Polícia apreende sete armas em “casa de alto padrão” na zona rural de Guarapari

Dono das armas dava festas regadas a álcool na residência e publicava em redes sociais ostentando o material que possuía

0
Armas e materiais apreendidos na zona rural de Guarapari - Foto: Divulgação/Sesp

Após denúncias anônimas, policiais civis e militares apreenderam sete armas em um sítio na localidade de Tartaruga, na zona rural de Guarapari. Revólveres, escopetas e carabinas foram recuperadas durante a ação que ocorreu na manhã deste sábado (27). Um suspeito foi encaminhado para a Delegacia do município para prestar esclarecimentos e foi liberado para, inicialmente, responder em liberdade.

De acordo com o titular da Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc), Guilherme Eugênio, a polícia recebeu denúncias da realização de festas em uma propriedade rural considerada de alto padrão, e que no local haviam várias armas de fogo.

A polícia recebeu denúncias do 181, da realização de festas regadas a muito álcool e drogas, em uma propriedade rural de alto padrão, no município de Guarapari, e que nesse local haviam várias armas de fogo e o proprietário ostentava essas armas nas redes sociais. Representamos por um mandado de busca e apreensão que foi cumprido hoje (27), onde localizamos as armas de fogo, simulacro, diversas armas brancas e drogas para consumo pessoal“, informou o titular do Denarc, delegado Guilherme Eugênio.

Durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão foram apreendidos dois revolveres calibre 38, 37 munições de mesmo calibre, duas pistolas de calibre 380, 77 munições do mesmo calibre, duas escopetas calibre 12, 23 munições de mesmo calibre, uma carabina calibre 38, dois simulacro de kit glock e de submetralhadora – além de algemas, soco inglês, diversas armas brancas e um jet loader.

O delegado afirmou que as armas foram modificadas para terem maior poder de destruição.

Veja no vídeo:

O suspeito, encontrado no local, que foi detido pela polícia estava com a licença de porte de arma vencida, por isso teve de prestar esclarecimentos.

Antes das diligencias a PC entrou em contato com a Polícia Federal e verificou a irregularidade das armas, e que o registro de porte estava vencido há mais de 10 anos. O procedimento será encaminhado o procedimento para a Polícia Federal para que seja reavaliado o registro de porte que ele possuía“, diz Eugênio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui