Majeski questiona planejamento de volta às aulas no ES durante a pandemia

Questões feitas envolvem segurança e proteção, considerações baseadas na idade dos alunos, as escolas e a tendência de evolução da doença no Estado

0
Sergio Majeski em sessão virtual na Ales - Foto: Leonardo Tononi

Na tarde desta quinta-feira (25) a Secretaria de Estado da Educação (Sedu) deve anunciar o planejamento para o retorno das aulas no Espírito Santo. O assunto, no entanto, já foi alvo de críticas por parte do deputado estadual Sergio Majeski (PSB) que questionou o cenário atual da pandemia do coronavírus (Covid-19) no Estado e considerou “um despropósito falar de retorno das aulas presenciais”.

Atualmente, o Espírito Santo tem 1.463 mortes e 38.483 casos confirmados da doença, de acordo com a atualização do Painel Covid-19 de quarta. O parlamentar encaminhou uma série de questionamentos à Sedu e pergunta sobre o embasamento que a pasta tem para determinar a reabertura de escolas.

Qual o embasamento da Sedu para determinar a reabertura das escolas num futuro próximo? Os questionamentos abrangem pontos essenciais que deverão ser analisados pelo Poder Público antes que seja autorizada a retomada das aulas presenciais nas instituições de ensino“, diz Majeski.

No Requerimento de Informações, as questões feitas envolvem segurança e proteção, considerações baseadas na idade dos alunos, as escolas (recursos, infraestrutura e as políticas para educadores e funcionários) e a tendência de evolução da doença no Estado, de acordo com um documento publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Majeski acredita que é necessário estudar a reabertura de escolas para organizar a rede de ensino, mas ressalta que o momento poderia ser melhor aproveitado para que o material disponibilizado aos alunos tenham melhor qualidade, assim como o acesso dos estudantes à educação.

A curva continua aumentando, o número de contaminados e mortes só cresce. Diante disso, é um despropósito falar de retorno das aulas presenciais. É claro que é preciso estudar esse retorno desde já, para organizar a rede de ensino. Mas esse momento poderia ser mais bem aproveitado para melhorar o material que é disponibilizado aos alunos, melhorar o acesso dos alunos em termos de tecnologia e capacitar os professores para essa nova demanda“, diz o parlamentar.

A Sedu foi questionada pela reportagem, mas não emitiu posicionamento antes da coletiva de imprensa marcada para 15h, em que estará presente o secretário Vitor de Angelo, junto ao governador Renato Casagrande.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui