Delegado e policiais militares flagrados com drogas em Vila Velha são liberados

Corregedorias da Polícia Militar e Polícia Civil estão apurando o caso. Militares e delegado poderão continuar em atuação até que as investigações terminem

0
Foto: Reprodução

Um delegado e dois policiais militares foram flagrados com cerca de 16 kg de drogas no bairro Morada do Sol, em Vila Velha. Eles estão sendo investigados pelas corregedorias da Polícia Militar (PM) e da Polícia Civil (PC). Tudo ocorreu após uma denúncia de que uma casa havia sido arrombada e que os indivíduos ainda estariam no local. Ao chegarem na ocorrência, os agentes identificaram três pessoas dentro da residência. Se tratavam de um delegado de Piúma, David de Santana Gomes, e dois policiais militares, Juliano Araújo dos Santos e Cleyton Correia Gavi, que estavam de folga e com dispensa médica.

O secretário de Estado da Segurança (Sesp), Coronel Alexandre Ramalho, explicou o andamento do caso na manhã desta quinta-feira (28), em entrevista coletiva. De acordo com Ramalho, os militares responsáveis encontraram drogas com os três envolvidos, mas ainda pairam dúvidas sobre as circunstâncias do caso.

Secretário de Segurança do ES, Cel. Alexandre Ramalho. Foto: Divulgação/Sesp

No decorrer da abordagem, os policiais também identificaram uma quantidade de droga que estava dentro de um sacola que já estavam com eles, além de uma pistola. Eles não estavam fardados. A história fica conturbada e resolveram acionar o escalão superior para identificar com clareza o que estava acontecendo. A ocorrência foi levada para a Delegacia Regional de Vila Velha. Por ter pairado dúvidas, solicitamos que as corregedorias acompanhassem e todos os procedimentos apuratórios foram adotados“, relata o secretário.

A Corregedoria da PM vai abrir inquérito policial militar para apurar o que motivou a presença dos policiais na residência, e o fato de terem drogas em mãos. Ramalho contou que ambos estavam liberados das atividades por período determinado. Um por questões ortopédicas e o outro, psiquiátricas.

Quanto a Polícia Civil, ficou o questionamento: por que um delegado de outra circunscrição, como Piúma, no Sul do Estado, estaria numa casa em Vila Velha, ao lado de militares flagrado com drogas após a denúncia? Segundo o secretário, a Corregedoria da PC vai realizar uma investigação preliminar sumária, para elucidar as dúvidas.

Para Ramalho, não é momento para ser feito “juízo de valor”, e sim para aguardar toda a apuração do fato ser realizada.

Todo o processo será apurado com o máximo de lisura, de interesse público, de respeito às instituições, e o mais importante, respeitando todo o ordenamento jurídico existente no nosso país“, comenta Ramalho.

Enquanto acontecem as investigações, os três envolvidos vão continuar atuando. O delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda, e o comandante-geral da Polícia Militar, Douglas Caus, ainda avaliam se todos permanecerão em seus locais de trabalho.

Material encontrado com o delegado e policiais – Foto: Divulgação/PCES

O outro lado 

De acordo com o secretário, em depoimento, o delegado afirmou que estava em diligência conjunta com a Polícia Militar.

Ele disse que acompanhava já há algum tempo e teria recebido a informação de que naquela residência havia uma certa quantidade de drogas. Ainda afirmou que tentou contato com policiais civis de Piúma, mas pela distância não teria sido possível. Por isso, solicitou ajuda a estes militares. Ele investigava o tráfico de drogas e é comum ramificações em outros municípios“, relata Ramalho.

Delegados têm permissão de realizar ações em outros municípios, de acordo com a urgência da atuação em meio a denúncias e flagrantes. Ou seja, situações emergenciais.

A casa

O secretário falou ter recebido informações de que a casa é de um irmão de um capitão da corregedoria da PM e havia sido alugada, a partir de um site.

Talvez a pessoa era displicente e não apurou quem era a pessoa que estava alugando. Essa pessoa alugou a casa para um terceiro. Várias circunstâncias estão envolvidas, mas não podemos afirmar de concreto o envolvimento de ninguém nesta situação“, diz o secretário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui