Capixaba e ex-árbitro da Série A do Brasileirão, Wallace Valente destaca: “A culpa não é do VAR”

Para o espaço do leitor no Movimento Online, Wallace pede mais coragem aos árbitros brasileiros, para que não desaprendam a apitar

0
Alto Falante
Imagem: Freepik
Por Wallace Valente
Foi um dos principais árbitros capixabas e apitou muitos jogos da Série A do Brasileirão durante a carreira.
O futebol brasileiro está, a cada rodada, envolvido em polêmicas por lances de jogos de suas competições. Muito se discute sobre o uso do VAR e a eficácia dele. Afinal, ele foi pensado justamente para reduzir as polêmicas e, a meu ver, só causou mais. Diante disso, concluímos que alguma coisa está errada. O problema está no VAR ou está numa arbitragem que se acovardou, que se esconde atrás do equipamento, e não assume lances mais simples de se decidir? O árbitro está desaprendendo a apitar, de decidir se é cartão vermelho ou amarelo, se foi falta ou não.
O equipamento faz a parte dele, ou seja, mostra os lances, mas é o arbitro que tem que decidir.
Tudo isso acontece devido a uma geração de árbitros frouxos e sem autonomia. A falta de autonomia gera insegurança e a falta de segurança leva ao erro.
A tecnologia veio para ajudar e não para apitar o jogo.
O VAR serviria, por exemplo, para aquela mão do Maradona que mudou o resultado de um jogo e entrou para a história, mas está sendo usado para um chutezinho na canela ou para um puxão de camisa na área onde está todo mundo puxando a camisa, mas o VAR só vê um puxando, e marca um pênalti que ninguém viu.
Futebol está ficando chato por conta disso.
Ou se aprende a usar a tecnologia e o árbitro volta a assumir as decisões básicas ou vamos ter em pouco tempo robôs com cartão e apito dentro de campo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui