fatos seja preservada.”  

Testemunhas que estavam próximas ao local do crime disseram que os autores dos disparos chegaram no veículo, de cor preta. Afirmaram, também, que os criminosos chegaram a entrar no estabelecimento para cometer o homicídio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui